Início / Luta de Classes / Sobre caso de racismo com o jogador Tinga

Sobre caso de racismo com o jogador Tinga

O racismo apareceu na Copa Libertadores no jogo do Real Garcilaso contra o Cruzeiro. Enquanto o jogador Tinga do Cruzeiro fazia suas jogadas, fãs do Real Garcilaso reproduziam som de macacos.

O racismo esteve novamente presente na Copa Libertadores no jogo do Real Garcilaso contra o Cruzeiro. Enquanto o jogador Tinga do Cruzeiro fazia suas jogadas, torcedores do Real Garcilaso reproduziam sons de macaco. Não é a primeira manifestação de racismo nos campos. O Cruzeiro entrou com recurso contra a equipe peruana que poderá cair fora da Libertadores.

Em depoimento o jogador declara que “trocaria todos os títulos da carreira por um mundo sem preconceito e com igualdade entre as classes”. Tinga não faz qualquer menção à raças humanas pois sabe que as desigualdades são fruto da luta de classes. Mas a imprensa burguesa que está do lado de quem segrega e promove a desigualdade intencionalmente alterou a declaração do jogador invocando ‘igualdade entre as raças’. A distorção da imprensa é mais conveniente à promoção do racismo do que ao seu combate. Assim são as regras do jogo no capitalismo.

A manifestação de racismo que tomou conta da torcida merece total desprezo, pois reproduz a completa degeneração humana e deve ser denunciado e combatido pelos trabalhadores do Brasil e do mundo. Porém, a igualdade que deseja o jogador Tinga não está na pauta do capitalismo. Afinal, o sistema capitalista se utiliza do racismo como instrumento de divisão da maioria e promove a desigualdade para manter uma minoria no poder.

A presidente Dilma Rousseff se pronunciou dizendo que a manifestação de racismo no Peru foi ‘um absurdo’, mas enquanto isso o racismo no Brasil é cotidianamente instrumentalizado pelo poder repressivo. Centenas de jovens, majoritariamente pobres e negros, são mortos e criminalizados em todo o país. É certo que o esporte não pode ser palco de preconceito como diz a presidente, mas também não pode o conceito de raças humanas ser utilizado para sustentar a barbárie e segregar os povos.

O Movimento Negro Socialista (MNS) combate toda e qualquer manifestação de racismo que reproduz a mais cruel e retrógada atitude humana e representa a degeneração tão motivada pelo sistema capitalista para dividir a classe trabalhadora.

Tinga: estamos com você!

Abaixo o racismo e a repressão!

Deixe seu comentário

Leia também...

Campinas na luta contra o Escola Sem Partido e a Lei da Mordaça!

A Associação dos Professores da Puc-Campinas (Apropucc) emitiu nota esta semana repudiando o projeto de …