Início / Luta de Classes | Ver Mais / Recife: 300 pessoas na conferência pública com Alan Woods na UFPE

Recife: 300 pessoas na conferência pública com Alan Woods na UFPE

Em uma noite escaldante de 33 graus com uma umidade que poderia ser cortada com uma faca, a mais exitosa atividade com Alan Woods em seu giro pelo Brasil até o momento foi realizada na Universidade Federal de Pernambuco.

Às 19:30 da terça-feira, 5 de Abril, 300 pessoas estavam sentadas lotarando o auditório do Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco, em Recife, para ouvir o discurso do camarada Alan Woods. Já às 19:15 todos os acentos do plenário estavam ocupados e muitos ficaram de pé ou sentados nos corredores.

O público era composto principalmente por jovens, estudantes da Universidade, mas havia muitos trabalhadores e sindicalistas também: trabalhadores petroleiros, trabalhadores da indústria química, trabalhadores da saúde, professores e outros.

A reunião foi aberta por Coromoto Godoy, a cônsul da Venezuela em Pernambuco, que deu as boas vindas a Alan Woods como um amigo da revolução bolivariana e um aliado próximo do presidente Chávez. Também na mesa estava o camarada Faustão, da direção nacional da CUT e membro da Esquerda Marxista, a seção brasileira da CMI.

Alan falou por 40 minutos explicando o processo da Revolução árabe e seu papel no processo geral da revolução mundial: “Este não é um evento isolado, mas uma expressão da crise geral do capitalismo mundial”, explicou. O discurso foi seguido por uma sessão animada de perguntas e debate, durante o qual alguns sectários descontentes tentaram, sem sucesso, provocar o palestrante sobre o tema da Líbia.

Na sua réplica, Alan disse que ele era contrário ao regime de Khadafi e que a insurreição em Benghazi começou como uma verdadeira revolta popular, mas que a questão havia sido dificultada por uma série de fatores, incluindo nacionais e tribais correntes cruzadas. Ele disse que alguns elementos muito duvidosos tinham se unido ao movimento em Benghazi, incluindo ex-ministros de Khadafi e estes pediram ajuda aos imperialistas, o que mudou a situação.

“Oponho-me a Khadafi, assim como também eu era contra Saddam Hussein. Mas quando os imperialistas intervieram de maneira criminosa para escravizar o Iraque, nós defendemos o Iraque, independentemente do regime de Bagdá. Se você não consegue entender isso, eu sinto muito”, disse ele.

A enérgica defesa do marxismo feita por Alan foi recebida com uma resposta entusiástica por parte do público, muitos dos quais mais tarde parabenizaram tanto o palestrante quanto os organizadores. Como é norma nestes eventos, o encontro terminou com Alan autografando exemplares de seus livros, especialmente “Razão e Revolução: Filosofia Marxista e Ciência Moderna” e “Reformismo ou Revolução – Marxismo e Socialismo do Século XXI: uma resposta a Heinz Dieterich”, que foram publicados em português pelos camaradas da Esquerda Marxista.

O encontro deu grande impulso para a moral dos marxistas de Pernambuco, que já construíram uma base forte no movimento operário e agora estão reforçando a sua base na juventude. Muitas pessoas manifestaram interesse em colaborar com a Esquerda Marxista e com a CMI, como resultado desta atividade extraordinária.

Confira a programação:

31/03 (quinta) às 18:30
UFSC em Florianópolis

Auditório do CFH
Universidade Federal de Santa Catarina
Veja como foi a atividade

02/04 (sábado) às 16:00
IELUSC em Joinville

Auditório do SINDIPETRO-RJ
Av. Passos, 34 – Centro
Veja como foi a atividade

04/04 (segunda) às 18:00
Rio de Janeiro

Auditório do SINDIPETRO-RJ
Av. Passos, 34 – Centro
Veja como foi a atividade

05/04 (terça) às 19:00
UFPE em Recife

Auditório do Centro de Educação da UFPE
Universidade Federal de Pernambuco
Veja a divulgação para internet

06/04 (quarta) às 18:30
USP

Auditório da Casa de Cultura Japonesa na USP
Próximo ao prédio da História e Geografia na FFLCH
Cidade Universitária – São Paulo
Veja a divulgação para internet

07/04 (quinta) às 10:30
Fábrica Ocupada FLASKÔ

Rua Marcos Dutra Pereira, 300
Sumaré – SP (próximo a Campinas)
Km 107 da Rodovia Anhanguera
Veja a divulgação para internet

07/04 (quinta) às 18:00
São Paulo

Sindicato dos Químicos de SP
Rua Tamandaré, 348 – Liberdade
(próximo ao metrô São Joaquim)
Veja a divulgação para internet


Adquira a coletânea de artigos de Alan Woods: “Tremores Revolucionários: uma análise marxista da atual onda revolucionária nos países árabes”!

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …

Deixe uma resposta