Início / Luta de Classes | Ver Mais / Rio de Janeiro: Conferência Pública com Alan Woods debate a Revolução Árabe no Sindipetro

Rio de Janeiro: Conferência Pública com Alan Woods debate a Revolução Árabe no Sindipetro

Prosseguindo a série de atividades com Alan Woods no Brasil, foi realizada a Conferência Pública do dirigente da CMI no Sindipetro-RJ no dia 04/04, onde cerca de 80 companheiros participaram numa segunda-feira à noite.

O debate foi aberto pelo dirigente petroleiro Cancela. Ele explicou a luta do Sindipetro pela Petrobras 100% estatal e como isso poderia beneficiar o povo brasileiro. Cancela usou dados que mostram que o dinheiro obtido com o Pré-Sal poderia ser utilizado para resolver uma boa parte das mazelas da educação e da saúde que afligem o povo e falou da necessidade da unidade de todos em torno desta luta.

Antes da Conferência estava realizando-se a reunião da Chapa 1 que concorre nas eleições do Sindicato (chapa da qual participa a Esquerda Marxista). Vários integrantes da Chapa, apesar do cansaço do trabalho e da reunião, ficaram para participar e ouvir o camarada Alan Woods. Havia também uma presença grande de jovens, de professores e outras categorias, além de dirigentes nacionais do PCB, inclusive o seu Secretário Geral, Ivan Pinheiro.

A Mesa dos trabalhos foi composta por Luiz Bicalho, dirigente da Esquerda Marxista e Fernando Leal, Petroleiro, membro da Chapa 1 e da Esquerda Marxista.

Alan iniciou a sua palestra explicando que durante vários anos, pelo menos duas décadas, todos os jornais, meios de comunicação, tudo que a burguesia produzia, explicava e martelava que o socialismo acabou, que a história tinha chegado ao fim com a destruição da URSS e que o reino do livre mercado traria felicidade e bem estar para todos. Ao final, a realidade do capitalismo, como Marx explicou, se impôs: a crise de 2008 trouxe à tona todas as cenas de miséria, de fome, de destruição e de guerra produzidos pelo capitalismo.

Alan relembrou que a Revolução nos países árabes não foi um raio em céu azul. Na Europa, milhares de greves varreram o velho continente. No Egito, uma onda de greves tinha acontecido durante os últimos anos. E, além disso, precisamos lembrar que isto não é apenas uma revolta no “mundo árabe”. A greve em Wisconsin mostra que a revolução não conhece fronteiras: Em Madison, uma cidade com uma população de 200 mil pessoas, 100 mil pessoas participaram de uma manifestação e da ocupação do legislativo local (Capitólio).

Isso não quer dizer que teremos a bandeira vermelha hasteada na Casa Branca nos próximos dias, mas que os trabalhadores estão se revoltando em todo o mundo. A revolução não terminou com a derrubada dos dois ditadores (Egito e Tunísia) e com a intervenção imperialista na Líbia, mas ela continuará e passará por vários altos e baixos.

Ao final Alan lembrou que o essencial em uma revolução é a necessidade dos trabalhadores terem um partido revolucionário, que unifique os socialistas e comunistas em um forte partido que seja a direção da luta. Alan convidou então os presentes a se unirem à Corrente Marxista Internacional, à Esquerda Marxista no Brasil e ajudarem a construir este partido.

Seguiu-se um debate rico, com intervenções e perguntas respondidas posteriormente pelo Camarada Alan.


Confira a programação:

31/03 (quinta) às 18:30
UFSC em Florianópolis

Auditório do CFH
Universidade Federal de Santa Catarina
Veja como foi a atividade

02/04 (sábado) às 16:00
IELUSC em Joinville

Auditório do SINDIPETRO-RJ
Av. Passos, 34 – Centro
Veja como foi a atividade

04/04 (segunda) às 18:00
Rio de Janeiro

Auditório do SINDIPETRO-RJ
Av. Passos, 34 – Centro
Veja como foi o encontro de Alan Woods com Ivan Pinheiro

05/04 (terça) às 19:00
UFPE em Recife

Auditório do Centro de Educação da UFPE
Universidade Federal de Pernambuco
Veja como foi a atividade

06/04 (quarta) às 18:30
USP

Auditório da Casa de Cultura Japonesa na USP
Próximo ao prédio da História e Geografia na FFLCH
Cidade Universitária – São Paulo
Veja como foi a atividade

07/04 (quinta) às 10:30
Fábrica Ocupada FLASKÔ

Rua Marcos Dutra Pereira, 300
Sumaré – SP (próximo a Campinas)
Km 107 da Rodovia Anhanguera
Veja a divulgação para internet

07/04 (quinta) às 18:00
São Paulo

Sindicato dos Químicos de SP
Rua Tamandaré, 348 – Liberdade
(próximo ao metrô São Joaquim)
Veja a divulgação para internet


Adquira a coletânea de artigos de Alan Woods: “Tremores Revolucionários: uma análise marxista da atual onda revolucionária nos países árabes”!

Deixe seu comentário

Leia também...

Reforma foi adiada por debilidade do governo, não pela pressão das centrais sindicais

Fala do militante da Esquerda Marxista, ex-vereador e ferroviário Roque Ferreira em ato organizado dia …

Deixe uma resposta