Início / Luta de Classes / UNESP Franca: lutar não é crime

UNESP Franca: lutar não é crime

No próximo dia 21 o camarada Alexandre Mandl, militante da Esquerda Marxista, membro do Conselho de Fábrica da Flaskô, estará participando do evento Lutar Não é Crime, junto com Toninho Ferreira e Nílcio Costa.

A Esquerda Marxista, que decidiu realizar uma campanha nacional contra a repressão e a crimiminalização, fará todos os esforços para que a questão do combate contra a repressão e a criminalização tome as ruas e se transforme em uma grande luta de todos os trabalhadores, entidades, jovens e movimentos.

A Esquerda Marxista tem 4 companheiros que estarão no dia 5 de dezembro em Audiência na Justiça e podem ser presos, acusados, dentre outras coisas, de formação de quadrilha. Na verdade estão sendo condenados por terem sido dirigentes do Movimento das Fábricas Ocupadas, lutado pelo controle operário e em defesa dos postos de trabalho e direitos dos trabalhadores. Na Flaskô o companheiro Pedro Santinho segue sendo ameaçado e vítimado de perseguição da justiça. Os crimes contra os moradores de Pinheirinho e contra o MST continuam impunes. A escalada repressiva não para de aumentar. 

Convidamos nossos leitores para estarem presentes no evento, onde também ocorrerá o lançamento do livro de Alexandre: Se Trabalhar é um direito, lutar é um dever: a constitucionalidade das greves e ocupações de fábricas.

Estudantes da UNESP, da USP e manifestantes estão sendo presos e condenados, outros tantos, sindicalistas, sem teto, sem terra estão na mesma situação. Os governos estaduais e o governo federal, estabeleceram um pacto pró repressão e criminalização. Só a luta unitária das organizações pode barrar esta escalada repressiva do governo Dilma e da burguesia.

 

Deixe seu comentário

Leia também...

Escola Mundial da CMI: Celebrando o legado de 1917

Mais de 300 revolucionários de 20 diferentes países reuniram-se na Itália na última semana de …