Início / Artigos / Outras Análises | Ver Mais / Geral / #somostodoshumanos, abaixo o racismo e o capitalismo

#somostodoshumanos, abaixo o racismo e o capitalismo

Em tempos de crise o racismo aparece sempre com mais força. Ideologia desenvolvida pelo capitalismo para “justificar” a exploração do homem pelo homem, o racismo se baseia na ideia de que existiria uma raça superior a outra, e, portanto seria ‘natural’ a raça superior dominar a inferior.

Em tempos de crise o racismo aparece sempre com mais força. Ideologia desenvolvida pelo capitalismo para “justificar” a exploração do homem pelo homem, o racismo se baseia na ideia de que existiria uma raça superior a outra, e, portanto seria ‘natural’ a raça superior dominar a inferior.

A classe social dominante no capitalismo é a burguesia, que por razões históricas e econômicas é de maioria branca e se utiliza do racismo como instrumento ideológico contra a classe trabalhadora, de maioria negra ou de pele escura no Brasil.

No entanto, a ciência já provou que não existem raças mas apenas a espécie humana!

O marxista Friedrich Engels explicava que a ideologia dominante em uma sociedade é sempre a ideologia da classe dominante. Assim, a ideologia do racismo se perpetuou na sociedade e guia pensamentos de pessoas de todas as classes.

Recentemente o racismo tem se manifestado de várias formas, seja na repressão da polícia – braço armado do Estado que por sua vez está a serviço da burguesia -, ou de outras formas como no futebol. Sobre o racismo ‘oficial’ leia o recente artigo do camarada Miranda http://www.marxismo.org.br/blog/2014/04/28/onde-mora-o-racismo-sobre-amarildos-dgs-e-claudias.

Casos de racismo no futebol tem se multiplicado nos últimos meses. O último fato que ganhou a mídia aconteceu no jogo entre Villareal e Barcelona pelo campeonato espanhol (27/04). Na ocasião um torcedor do Villareal atirou uma banana no atleta Daniel Alves, integrante da Seleção Brasileira. Daniel respondeu o episódio racista comendo a banana e ignorando o fato ao continuar o jogo como protesto.

Logo após o atacante Neymar, também do Barcelona e da Seleção Brasileira, iniciou uma campanha nas redes sociais com a hashtag “#somostodosmacacos”. A ideia do jogador era prestar solidariedade a Daniel Alves: se o chamam de macaco, então somos todos macacos, pois somos iguais.

A campanha iniciada por Neymar se transformou em conteúdo viral e invadiu as redes sociais sendo replicado e citado por milhões de vezes por famosos e anônimos. Mostrando que a maior parte da sociedade tende a rejeitar a ideologia racista criada pela burguesia.

A ideia da campanha de Neymar pode até ser boa, mas o conteúdo não é o correto. O mais adequado seria a hashtag “#somostodoshumanos”. Não somos macacos, a humanidade atingiu há tempos um grau de desenvolvimento que jamais pode ser comparado a um macaco, exceto os próprios racistas, esses sim são macacos, pois conseguem reduzir seu cérebro humano ao ponto de acreditar que existem raças superiores.

Falando de estratégia de guerra, Maquiavel explicava a tática de ‘dividir para reinar’. Exatamente o que a burguesia faz com o racismo, jogando trabalhador contra trabalhador para assim manter seu controle político e econômico. Quando não consegue via racismo, faz dividindo em tribos, religiões, etc. (veja a África e o Oriente Médio).

O racismo representa o que há de mais atrasado na humanidade e deve ser combatido energicamente. Mas enquanto os capitalistas comandarem o planeta o racismo continuará encontrando espaços para jogar humanos contra humanos. É parte da barbárie capitalista.

O revolucionário Steve Biko, criador do Movimento Consciência Negra, da África do Sul, assassinado em 1977, dizia que ‘racismo e capitalismo são faces da mesma moeda’. Então, o combate ao racismo se liga ao combate de toda a classe trabalhadora (brancos e negros) para se livrar das amarras que os prendem nessa sociedade, para se livrar desse sistema de exploração do homem pelo homem. A humanidade evoluiu e existem as condições para a edificação de uma sociedade na qual todos os humanos possam se desenvolver plenamente como humanos, a sociedade socialista.

Macacos são os racistas, somos todos humanos!

Deixe seu comentário

Leia também...

Nildo Ouriques avalia posição sobre eleição 2018 do 6º Congresso do PSOL

Neste vídeo do companheiro Nildo Ouriques, está expressa a análise que nós da Esquerda Marxista …