Início / Política Nacional e Internacional | Ver Mais / Editoriais / Unidade para derrotar a austeridade: Abaixo as MP 664 e 665

Unidade para derrotar a austeridade: Abaixo as MP 664 e 665

O maior ataque “conservador” que observamos hoje é o ataque aos direitos dos trabalhadores. Este ataque começou no governo de Dilma com as MPs 664 e 665.

A direção da CUT se pronunciou pela retirada das MPs, mas propõe um plano de lutas onde a luta contra as MPs some do site, dos documentos e das atividades. Nos bastidores os dirigentes tentam negociar “avanços” nas MPs. Isso conduzirá à derrota.

O maior ataque “conservador” que observamos hoje é o ataque aos direitos dos trabalhadores. Este ataque começou no governo de Dilma com as MPs 664 e 665.

A direção da CUT se pronunciou pela retirada das MPs, mas propõe um plano de lutas onde a luta contra as MPs some do site, dos documentos e das atividades. Nos bastidores os dirigentes tentam negociar “avanços” nas MPs. Isso conduzirá à derrota.

A aprovação das duas MPs consagrará: redução no seguro desemprego, no salário benefício, nas pensões, nos direitos dos pescadores. É contra isso que a CUT e os movimentos populares tem que se levantar, dizendo claramente que Dilma traiu seus compromissos de campanha.

O Projeto de Lei 4330 (terceirizações) tem o mesmo sentido: desonerar as empresas e onerar os trabalhadores. Dilma prometeu em sua campanha eleitoral nenhum direito a menos! Tanto as MP como este projeto atentam contra esses direitos. Por isso a CUT e os movimento sociais devem dizer em voz bem alta no dia 07 de abril:

– Abaixo as MP 664 e 665! Não ao PL 4330!

– Estabilidade no emprego! Fim das terceirizações!

Democracia e Socialismo

O PT no seu manifesto de fundação defendia a luta pelo socialismo como saída para o país. A CUT tem esta luta consagrada em seu estatuto. E agora todos querem esquecer isto e fazer uma “reforma política” para manter o sistema que está caindo de podre.

A corrupção é filha dileta do capitalismo. Por isso temos R$2,5 bilhões desviados da Petrobras e outros R$5,6 bilhões do escândalo do CARF (Conselho da Receita Federal). Um escândalo é usado para pressionar pela privatização da Petrobras. Já o outro a imprensa quer esquecer. Afinal, são as grandes empresas e até o “tesoureiro” da União, ministro da Fazenda Joaquim Levy, os implicados. Levy é quem dirige a Receita Federal hoje e era diretor do Bradesco quando os fatos aconteceram!

A podridão que corrói o sistema vem à tona em todas as instituições. Juízes aproveitando carros aprendidos, altos servidores da Justiça ocupando apartamentos de pessoas que morreram sem herdeiros, etc.

A diária (valor recebido por dia em viagens) dos ministros do STF é de mais de R$1.000,00 reais e seu “auxílio moradia” é de R$4.300 reais.

Dilma faz campanha contra o reajuste dos aposentados, mas não veta o aumento de 16% nos salários dos atuais diretores da Petrobras!

Reforma Política? Os trabalhadores, estão revoltados com toda esta podridão e os gritos de que se vão todos vai surgir em breve. A perspectiva de socialismo é a única que pode dar uma saída positiva para esta crise.

A defesa da Petrobras começa com a luta contra quem está vendendo a empresa em fatias, assim como a exigência de que toda empresa envolvida em corrupção seja estatizada sem indenização. E que se constitua o controle dos trabalhadores na Petrobras com poderes para fiscalizar e decidir sobre contratos e dirigentes.

Dilma se submete à Levy, Temer, Eduardo Cunha ou Renan Calheiros. E esta gente conspira com o PSDB a melhor forma de acabar com o PT e com toda a esquerda. Eles querem tirar muito mais que as MPs 664 e 665 e querem que o PT e Dilma façam isso.

Dilma, infelizmente, já decidiu seu lado e deixou claro que vai fazer mais cortes na Educação, Saúde, etc.

A responsabilidade da direção das organizações sindicais e populares é organizar a luta nas ruas contra a austeridade e derrotar as MPs

Falar em lutar por “reformas populares” e apoiar a este governo é uma contradição absoluta. Este governo é controlado pelo capital que explora e oprime o povo.

A CUT, as organizações populares, têm dois caminhos: ou retomam o trilho da luta contra as MPs 664 e 665, abrindo fogo pela esquerda contra o governo Dilma ou arcarão com o custo de defender quem ataca o povo. A luta de classes é entre trabalhadores e patrões e ninguém pode mudar isso. E a cada minuto perdido os que querem roubar nossas conquistas avançam em sua guerra.

A Esquerda Marxista propõe:

– Abaixo as MPs 664 e 665; Exigimos que o Congresso derrube estas MPs, que todo parlamentar que se reclama dos trabalhadores se pronuncie contra elas!

– Interrupção imediata da venda fatiada da Petrobras; a CUT deve convocar uma plenária de petroleiros com delegados eleitos na base para discutir o controle operário da empresa e a luta contra a privatização!

– Confisco de todas as empresas corruptoras!

– Revogação dos aumentos de luz, gás e água!

– Mais verbas para a educação, saúde e transporte!

– Não pagamento da dívida!

 Esquerda Marxista

31 de março de 2015

 

www.marxismo.org.br

contato@marxismo.org.br

 

Deixe seu comentário

Leia também...

Defender a Revolução Russa e suas lições para a atualidade

Cem anos após a Revolução Russa, a burguesia tenta distorcer o seu legado, ligando a …