Início / Luta de Classes | Ver Mais / Sede do Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro foi invadida!

Sede do Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro foi invadida!

 

O grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro vem sofrendo ameaças pelo trabalho que realiza pela memória e pela justiça em ralação aos crimes cometidos pelo Estado, na época da ditadura militar. Fica aqui a nossa solidariedade. Pedimos que divulguem a denuncia que segue abaixo. Devemos lutar até o fim pelo desmantelamento de todo aparato repressivo herdado da ditadura, punir os que cometeram crimes contra os que se ergueram contra a ditadura

O GTNM/RJ que há 27 anos vem lutando pela memória, verdade e justiça do período de terrorismo de Estado que se implantou em nosso país e, em menos de 10 dias sofreu duas ameaças das forças retrógadas e saudosistas da ditadura civil-militar.

No dia 11 de julho último, cerca das 14 horas, o GTNM/RJ recebeu um telefonema anônimo em que uma voz masculina, demonstrando tranquilidade, declarou: “estou ligando para dizer que nós vamos voltar e que isso aí vai acabar”.

Hoje, dia 19 de julho, quando a secretária do GTNM/RJ chegou para trabalhar verificou que a sede do Grupo foi invadida e foram furtados do caixa do Projeto Clínico Grupal a quantia de R$1.567, 37, além de diversos documentos do grupo e notas fiscais de serviço. Alguns arquivos também foram revirados e o computador estava ligado.

Não tememos estas ameaças, elas não nos intimidarão e não nos farão recuar em nossa luta de quase trinta anos. Já passamos por outras ameaças e outras invasões em nossa sede e em nosso site.

Continuaremos exigindo e lutando por uma efetiva Comissão Nacional da Verdade e Justiça transparente e pública, pela abertura dos Arquivos da ditadura e pelo cumprimento da sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos do caso Araguaia.

Pela Vida, Pela Paz

Tortura Nunca Mais!

Publicado em: 19/07/2012

http://www.torturanuncamais-rj.org.br/Noticias.asp?Codnoticia=319

Deixe seu comentário

Leia também...

Livraria Marxista exibe “O Jovem Marx”, humano e coerente com o método dialético

Dispostos no chão e em cadeiras no auditório da Livraria Marxista, cerca de 30 pessoas …