Início / Luta de Classes / SIM, VAI TER COPA, MAS SERÁ PARA POUCOS!

SIM, VAI TER COPA, MAS SERÁ PARA POUCOS!

Sim, vai ter copa, mas será para poucos. Será para a elite que se beneficia a partir da exploração e da mais-valia. Será a copa realizada a partir do suor do proletário e que deixará rastros de injustiça e desigualdade, a copa da repressão! A copa será realizada, mas apenas a burguesia irá desfrutá-la e é ela que irá se beneficiar dos bilhões de reais provenientes dos cofres públicos investidos na realização desse evento privado.

Recentemente, a UJS, a JPT e o Levante Popular da Juventude, por exemplo, e o próprio governo, iniciaram uma campanha maciça nas redes sociais promovendo e divulgando uma nova bandeira para a juventude e para as massas populares, o #vaitercopa. Utilizando o seu aparato midiático, o PCdoB, por meio do Portal Vermelho (www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=233035), divulgou o artigo “A quem interessa “melar” a Copa?”, no qual demonstra claramente as suas intenções com a nova bandeira levantada, a de eleger a presidenta Dilma Rousseff, como pode ser observado por meio da seguinte parágrafo: “Atualmente a presidenta Dilma Rousseff lidera todas as pesquisas de intenção de voto, com uma provável vitória em primeiro turno. Apenas um abalo sísmico de proporções catastróficas parece ter condições de mudar drasticamente esse cenário. Algo como um fracasso da Copa do Mundo, por exemplo. E uma derrota de Dilma não traria ao poder forças mais comprometidas com os interesses populares[…]”.

Baseando-se na famosa política governista, esses grupos defendem que a Copa deve ser realizada e que ela não deve ser considerada como um empecilho para os investimentos em setores sociais, como na saúde e educação, por exemplo, além de considerar que os movimentos contrários à copa são de direita e buscam apenas desestabilizar o governo federal. É uma análise estreita, sendo feita de maneira superficial. Aposto que o autor do artigo não levou em consideração a morte de pelo menos 5 operários nas obras dos estádios, três em São Paulo e dois em Manaus (deve-se destacar a perda dessas cinco pessoas: foram cinco pais de famílias que perderam suas vidas trabalhando de forma grosseira e desgastante em algo que, provavelmente, eles nunca conseguiriam desfrutar em suas vidas. Foram vítimas fatais do capital), sem contar com as remoções de milhares de famílias pobres e com a total submissão do poder público ao poder privado, vide as imposições da FIFA.

Analisando os pontos positivos apresentados no artigo, de autoria do sr. Caio Botelho, membro da direção da UJS-BA, percebe-se a intenção do mesmo. Ele defende que haverá a injeção de bilhões na economia nacional, mas não explicita que a maior parte desse dinheiro será destinado aos cofres dos banqueiros, das multinacionais e da burguesia nacional, deixando para a população pobre apenas os resquícios desse “benefício”.

De fato, a direita, conservadora e articulada como é, da mesma forma que nas manifestações de junho de 2013, utiliza-se de um oportunismo drástico e tem poderosas armas em suas mãos, como por exemplo o governo, a Justiça, a repressão e a mídia. Cabe a todos os que estão ao lado  dos estudantes e dos trabalhadores estar nas ruas, defendendo investimentos reais em setores sociais e a ruptura do governo com o capital. É preciso, inclusive, ajudar os manifestantes a aumentar seu nível de organização, única forma capaz de vencer a resistência do Estado e da classe a que ele serve. Por isso, os militantes da Juventude Marxista impulsionam a campanha do “Público, Gratuito e Para Todos: Transporte, Saúde e Educação! Abaixo a repressão!”, criando comitês de luta em todo o país (Leia o manifesto em: www.facebook.com/PublicoGratuitoParaTodos).

Apesar de tudo o que foi dito, o evento vai ocorrer. Afinal, os governos estaduais e o federal não estão organizando o seu aparato repressivo à-toa. Já foi dado início aos investimentos grotescos em armamentos e tecnologias para a repressão, além de modificações na legislação, como a “lei antiterrorismo”. Vale ressaltar, também, a nova criação do governo federal, uma tropa de choque formada por 10 mil PMs para conter protestos durante a Copa do Mundo.

Entretanto, será a copa dos ricos, da pequena-burguesia, que se endividará para conseguir assistir os seus “ídolos”, e da burguesia, sendo que essa última foi a verdadeira beneficiada com todos os investimentos. Para o proletariado não haverá Copa do Mundo, o que sobrará são as ruas, as manifestações. A Esquerda Marxista convida todos os trabalhadores e estudantes a participarem dessa discussão conosco de uma forma mais aprofundada, e convocamos a presença de todas as organizações nas manifestações populares que antecederão, sucederão e ocorrerão durante a Copa do Mundo de 2014.

Fontes: http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2013/07/brasil-ja-desembolsou-r-28-bilhoes-com-copa-verbas-federais-respondem-a-80-dos-investimentos-329.html

http://tribunadaimprensa.com.br/?p=79038

http://www.diarioliberdade.org/brasil/sa%C3%BAde/38593-enquanto-governo-gasta-bilh%C3%B5es-com-obras-da-copa,-popula%C3%A7%C3%A3o-sofre-com-falta-de-saneamento-b%C3%A1sico.html
 

Deixe seu comentário

Leia também...

Campinas na luta contra o Escola Sem Partido e a Lei da Mordaça!

A Associação dos Professores da Puc-Campinas (Apropucc) emitiu nota esta semana repudiando o projeto de …