Início / Luta de Classes | Ver Mais / Reunião no RJ sobre conjuntura e organização dos trabalhadores

Reunião no RJ sobre conjuntura e organização dos trabalhadores

A convite da Esquerda Marxista, uma reunião com oito trabalhadores e trabalhadoras de diferentes categorias, militantes e amigos, que sempre se encontram para participar dos atos na cidade, se realizou dia 11 de junho na Tijuca, Rio de Janeiro.

Debateu-se sobre a conjuntura nacional e internacional, a proximidade do Congresso do PSOL (todos os participantes se filiaram recentemente), as palavras de ordem mais adequadas para a conjuntura, o significado de ser militante organizado hoje e a proposta de nova organização Mulheres pelo Socialismo.

Foi consensual a crítica de que a palavra de ordem “Diretas Já” é carregada de ilusões nas instituições burguesas e não é a mais adequada aos movimentos sociais de esquerda, ainda que ela seja consequência da palavra de ordem principal das massas que gritam Fora Temer. Essa é uma política equivocada de organizações reformistas, como a direção do PT, que acreditam no capitalismo e buscam retomar a legitimidade do sistema falido do capital, e por isso, não conseguem intervir na crise política brasileira para ajudar os trabalhadores na derrubada do sistema.

A discussão foi preparada com base na resolução política da última Conferência Nacional da Esquerda Marxista e nossos camaradas se concentraram em explicar a validade das nossas palavras de ordem que têm como objetivo central ajudar a classe trabalhadora a se auto-organizar: Fora Temer e o Congresso Nacional; Por um Governo dos Trabalhadores; Por um Encontro Nacional da Classe Trabalhadora (ENCLAT).

Com um ótimo lanche preparado com café e frutas, a reunião durou a tarde inteira. Nossos companheiros e companheiras também fizeram gentis contribuições para nossa campanha financeira adquirindo a Revista América Socialista em sua 10ª edição e manifestaram interesse na agenda de formação política da EM-RJ sobre o centenário da Revolução Russa.

Mas o principal resultado foi que algumas companheiras decidiram participar da construção da organização que lançaremos em breve, Mulheres pelo Socialismo, dando continuidade à formulação da Comissão de Mulheres da Esquerda Marxista, que resultou, no RJ, num excelente encontro há três meses atrás, que reuniu 18 pessoas para debater a luta pela emancipação das mulheres, evento impulsionado e convocado pela Liberdade e Luta.

Em 2017 a classe trabalhadora tem demonstrado uma crescente disposição de luta, e nós seguiremos com ela, combatendo ombro a ombro e oferecendo espaços para ela também melhor se organizar, para melhor combater. No Rio de Janeiro, a expectativa geral é que despachemos do poder, no mesmo pacote que Temer, seu querido comparsa do PMDB, Governador Pezão, que assim como Temer perde popularidade com o avanço da nossa luta.

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …