Início / Artigos / Outras Análises | Ver Mais / Sindical / Vitória da Chapa 2 no Sinte de Joinville

Vitória da Chapa 2 no Sinte de Joinville

Os trabalhadores da rede estadual de educação escolheram na última quarta e quinta-feira (23 e 24) a nova direção do Sinte (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina) de Joinville. A chapa 2 “Mote – Sindicato é para lutar” conquistou 363 votos. Esse resultado representa 72% da totalidade dos votos e garante cinco dos sete cargos da executiva, incluindo a coordenação geral, que ficará a cargo de Clarice Erhardt. A chapa 1 obteve 140 votos.



Para a coordenação estadual a chapa 2 também ganhou em Joinville, com 364 votos contra 145. No conselho deliberativo estadual há três vagas para a regional de Joinville. A chapa 2 elegeu Norma Garcia e Cláudio Vittória. De acordo com o regimento eleitoral, a posse da nova direção deve acontecer até 13 de julho e será definida pela comissão eleitoral.

O Sinte é a entidade que representa a categoria dos profissionais em educação da rede estadual de ensino. Nos últimos anos o sindicato vem perdendo sua força, seja pelos ataques constantes do governo estadual, seja pela dispersão das forças que têm comandado a entidade no último período. É necessário que tenhamos clareza a respeito do que isso representa, pois dessa constatação decorrerão as tarefas e responsabilidades da nova gestão.

Quando os servidores não têm uma entidade forte significa que não têm formas de defesa contra os ataques do governo.

Para os membros da Chapa 2, a empreitada que se apresenta é a de reconstrução do Sinte Regional Joinville. Para nós é preciso reconstruir a entidade, transformá-la novamente em uma ferramenta forte de defesa do servidor, organizando representantes por local de trabalho, convocar assembléias representativas, discussões com a categoria e, mais do que tudo estar presente, decisivamente, na defesa da categoria.

Fonte: Mote – Movimento pela Organização dos Trabalhadores em Educação

Deixe seu comentário

Leia também...

Trabalhadores paralisaram por condições de trabalho e solidariedade. Foto: Francine Hellmann

O que podemos aprender com a greve dos servidores de Joinville?

Os servidores municipais de Joinville, em Santa Catarina, fizeram, entre os dias 2 e 4 …