#38 – Nicarágua 79: A Revolução Sandinista, a FSLN e a face reacionária do mandelismo

           

Em julho de 1979 a Frente Sandinista de Libertação Nacional toma o poder na Nicarágua, encerrando mais de 40 anos de ditadura da Família Somoza, patrocinada pelos EUA. Foi um processo bastante amplo e radical com o emprego da luta armada e mobilização de todos os setores da sociedade, especialmente da classe trabalhadora. Entretanto, a aparente radicalidade do movimento se traduzia em um programa e em uma prática de colaboração de classes, que não apenas custou um alto preço aos trabalhadores como também aos militantes que propunham a verdadeira derrubada do capitalismo no país.

Como surge a Frente Sandinista de Libertação Nacional? Quais projetos estavam em jogo naquele movimento? Como se posicionaram as correntes trotskistas diante desta revolução? Afinal, qual o saldo deste movimento e quais lições a classe trabalhadora no Brasil de hoje pode aprender com ele? Nessa transmissão, André Mainardi recebe o camarada Edgardo Freitas, cientista social e militante da Esquerda Marxista para uma exposição sobre as contradições desse processo.

EXPEDIENTE:

Locução, técnica, produção musical, gravação e edição de áudio: André Mainardi.

Comissão do Podcast (Comitê Editorial da Esquerda Marxista): André Mainardi, Evandro Colzani, Flávia Antunes, Mateus Tavares, Edegardo de Freitas e Levy Sant’Anna.

Trilha Sonora: 

OUTROS EPISÓDIOS>>

Deixe Seu Comentário