Início / Luta de Classes | Ver Mais / Trabalhadores do Transporte Coletivo de Bauru seguem mobilizados após paralisação

Trabalhadores do Transporte Coletivo de Bauru seguem mobilizados após paralisação

Trabalhadores do Transporte em Bauru pararam as atividades por duas horas na semana passada em defesa de melhores condições de trabalho e por melhor qualidade dos serviços prestados à população. (Na foto Comissão de Trabalhadores reune-se com representantes da empresa). 

Trabalhadores do Transporte em Bauru pararam as atividades por duas horas na semana passada em defesa de melhores condições de trabalho e por melhor qualidade dos serviços prestados à população. (Na foto Comissão de Trabalhadores reune-se com representantes da empresa). 

Os condutores de circulares das empresas de ônibus pararam as atividades por duas horas de forma espontânea na manhã do dia 14 de setembro. A paralisação foi das 5h às 7h. As reivindicações centrais são relacionadas à jornada de trabalho que hoje é fracionada, os motoristas ficam até 16 horas à disposição da empresa. Eles reivindicam a jornada de seis horas e o fim do acúmulo de funções.

Durante a paralisação, dos 640 trabalhadores da categoria, 220 pararam no primeiro turno.

Também reivindicam local adequado para efetuarem suas refeições, pois se alimentam nas ruas e praças. Também cobram o fim do acúmulo de funções (mesmo funcionário desenvolve a função de motoristas e cobrador). A situação e as condições de trabalho são precárias, o que reflete também na qualidade dos serviços aos usuários.

Convidado pelos trabalhadores, como Presidente da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participativa da Câmara Municipal, o Vereador Roque Ferreira compareceu na empresa, ajudou a constituir uma comissão que se reuniu com os diretores da mesma buscando construir uma agenda de negociações positivas para encontrarem saídas para os impasses e problemas que a categoria enfrenta. 

O poder público que é o responsável pelo transporte público deve participar de forma mais direta deste processo, pois é de sua responsabilidade garantir transporte público de qualidade e em quantidade.

As 3 empresas que operam os serviços de transportes são ligadas ao Grupo Constantino. O Grupo alegou que para cumprir a decisão judicial de garantir uma hora de almoço necessitaria contratar mais 180 motoristas e isso implicaria em maiores custos. Passou a bola para o Prefeito.

O presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento urbano e Rural prometeu dar uma resposta aos trabalhadores até dia 21, sexta feira.

A categoria segue mobilizada, mas não aceita ser representada pela atual direção do sindicato, que, diga-se de passagem, é filiado a Central Única dos Trabalhadores. Os trabalhadores se negando e se recusando a aceitar a mediação da direção do sindicato, organizaram uma Comissão de 10 trabalhadores que agora negocia em nome da categoria.

Até a vitória!

Atendimento das reivindicações!

O sindicato é sua base e não sua diretoria!

consultar a esse respeito: http://www.roquevereador.com.br/

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …