Início / Artigos / Internacional / Resenha Literária: Ted Grant – O Revolucionário Permanente

Resenha Literária: Ted Grant – O Revolucionário Permanente

Temos o prazer de anunciar a publicação de uma nova biografia de Ted Grant escrita por seu amigo e colaborador por mais de 50 anos, Alan Woods. A seguir, oferecemos uma resenha do livro. (á direita na foto: Ted Grant, à esquerda Alan Woods)

Encontrei Ted Grant pela primeira vez em uma escola da Juventude Socialista, em julho de 1966. Ele estava dando uma palestra sobre a Revolução Russa e causou-me grande impacto. Em consequência, juntei-me à Tendência Militante e ajudei a construir o que viria a se tornar uma grande força à esquerda.

Ted Grant causou seguramente um impacto significativo sobre a política britânica, como fundador e inspirador teórico da Tendência Militante. O êxito de Militante tornou-nos conhecidos. Michael Crick, o jornalista da BBC, até mesmo descreveu a Tendência como o quinto partido político na Grã-Bretanha.

De forma alguma surpreendente, este destacável êxito foi censurado pela imprensa capitalista, bem como pela liderança direitista dos Trabalhistas. No entanto, quando Ted morreu todos os mais importantes jornais publicaram obituários que reconheciam este impacto.

Centenário

Este ano assinala o centenário de nascimento de Ted Grant. Como uma contribuição à celebração deste acontecimento, Alan Woods, que também conheceu Ted durante quase 50 anos e era seu mais próximo colaborador, escreveu esta biografia política, sublinhando sua ímpar contribuição ao movimento marxista na Grã-Bretanha e internacionalmente.

O livro é uma obra verdadeiramente notável que, utilizando-se de material de arquivo recentemente descoberto, cobre de forma abrangente o desenvolvimento da vida e das ideias de Ted, desde o seu precoce ambiente familiar, em Johannesburgo, até sua morte, em Londres, em 2006, aos 93 anos de idade.

Desde os seus precoces dias na África do Sul, Ted Grant dedicou sua vida à luta pela emancipação da classe trabalhadora. Tendo se juntado ao movimento trotskista no final dos anos 1920, ele se mudou para a Grã-Bretanha em 1934, em busca de novos horizontes. Em uma década, Ted se tornou dirigente teórico do movimento trotskista.

O livro trata do lançamento da IV Internacional e da batalha de Ted em defesa das ideias de Trotsky, o que o levou ao conflito com os líderes da Internacional depois da II Guerra Mundial. Explica as importantes questões e debates teóricos desse período e descreve a importante contribuição teórica de Ted Grant ao marxismo.

A biografia investiga a ruptura do Partido Comunista Revolucionário, que foi em grande parte resultante das intrigas dos supostos líderes da Internacional em torno de James Cannon, Ernest Mandel, Pierre Frank, Pablo e outros, que foram auxiliados nesta sabotagem criminosa por Gerry Healy.

Em Defesa da Teoria do Marxismo

Nos anos 1950, Ted foi abandonado com um pequeno grupo de camaradas, incluindo a família Deane, em Liverpool. Este foi o período mais difícil, quando, sem recursos, eles tinham de juntar os pedaços da organização. Estes foram anos sombrios no deserto. Ted proporcionava a teoria e as ideias, bem como o entusiasmo e o otimismo para manter as coisas caminhando e, no devido tempo, se entregou à tarefa de rearmar o movimento.

O livro reproduz cartas do irmão e da irmã de Ted, bem como de seus camaradas mais próximos, que fornecem uma visão valiosa das dificuldades e problemas que Ted enfrentou pessoal e politicamente.

Apesar dos vários erros e becos sem saída encontrados, Ted e o pequeno grupo em torno dele conseguiram avançar as coisas com o lançamento do jornal mensal Militant, de quatro folhas e em preto e branco. Mesmo assim, as coisas não correram bem. A Juventude Socialista tinha sido fechada e reorganizada depois das atividades delinquentes de Healy e seus seguidores. No entanto, depois de um período de trabalho paciente, as coisas começaram a melhorar e até 1970 a Tendência ganhou uma maioria política na Juventude Socialista do Partido Trabalhista.

Enquanto todos os outros grupos tinham abandonado o Partido Trabalhista, a Tendência Militante se manteve e aumentou sua força, sobretudo com o deslocamento à esquerda após a derrota do governo Wilson.

No devido tempo, a Tendência Militante erigiu um poderoso apoio não somente entre a juventude, mas também nos sindicatos e no Partido Trabalhista. Pacientemente, assumiu uma posição chave no movimento dos trabalhadores de Liverpool, o que finalmente a capacitou a controlar o Conselho da Cidade de Liverpool nos anos 1980. Nesse momento, ela tinha três deputados no Parlamento e milhares de seguidores. Este êxito desencadeou uma enorme caça às bruxas contra nós, promovida pelos estrategistas do capital que temiam uma crescente inclinação à esquerda no Partido Trabalhista. Não se incomodavam com as 57 variedades de seitas “revolucionárias” fora das organizações de massas. Elas eram consideradas uma piada.

A Classe Trabalhadora e suas Organizações

Ted compreendeu perfeitamente a importância das organizações de massa. A politização da classe trabalhadora deve inevitavelmente refletir-se nessas organizações. Elas não estavam interessadas em pequenos grupos. A calmaria na luta de classes nos anos 1950 e 1960, quando a direita dominava, deu forma a um grande deslocamento à esquerda enquanto a luta de classes reaquecia.

Até os sindicatos mais moribundos e direitistas foram atingidos, e também o foi o Partido Trabalhista, a expressão política dos sindicatos.

Para as seitas, isto sempre será um livro fechado. Eles não veem as coisas dialeticamente, mas de forma simplista: os líderes da ala direita traíram os trabalhadores; dessa forma, necessitamos de um novo partido. Simples, não é? O único problema é que os trabalhadores não sabiam disto.

Ted explicou repetidas vezes que quando as massas se movimentam politicamente, elas se movimentam através de suas organizações tradicionais – a despeito da liderança! Elas seguirão a linha de menor resistência. Isto é uma lei social.

Em março de 1959, Ted escreveu um de seus mais importantes e influentes trabalhos, Problemas do Entrismo, no qual podemos ler o seguinte:

“Para os grupos sectários dissidentes, a independência do partido revolucionário [é considerada] como um princípio, consista o partido de dois membros ou de dois milhões de membros.

“Eles não levam em conta o desenvolvimento histórico do movimento da classe trabalhadora que condiciona as táticas, ao mesmo tempo em que se mantêm os princípios marxistas. Sem táticas flexíveis é impossível vencer ou treinar as forças que devem ser conquistadas antes que um partido revolucionário possa ser construído.

“Infelizmente, o movimento da classe trabalhadora não segue a linha reta. Caso contrário, tudo o que se necessitaria fazer seria proclamar em todas as esquinas a necessidade de um partido revolucionário – como o SPGB [Partido Socialista da Grã-Bretanha] proclamou durante 50 anos a superioridade do socialismo sobre o capitalismo – mas sem nenhum resultado.

“Temos de começar com uma compreensão da classe trabalhadora e de seu movimento como ele emerge historicamente, ou seja, com a consciência determinada pelas condições objetivas, de um lado, e pela traição do estalinismo e da socialdemocracia, que, para nós, são fatores objetivos, por outro lado; e a debilidade das forças revolucionárias, que também se torna um importante fator do processo histórico. Como superar a fraqueza e o isolamento do movimento revolucionário, ao mesmo tempo em que se mantêm os princípios intactos, esta é a tarefa básica desta época.

“Que infelicidade! O movimento da classe trabalhadora raramente acompanha a linha reta. Não fora isto, o capitalismo teria sido derrubado há décadas…

“No entanto, uma coisa é um quadro do movimento revolucionário entender o papel do estalinismo e do reformismo, mas para as massas isto é diferente, e até mesmo para a vanguarda mais ativa, que, em geral, somente aprende através da experiência”.

The Militant

Ted dizia que, para se desenvolver uma Tendência Marxista, além da necessidade da teoria marxista, necessita-se de senso de proporções e de humor. Este saudável conselho nos assegurará um bom lugar no futuro.

O livro traça não somente a ascensão do ‘O Militante’, como também sua morte. Proporciona uma visão fascinante sobre um tema que permanece como um livro fechado para a maior parte dos analistas até agora. Os riscos do oportunismo e do sectarismo de esquerda estão sempre presentes. A tentativa de gritar mais alto do que sua própria voz sempre levou a atalhos e ao aventureirismo. O êxito subiu à cabeça e esta foi uma das principais causas que destruiu ‘O Militante’. Ted continuou na luta para construir Socialist Appeal.

Esta é uma verdadeiramente impressionante história de um homem verdadeiramente impressionante, contada com estilo, colorido e inteligência. No final, você se sentirá como se tivesse conhecido Ted Grant durante toda a sua vida. O livro é de leitura essencial para todos os socialistas.

Traduzido por Fabiano Adalberto

  

Deixe seu comentário

Leia também...

Incêndio na Grã-Bretanha: moradores mortos pela insensibilidade capitalista

Pouco antes de 1 hora do dia 14 de junho, um incêndio teve início no …