Início / Luta de Classes / Toxidade do nitrato de amônia: Situação grave em São Francisco do Sul/SC Governo do Estado de Santa Catarina irresponsável

Toxidade do nitrato de amônia: Situação grave em São Francisco do Sul/SC Governo do Estado de Santa Catarina irresponsável

Por volta das 22h de terça-feira (24), um armazém de fertilizantes pegou fogo na BR-280, em São Francisco do Sul, logo pela manhã pelo menos seis bairros já estavam atingidos pela fumaça. 

Por volta das 22h de terça-feira (24), um armazém de fertilizantes pegou fogo na BR-280, em São Francisco do Sul, logo pela manhã pelo menos seis bairros já estavam atingidos pela fumaça. 

Durante a manhã, todos os jornais divulgaram que o gás era tóxico. De repente o governo do estado de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), na pessoa do secretário de Estado da Defesa Civil, Milton Hobus, informa que a fumaça não era tóxica e mais tarde que é levemente tóxica.

É de espantar a forma irresponsável que governo através da imprensa vem divulgado a explosão/incêndio da substância nitrato de amônia ocorrida na fábrica de fertilizante. 

Tanto o nitrato de potássio (inicialmente divulgado), quanto o nitrato de amônia são extremantes perigosos à saúde humana e podem inclusive levar a morte se inalados em concentração alta (fumaça densa), pois em contato com a água do corpo pode gerar ácido nítrico no organismo.

A fumaça decorrente da queima libera o óxido nitroso (N2O), o qual trará efeitos ambientais graves: contaminação do ar, água e solo. 

O excesso de nitritos como óxido nitroso quando presente na água pode causar a doença chamada meta-hemoglobinemia (deficiência enzimática) conhecida como doença do bebê azul que em recém-nascidos e mesmo em adultos causa problemas no coração. 

Durante a noite, mais de 300 pessoas trabalhavam no local, na tentativa de apagar o incêndio, sem qualquer proteção.

Até o momento, a situação em São Francisco do Sul é grave, a fumaça vai conforme o vento, nesta tarde em direção ao Norte e avançando para a Baía da Babitonga, no limite entre a cidade e Itapoá, e também para o litoral sul do Paraná. Uma mudança no sentido do vento pode fazer com que se dirija à cidade de Joinville, a maior do estado.

É responsabilidade do governo a divulgação falsa que a fumaça não é toxica e as consequências que a população poderá sofrer com a inalação desta substância. 

 *Cláudio é professor de Química em Joinville/SC – militante da Esquerda Marxista

Deixe seu comentário

Leia também...

Dois projetos que privatizam a Educação Infantil em Florianópolis

Estão em tramitação na Câmara Municipal de Florianópolis dois projetos de lei que atacam frontalmente …