Foto: Antenor Magno

19 de junho: retornar às ruas para pôr abaixo o governo Bolsonaro!

Após os expressivos atos de rua contra o governo Bolsonaro realizados no dia 29 de maio (29M) em mais de 200 cidades pelo país e outras dezenas de demonstrações em cidades no exterior, foi divulgado o dia 19 de junho como data para novas manifestações. Rapidamente a juventude, os militantes e uma vanguarda de trabalhadores que estavam presentes no ato entenderam que o dia 19 de junho significava continuar o combate para pôr pra Fora Bolsonaro, já!

Mesmo que os atos de 29M tenham sido convocados pelas organizações tradicionais da classe trabalhadora apenas com o intuito de soltar a pressão da indignação social que se acumula, pois, o objetivo dos dirigentes não era o de desencadear uma onda de protestos pela derrubada do governo, as massas que estavam nas ruas – e os milhões de trabalhadores que apoiaram o ato de suas casas – conscientemente aderiram ao chamado para novas manifestações.

Isso se explica pelo sentimento que impera hoje na base da sociedade, o desejo de acabar com esse governo que promove um verdadeiro assassinato social, pois se recusa a combater a disseminação de um vírus letal. Um governo que, ademais, promove a fome e o desemprego ao cortar verbas dos serviços públicos, além de garantir o pagamento de trilhões de reais da dívida pública aos banqueiros e grandes credores nacionais e internacionais.

A juventude e os trabalhadores buscam se agarrar às iniciativas que almejam tirar Bolsonaro do poder, venham de onde vierem. E estão certas em agir assim, afinal, não dá para esperar as eleições de 2022 enquanto milhares morrem todos os dias de uma doença que já possui vacina. Além disso, a fome e o desemprego não acompanham o calendário eleitoral: precisam de uma solução urgente!

Por isso, a Esquerda Marxista e a Liberdade e Luta estarão nas ruas novamente no dia 19 de junho. Vamos erguer faixas e distribuir panfletos que exigem: Abaixo o governo Bolsonaro! Por um governo dos trabalhadores sem patrões nem generais! Desde já, convidamos nossos apoiadores a engrossar os blocos que organizaremos nos atos, para darmos ampla divulgação também ao “Encontro Nacional de Luta Abaixo Bolsonaro” do dia 10 de julho. Vamos juntos batalhar para conseguirmos novas adesões à convocatória que já conta com mais de 1.300 inscrições.

Temos que reforçar o chamado para o dia 19 de junho também porque não dá para confiar nos dirigentes partidários e sindicais “da esquerda”. Lula nem sequer deu as caras no 29M e a CUT soltou uma nota às vésperas do protesto praticamente desconvocando as manifestações porque poderiam causar aglomerações (como se os trabalhadores não fossem obrigados a se aglomerar para ir trabalhar todo dia).

O PT, CUT, as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, diante da vontade expressa nas ruas, agora afirmam que estão convocando os atos de 19 de junho, mas entre falar e fazer há um abismo… Até agora, por exemplo, não há sequer uma assembleia sindical convocada para discutir a adesão de trabalhadores nos atos.

Enfim, da mesma forma que o 29M ultrapassou os marcos da convocação das organizações tradicionais da classe trabalhadora e milhares foram às ruas, o 19J também tem potencial para dar continuidade à luta pelo Fora Bolsonaro, já!

Os marxistas estarão presentes, apontando que é necessário se organizar para romper a barreira imposta por esses dirigentes políticos e sindicais; que é necessário construir o encontro que discuta como lutar para pôr abaixo Bolsonaro e erguer um governo dos trabalhadores sem patrões nem generais!

Deixe Seu Comentário