Início / Artigos / Brasil / Virar à Esquerda e Reatar com o Socialismo nos Estados

Virar à Esquerda e Reatar com o Socialismo nos Estados

Um apanhado geral de como está a campanha em São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Pernambuco e Mato Grosso do Sul.

A luta dos companheiros da Chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!, a identificação que diversos militantes e correntes tiveram com as idéias propostas por nosso manifesto de constituição da chapa nacional, levou a que tivéssemos chapas das quais participamos ou com a quais constituímos acordos políticos importantes. Temos três chapas que se constituíram diretamente da Chapa Nacional – Santa Catarina, Pernambuco e São Paulo.

Participamos de uma chapa no Paraná e estamos trabalhando em comum, com um apoio mútuo e também com uma discussão política engajada com companheiros do Mato Grosso do Sul.

Mato Grosso do Sul

Entrevistamos abaixo o companheiro Jairão que é candidato a Presidente do PT Estadual no Mato Grosso do Sul, pela chapa “Alternativa Independente: a base construindo o partido”. Jairão é militante do PT desde 1984, foi dirigente sindical do Sindsprev.

JLC: Jairo como nasceu essa chapa? Quais são suas principais propostas?

Jairo: Nossa chapa (Alternativa Independente: a base construindo o partido), nasceu porque vários militantes, líderes populares do PT que sempre construíram o partido ficam fora da tomada de decisões, porque não pertencem a nenhum grupo ligado a figurões do partido. Então pensamos: vamos tomar conta do nosso destino, arregaçamos as mangas e passamos a organizar nossa corrente que tem base em Mato Grosso do Sul.

Nossas principais propostas são: Tomada de Decisões a partir da Base do Partido; Realizações de plenárias locais e Estaduais; Respeito às instâncias do Partido; Inserção e apoio aos movimentos de luta dos trabalhadores.

JLC: Quem é a outra chapa concorrente?

Jairo: A outra chapa é formada pelo Consenso da Cúpula partidária: Ela reúne todos os grandes grupos dos figurões do PT no MS, entre eles o Senador Delcídio do Amaral, o ex-governador Zeca do PT, além dos Deputados Federais Biffi, Vander; ou seja, toda a cúpula contra a base do partido.

JLC: Por que você está apoiando a chapa “Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!” a nível nacional?

Jairo: O que nos chamou a atenção no manifesto da chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo! foi a crítica com relação à candidatura da ministra Dilma que foi construída pela cúpula sem nenhuma consulta às bases do partido e a tese expressou exatamente o que nós da Alternativa Independente estávamos sentindo aqui no Mato Grosso do Sul.

Outro fator foi que a chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo! é de um grupo marxista que reconhece a luta de classes e, como nós, defende mudanças nos rumos do partido. Também queremos estar organizados a nível nacional e achamos que como há afinidade ideológica é possível construir uma unidade mais duradoura para o futuro.

JLC: Hoje no PT convivemos com muitos que acham que o socialismo é para os séculos vindouros. Qual a sua opinião?

Jairo: Às vezes somos tentados a achar que nos moldes do capitalismo é possível realizar transformações que resolvam os problemas dos trabalhadores, entretanto as experiências nos mostram que os interesses do capitalismo são antagônicos aos interesses da ampla maioria da humanidade. Por isso levantamos também a bandeira do socialismo.

Pernambuco

A chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo! é uma das 8 chapas que se inscreveu para disputar o PED em Pernambuco. Tem como candidato a Presidente o companheiro Roberto, que é funcionário público do interior do Estado.

Participam da chapa diversos companheiros da luta sindical, como o companheiro Faustão, da direção nacional da CUT, num total de 25 pessoas. A chapa tem companheiros de Recife, Jaboatão, Pesqueira, Abreu e Lima, Bom Jardim e Serra Talhada. Em todos estes locais estamos organizando chapas próprias ou estamos participando da articulação de chapas da esquerda.

Paraná

Senador Osmar Dias, do PDT, irmão do também senador Álvaro Dias, do PSDB, representante dos ruralistas do estado e entusiasta de primeira hora da campanha de Geraldo Alckmin, na última eleição presidencial. Esse é o currículo do candidato ao governo do Paraná e futuro “companheiro” no palanque da Dilma Rousseff. Essa é a vontade dos atuais dirigentes do PT. Essa aliança bizarra é a expressão local da política de coalizão do governo Lula. Em visita recente ao Paraná, o presidente deixou claro sua preferência pelo senador, convidado a acompanhar a comitiva presidencial.

As lideranças do PT paranaense já não escondem que o apoio ao pedetista é a prioridade, abrindo mão de uma candidatura própria ao governo do estado. A militância lê nos jornais as declarações dos “notáveis” do partido, a se revezarem na sagração do senador. Entre as aleluias e rituais de beija-mão, já se pode ouvir o ranger de dentes dessa militância a perguntar em que instância partidária se decidiu o apoio à candidatura de um inimigo de classe, historicamente ligado à UDR.

Confrontados com essa política de coalizão, companheiros da Militância Socialista (ligados ao mandato do Deputado Estadual Tadeu Veneri), da Articulação de Esquerda e de outras tendências, formaram a chapa Luta Socialista para disputar a direção estadual no próximo PED. Os militantes da Esquerda Marxista compõem essa chapa, desde o início. Na tese, uma análise se destaca: “para assegurar apoio à candidatura outorgada de Dilma Rousseff à Presidência, e garantir a coalizão com setores da burguesia, parte da direção estadual do PT costura acordos com partidos e representantes das elites locais, inimigos históricos da classe trabalhadora. A crise (econômica) exige outra postura. Exige uma candidatura própria do PT, de unidade com os partidos e movimentos vinculados à classe trabalhadora, com um programa radical, socialista, de enfrentamento da crise”.

Essa linha política de ruptura com o governo de coalizão, defendida coerentemente pela chapa nacional da Esquerda Marxista, Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!, também começa a encontrar ressonância no interior do estado. José Magon Junior, candidato à presidente no PED Municipal de Mandaguari, procurou a Esquerda Marxista para declarar: “manifesto meu apoio à proposta de reorientação do partido para virar à esquerda, romper as alianças com os partidos da direita e reatar com as bandeiras do Socialismo”. Casos como esse estão ocorrendo em outros estados, confirmando a correção da linha política adotada. E mais do que isso. Essas iniciativas lembram a todos que, apesar das manobras e traições, os petistas
insistem sempre em dizer que a luta continua!

Santa Catarina

Em Santa Catarina a chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!, impulsionada pela Esquerda Marxista, disputará o PED com candidato a presidente para o PT do estado, o companheiro Adilson Mariano.

A chapa estadual encontra-se fortalecida pelo registro de chapas municipais em Florianópolis, Joinville, Jaraguá do Sul, Garuva, Araquari, Itapema e Barra Velha.

Mariano é candidato a presidente do PT em Santa Catarina, filiado ao Partido dos Trabalhadores desde 1989 e membro da Esquerda Marxista. Sua história de luta o tornou, nas últimas eleições municipais, o vereador mais votado da história do PT de Santa Catarina.

Mariano sempre defendeu as bandeiras históricas do partido, pelo socialismo e apoiando as lutas do povo trabalhador. Atuou em grupos de jovens, no movimento estudantil, em associações de moradores e no movimento sindical.

Apoiou de forma veemente a luta dos trabalhadores das fábricas ocupadas Cipla e Interfibra em Joinville. Atualmente, está em seu terceiro mandato como vereador.

No Processo de Eleições Diretas do PT (PED), Mariano foi candidato duas vezes à presidência do diretório municipal de Joinville. Seu compromisso sempre foi com o apoio à organização e união do povo trabalhador por suas reivindicações.

Coordena ainda o Fórum de Vereadores do PT de Santa Catarina, é Membro do Comitê Nacional do Emprego, da Reforma Agrária e dos Direitos Trabalhistas, em apoio ao Movimento das Fábricas Ocupadas, iniciado pelos trabalhadores das empresas Cipla e Interfibra de Joinville.

São Paulo

Bauru

A chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo! participa do PED com chapa completa, composta por filiados que militam no movimento sindical, popular, juventude, Movimento Negro Socialista e muitos petistas autênticos que foram reagrupados pelo Mandato Operário, Popular e Socialista do companheiro Roque Ferreira, eleito o vereador mais votado do PT nas últimas eleições.

A Chapa tem visitado os filiados, apresentando nossas posições e discutindo a necessidade do PT em Bauru ter vida orgânica, se ligar à classe trabalhadora e à juventude.

A chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo! tem realizado um duro trabalho, principalmente diante da completa ausência de organização do partido na cidade. Onde o partido não conta com sede, não faz as reuniões de diretório e tampouco de Executiva. Os militantes e filiados não são chamados a discutir o governo municipal, no qual o PT participa.

A banca do Mandato do Vereador Roque que é instalada no Calçadão da cidade, tornou-se um ponto de encontro de filiados e simpatizantes do partido, e muitas pessoas se filiam ali.

Nosso companheiro Thiago, professor, é o nosso candidato a presidente no PED Municipal e juntos com Serge e Miranda saberão construir um partido colado aos jovens e trabalhadores. Essa é a vontade de todos os companheiros lutadores de Bauru.

Capital

Na capital paulista, maior colégio eleitoral do país, com 113 mil filiados aptos a votar neste PED, nos unimos às outras correntes de esquerda (Articulação de Esquerda, Militância Socialista, O Trabalho, TM) em torno de um programa que coloca no centro a ruptura das alianças com os partidos da direita e a luta por uma candidatura petista ao Governo de SP para 2010.

A chapa “Soberania e Socialismo” apóia a candidatura da companheira Flavia Pereira para presidente do PT municipal de São Paulo. Contra Donato, Jair Tatto e Nabil Bonduki, nos debates municipais, a companheira Flavia é a única que tem se posicionado contra as alianças com os partidos da direita.

A chapa se coloca frontalmente contrária ao apoio do PT à candidatura do oligarca Ciro Gomes para o Governo de SP. O partido de Ciro Gomes (PSB) agora conta com filiados como Paulo Skaf (Presidente da FIESP) e Gabriel Chalita (ex-secretário da Educação do Governo Alckmin). Como chamá-los de “companheiros da base aliada”?! O PT deve romper as alianças com todos os partidos da burguesia, inclusive com o PSB!

No estado de SP ainda compomos chapa em Campinas, Caieiras, Campo Limpo Paulista e temos companheiros fazendo campanha em pelo menos mais 20 municípios!

Junte-se a nós! Ajude-nos a fazer essa campanha em seu estado, em sua cidade! Entre em contato: contato@marxismo.org.br

Deixe seu comentário

Leia também...

Reforma política: Nosso dinheiro para Bolsonaro, iscas para a esquerda e barreira para as organizações de trabalhadores

Michel Temer sancionou na sexta-feira (6/10) a reforma política, que, entre outros absurdos, desvia um …

Deixe uma resposta