Saiu o Foice e Martelo número 2

 

Em Bauru foi realizada a apresentação do Boletim Foice e Martelo no Parque Vitória Régia onde a sub- sede da CUT- Bauru organizou várias atividades no 1º de Maio. No local os militantes da Esquerda Marxista fizeram uma banca de venda e difusão de livros da Livraria Marxista. A banca serviu também para difundir a luta da Frente de defesa do Transporte Público que realiza campanha contra o aumento das tarifas dos ônibus. Segundo Roque Ferreira, vereador do PT e dirigente da Esquerda Marxista, a atividade foi um sucesso e o Boletim Foice e Martelo, a exemplo do que ocorreu em várias outras cidades, teve excelente recepção.

Em Bauru foi realizada a apresentação do Boletim Foice e Martelo no Parque Vitória Régia onde a sub- sede da CUT- Bauru organizou várias atividades no 1º de Maio. No local os militantes da Esquerda Marxista fizeram uma banca de venda e difusão de livros da Livraria Marxista. A banca serviu também para difundir a luta da Frente de defesa do Transporte Público que realiza campanha contra o aumento das tarifas dos ônibus. Segundo Roque Ferreira, vereador do PT e dirigente da Esquerda Marxista, a atividade foi um sucesso e o Boletim Foice e Martelo, a exemplo do que ocorreu em várias outras cidades, teve excelente recepção.

Saiu o número 2 do Foice e Martelo

Esta semana já está circulando a edição número 2 do Foice e Martelo com artigos que abordam a crescente crise entre o Congresso Nacional e o STF, revelando que uma crise está se desenvolvendo nas instituições do Estado burguês sobre os burgueses devem “enfrentar a atual situação política e econômica internacional. Esta crise se manifesta na indisfarçável vontade do STF e seus aliados de governar tutelando a nação como um poder totalitário”.

A edição desta semana do Foice e Martelo, dentre outros, trás também um artigo que trata de denunciar a condenação dos 72 estudantes da USP que foram presos por terem ocupado a Reitoria em defesa das reivindicações estudantis. O artigo reproduz parte da declaração dos estudantes dirigentes do DCE da Univille, na cidade de Joinville, Santa Catarina, que lançaram um apelo centrado nas bandeiras: “Pela retirada dos processos contra os 72 estudantes da USP! Educação pública e gratuita para todos em todos os níveis!”. O apelo chama os estudantes a realizarem uma ampla discussão em defesa dos 72 que estão sendo processados, para que a UNE organize uma greve geral nacional em torno destas reivindicações. Esse debate será realizado durante 53º Congresso da UNE no dia 1º de Julho em Goiânia. 

Em outros artigos analisamos o que ocorreu na Marcha do dia 24 de abril e no 1º de Maio, na greve do magistério que foi convocada pela CTNE e redundou em grande fracasso, explicamos porque isso ocorreu.

Adquira seu Boletim Foice e Martelo com um dos militantes da Esquerda Marxista. Leia e ajude-nos a difundi-lo em seu local de trabalho ou estudo, envie seu email para: contato@marxismo.org.br.

Deixe seu comentário

Leia também...

Defender a Revolução Russa e suas lições para a atualidade

Cem anos após a Revolução Russa, a burguesia tenta distorcer o seu legado, ligando a …