Início / Artigos / Internacional / “Revoluções Francesas” – Cinco encontros públicos em Paris

“Revoluções Francesas” – Cinco encontros públicos em Paris

Neste convite da seção francesa da Corrente Marxista Internacional, os trabalhadores e jovens são chamados para um ciclo de debates sobre as revoluções e situações revolucionárias vividas ao longo da história desse país.

Na Europa, como em outros lugares, os governos respondem à crise do capitalismo por meio de políticas de austeridade e contrarreformas drásticas. As condições de vida da grande maioria da população se degradam rapidamente. A crise é tão profunda que muitos economistas apontam décadas de regressão social.

Isso constitui a base de uma série de crises revolucionárias ao redor do mundo. A Grécia e a Espanha se movem nesta direção, a curto ou médio prazo. Porém, a França não ficará parada, como o demonstram o movimento contra a Lei do Trabalho e as Noites em Claro.

Para preparar o que virá é preciso estudar o passado. Ao longo de sua história, a França conheceu inúmeras revoluções e situações revolucionárias, todas ricas em lições para a nossas lutas atuais e futuras. É por isso que Paris Marx e Révolution (Seção Francesa da Corrente Marxista Internacional) organizam um ciclo de encontros públicos intitulados “Revoluções Francesas”, de 24 de maio a 23 de junho. Discutiremos especialmente as causas e as consequências internacionais desses grandes acontecimentos.

Os encontros ocorrerão sempre às 19 horas no Boulevard Vincent Auriol, 75 (metrô Chevaleret, linha 6) e após haverá uma confraternização. Compareçam!

Terça, 24 de maio – A Revolução Francesa de 1789 a 1794

Revolução burguesa por excelência, notabilizou-se contudo pela erupção das massas na arena política, em diversos momentos e em escala colossal. A “Grande Revolução” francesa permanece uma fonte de inspiração e de lições fundamentais.

Terça, 31 de maio – A Comuna de Paris (1871)

Dia 18 de março de 1871, o povo parisiense toma o poder na cidade e começa a reorganizar a sociedade sobre novas bases, sem exploradores. Nove semanas depois, a Reação esmaga em sangue este primeiro Estado Operário da história. Mas a obra dos Communards não está perdida: ela inspirará fortemente a Revolução Russa de Outubro de 1917.

Terça, 7 de junho – A greve de junho de 1936 e a Frente Popular

Início de maio de 1936, a Frente Popular vence as eleições legislativas, em um contexto de profunda crise do capitalismo. Um mês mais tarde, uma imensa onda de greves irrestritas mobiliza quase 3 milhões de trabalhadores. Contudo,  a Frente Popular entra em colapso em 1938 – e o país vira-se então em direção a uma ditadura militar. Por quê?

Terça, 14 de junho – A Revolução de Maio de 1968

A greve geral de maio de 1968 foi a mais poderosa da história. Dez milhões de trabalhadores ocuparam suas usinas, locais de trabalho, escritórios e lojas. Todas as condições para uma transformação socialista da sociedade estavam reunidas – menos uma: a Direção Revolucionária.

Quinta, 23 de junho – A próxima revolução francesa

A crise orgânica do capitalismo empurra a França – como tantos outros países – para o caminho de uma nova revolução. Qual deve ser o seu programa? Como fazer com que, desta vez, os trabalhadores conquistem e conservem o poder?

Artigo publicado originalmente em 20 de maio de 2016, no site Révolution, da seção da Corrente Marxista Internacional (CMI) na França, sob o título “Révolutions françaises – Cinq réunions publiques, à Paris.

Tradução de Herculano Fränkel.

Deixe seu comentário

Leia também...

Argentina: nossa posição diante das eleições primárias abertas

Atualmente, nós da classe trabalhadora, estudantes e camponeses vivemos uma forte investida da direita em …