Início / Sem Categoria / Trabalhadores organizam mobilizações em Sergipe

Trabalhadores organizam mobilizações em Sergipe

Durante o mês de março houve muitas mobilizações no Estado de Sergipe com a participação dos trabalhadores na mais diversas categorias. Veja pequeno ‘Clipping’ das lutas em Sergipe.
Marcha das Mulheres e Exibição de Documentário
Mulheres sergipnas na marcha estadual do dia 8 de Março, no Centro de Aracaju
Organizado pela CUT-SE, na tarde do dia 8 de março, uma manifestação alusiva ao Dia Internacional da Mulher, o ato percorreu as ruas do centro de Aracaju e contou com a participação de mulheres, representantes GLBT, sindicalistas, estudantes e homens contrários à violência doméstica. Após o ato, já à noite, os trabalhadores se reuniram no Teatro Tobias Barreto para atividade cultural. Organizado pelo SINTESE (Sindicato dos Trabalhadores de Educação do Estado de Sergipe) a atividade teve exibição do filme-documentário “Carregadores de Sonhos”, que retrata a educação sergipana através de 4 professoras, que contam as suas experiências e dificuldades na Educação de Sergipe.

Palestra com Aleida Guevara
Aleida Guevara (filha do Che Guevara) visitou Umbaúba/SE e palestrou
Na cidade de Umbaúba, a 120 km de Aracaju, o MST realizou uma palestra com a presença de Aleida Guevara, filha do revoluncionário Che Guevara. A mesma proferiu uma palesta, no dia 12 de março, com o tema “O Socialismo e Revolução”. Antes, no período da tarde, ela visitou as obras da construção de uma unidade de saúde que leva o nome de seu pai, o Comandante Enersto Che Guevara. Vários militantes dos movimentos sociais presenciaram o fato, inclusive o prefeito local, Prof. Anderson Farias (PT).
Professores nas Ruas pelo Piso Salarial
Em cumprimento da convocação da CNTE, os professores paralizaram as suas atividades no dia 16 de março, novamente andaram pelas ruas de Aracaju cobrando a implementação do piso nacional. O ato encerrou-se em frente à Assembléia Legislátiva do Estado de Sergipe. Mais da metade dos 71 municipios sergipanos ainda não resolveram essa questão com os professores.
Servidores e Professores de Estância paralisam as suas atividades
Na semana de 22 a 26 de março duas categorias de trabalhadores públicos do muincipio de Estância, a 68km de Aracaju, paralizaram as suas atividades contra o descaso da Administração do prefeito Ivan Leite (PSDB). Os servidores públicos, organizados pelo Sindicato dos Servidores Públicos no Municipio de Estância (SINDSEME), pararam as suas atividades em cumprimento da decisão da assembléia da categora, e foram para as ruas exigindo reposição salarial no valor de 25%. 
Os diretores do Sindiseme criticam o atual prefeito por não atendê-los após o envio de vários ofícios solicitando uma reunião para solicionar esse problema. Outra reindivicação dos servidores é a volta da jornada de 30h semanais, que atualmente, sem qualquer consulta, o prefeito impôs para jornada de 40h semanais.
Na quinta e sexta, respectivamente 25 e 26 de março, foi a vez dos professores, organizados pelo SINTESE, irem às ruas cobrar mais investimentos na educação e a reforma de algumas escolas que apresentam condições de funcionamento muito precária. O prefeito tenta justificar alegando que não tem condições de atender as reindivicações, sob alegação de queda dos impostos, principalmente dos rollaytes do petróleo que é explorado na costa litorânea sul, o que é contestado pelos vereadores Dominguinhos e Artur, ambos do PT.
Comerciários Iniciam Negociações
No dia 26 de Março os comerciários estancianos, organizados pelo Sindicato dos Empregados no Comércio de Estância, realizaram uma assembléia que além de discutir a prestação de contas da entidade aprovou também a pauta da discussão do Acordo Coletivo da categoria, para 2010/11, em conjunto com os demais sindicatos do setor. Segundo o dirigente Josenilson de Oliveira, a negociação não será fácil em função da intransigência da classe patronal desse setor, que quer impor baixos aumentos sob a alegação de lucros baixos, mas quer aumentar a exploração. Josenílson acredita que é importante a necessidade de mobilizar os tarbalhadores comerciários para impedir essa manobra e avançar em novas conquistas.
Josenilson de Oliveira, militante da Esquerda Marxista em Sergipe
fonte: Josenilson de Oliveira/Correspondente EM em Sergipe

Deixe seu comentário

Leia também...

Espanha: greve de mineiros se enfrenta com a repressão policial

Há mais de 15 dias os mineiros da região das Astúrias na Espanha, estão em …

Um comentário

  1. No Brasil deveria de ter uma lei para colocar esses desordeiros na cadeia por um bom tempo