Início / Luta de Classes / Todo apoio à greve nas federais!

Todo apoio à greve nas federais!

A greve nas universidades federais segue forte. Todo apoio aos professores e servidores em luta por salários dignos, direitos e em defesa da educação pública.   

A Pátria Educadora cortou cerca de R$ 10 bilhões do orçamento da Educação nesse ano.

No dia 28 de maio, começaram as greves de professores e servidores nas instituições federais de ensino (IFEs), com grande apoio dos estudantes. A greve se ampliou nas últimas semanas e no levantamento de 20 de agosto, a ANDES (Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior) informava a adesão de 48 instituições de ensino.

O movimento dos professores é contra os cortes de verbas e tem 5 pontos centrais: defesa do caráter público da universidade, melhores condições de trabalho, garantia da autonomia universitária, reestruturação da carreira e valorização salarial.

A ampliação da greve e a unidade da luta é a arma para arrancar as reivindicações. Nesse sentido, é um obstáculo a divisão realizada pela CUT em 2004, criando a PROIFES, rompendo com a ANDES, que é a entidade histórica e que reúne a ampla maioria da base. É a mesma política de divisão levada pela Conlutas e o PSTU em diversos sindicatos, mas com os atores invertidos.  Aliás, cadê o PROIFES nesta luta?!

Entre os servidores técnico-administrativos a greve segue forte. O Comando Nacional de Greve (CNG) da Fasubra havia aprovado o indicativo de fim da greve, mas na base, nas assembleias, a proposta foi amplamente rejeitada e a continuidade da greve referendada em 13/08.

Mesmo com a decisão dos professores da UFRJ em suspender a greve em uma votação apertada (218 pela continuidade e 255 pelo fim), a universidade segue paralisada, pois os servidores técnico-administrativos seguem em greve e os estudantes mobilizados.

A reivindicação central dos servidores é o reajuste de 27,3%. O governo propôs 21,5% parcelado em 4 anos, o que mantém as perdas salariais dos últimos anos.

O governo federal segue intransigente, recusando-se a negociar. Manifestação em Brasília está marcada para o dia 28 de agosto.

Contra o ajuste, contra os cortes! Todo apoio à greve dos professores e servidores das universidades federais! 

 

Deixe seu comentário

Leia também...

Escola Mundial da CMI: Celebrando o legado de 1917

Mais de 300 revolucionários de 20 diferentes países reuniram-se na Itália na última semana de …