Início / Luta de Classes | Ver Mais / Solidariedade aos estudantes mexicanos. Veja as fotos

Solidariedade aos estudantes mexicanos. Veja as fotos

Clique aqui para ver todas as fotos


Clique aqui para ver todas as fotos

Atendendo ao chamado internacional feito por La Izquierda Socialista do México e pela Corrente Marxista Internacional, organizações políticas, de juventude e estudantis se reuníram em frente ao Consulado Geral do México em São Paulo nessa tarde de 22 de Outubro. Estiveram presentes cerca de 30 pessoas representando o Diretório Central dos Estudantes da USP, o Comitê de Luta da ETEC Franco da Rocha da campanha “Público, Gratuito e Para Todos: Transporte, Saúde, Educação! Abaixo a Repressão!”, a Juventude Marxista, o JUNTOS! (organização de juventude do MES, Corrente do PSOL), o Comitê Norueguês de Solidariedade com a América Latina, Espacio de Lucha contra el Olvido y la Represión (Elcor) de la Red contra la Represión (Mexico), Estudantes Brasileiros da Sexta Escuelita Zapatista, Espaço de Comunicação Autônoma “Subversiones”, e a Esquerda Marxista, seção brasileira da CMI.

Um ato solene com faixas, cartazes e palavras de ordem aos gritos teve lugar em frente ao Consulado, situado numa mansão em um bairro burguês de São Paulo. O camarada Caio Dezorzi, em nome da Esquerda Marxista, abriu o ato explicando que desde 26 de setembro nenhum jovem ou trabalhador no mundo pode deixar de estar solidário com o povoado de Ayotzinapa, que teve 6 mortos, 20 feridos e 43 estudantes da Escuela Normal Rural “Raúl Isidro Burgos” sequestrados pela polícia local, sabidamente ligada ao narcotráfico. “Um ataque a um é um ataque a todos! A luta dos estudantes mexicanos é nossa luta! Nos solidarizamos com o movimento estudantil do IPN, de todas as escolas e universidades do México e em especial exigimos resposta do governo mexicano sobre os 43 estudantes sequestrados em Iguala! O governo é o responsável! É inaceitável que usem a mídia burguesa para se eximirem de qualquer responsabilidade e dizerem que o narcotráfico é incontrolável! Os sobreviventes do massacre deixaram claro que quem forrou de balas os ônibus onde estavam os estudantes eram policiais locais e que os sequestrados entraram em carros da polícia! E é sabido que o governo tem relações umbilicais com o narcotráfico!”

Depois se seguiram outras falas e palavras de ordem. Estavam presentes também estudantes mexicanos e colombianos, em intercâmbio no Brasil.

O Cônsul não estava presente. Em seu lugar, nos recebeu o Cônsul para assuntos econômicos, que alegou não ter autorização para dar uma resposta política, mas recebeu a carta assinada por diversas entidades e se comprometeu a entregar às autoridades mexicanas.

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …