Início / Fábricas / Ucrânia: Trabalhadores ocupam a fábrica Kherson

Ucrânia: Trabalhadores ocupam a fábrica Kherson

Luta em defesa dos empregos leva à exigência de estatização sob controle operário.

Na terça-feira pela manhã, no dia 3 de fevereiro, os trabalhadores da Kherson Machine Building Plant, KNF, (que produz maquinaria agricultora) ocupou uma das instalações da fábrica. As 9h30m cerca de 300 trabalhadores da KNF adentraram os andares da fábrica e ocuparam o prédio administrativo.

Durante esta ocupação, nenhum trabalhador foi agredido, os guardas de segurança locais não impuseram uma resistência séria. Os trabalhadores tomaram o prédio administrativo e reivindicaram a nacionalização desta empresa ucraniana estratégica, juntamente com a reivindicação de pagamento dos salários atrasados.

Um trabalhador que tomou parte nesta ação falou aos jornalistas que os trabalhadores não receberam seus salários desde setembro e que eles estão prontos para lutar até a vitória. Os grevistas abordaram os trabalhadores da Lvov Bus Factory [N.T.: fábrica de ônibus] e outras fábricas buscando solidariedade.

Agora os trabalhadores estão no prédio e muitos estão ao lado de fora segurando cartazes. De acordo com as testemunhas, a situação em geral é normal, mas mais e mais pessoas estão vindo para se unir aos grevistas.

Viktor Shapinov, da Corrente Marxista Internacional, que está apoiando a ação dos trabalhadores, explicou que, “neste momento a fábrica está totalmente sob controle operário, a situação está sendo monitorada pelo conselho dos trabalhadores, liderado por Leonid Nemchinov. Aqui não há polícia em volta do prédio”.

De acordo com Shapinov, a decisão de ocupar a fábrica foi tomada após as autoridades recusarem-se a dar permissão para uma manifestação no centro da cidade de Kherson, onde centenas de trabalhadores do KNF participaram.

“As pessoas não tem qualquer escolha. Eles não receberam nenhum salário desde setembro de 2008. No último encontro com os gerentes, os empregados foram informados de que os patrões não estão interessados em salvar a fábrica. Quase 1300 trabalhadores podem perder seus postos de trabalho, enquanto o equipamento da fábrica foi levado para o ferro-velho”, explicou Viktor Shapinov.

As principais demandas dos trabalhadores da KNF são: todos os salários devem ser pagos, nacionalização da fábrica sem nenhuma indenização aos patrões, que sabotaram a produção industrial.

O que se seguiu é que podíamos ler na declaração dos trabalhadores da KNF: “Nós exigimos que essa situação emergente seja resolvida em uma semana, ou nós iremos iniciar ações extremas de protesto para proteger nossas famílias do frio e do estorvo. Os efeitos do fechamento desta empresa estratégica podem ser compreendidos pelo governo: uma queda nos rendimentos do orçamento, a destruição de mais de mil postos de trabalho, os custos adicionais da importação de máquinas estrangeiras e mais problemas sociais em Kherson”.

Shapinov acrescentou que, “na quinta-feira, os trabalhadores tiveram conversas com o governador (oblast) do distrito de Kherson, mas ali não houve propostas concretas para resolver este problema. As pessoas estão prontas para lutar até o fim”.

Nós devemos recordar que a situação econômica na Ucrânia continua extremamente difícil. Nos últimos meses a produção industrial neste país caiu um terço e continua a cair.

Sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Deixe seu comentário

Leia também...

Flaskô volta a ter energia depois de 60 dias

A Esquerda Marxista saúda esta vitória dos trabalhadores da Fábrica Ocupada e de toda a …

Deixe uma resposta