Antes “Inimigo”, agora “Herói” do PT

A decisão do STF (segunda turma) e as manobras judiciais

O PT já decidiu o que fazer: Entrou em campanha de filiação ao Partido e a nota do seu Diretório Nacional termina com as palavras de ordem: Lula é inocente, Lula livre, Lula presidente. Os marxistas já explicaram a diferença entre o Lula de 1978 e o Lula de hoje, 40 anos depois. Lula em 1978, com todos os erros que então cometia, é bem diferente do Lula de hoje, que tenta de todas as formas manter a sua colaboração com a burguesia, mesmo quando esta busca outros caminhos (um centro, como Macron na França).

O grande problema da burguesia é que Macron parece que bateu numa parede e está enfrentando uma onda de greves operárias e ocupações de escolas. E agora? perguntam-se os burgueses desesperados.

É nesta situação política que o STF, depois de ter rejeitado por várias vezes a desvinculação de qualquer processo de Lula do Juiz Moro, decide a delação da Odebrecht que estava a cargo de Moro e enviá-la para a justiça de São Paulo.  Vários analistas burgueses que mantêm-se na linha de destruir a conciliação de classes de qualquer forma se desesperam e preveem que se isto continua Lula poderia ser até inocentado e solto e até concorrer à eleição! Isto vai acontecer? Não se sabe, afinal, a burguesia desesperada pode voltar à cartada da conciliação e muito do que acontece na França pode ter reflexos mais imediatos aqui do que parece à primeira vista.

Deixe Seu Comentário