Início / Artigos / Brasil / PT sem patrões: Serge Goulart pede anulação da filiação de Ivo Rosset

PT sem patrões: Serge Goulart pede anulação da filiação de Ivo Rosset

Em recurso enviado à Comissão Executiva Nacional, Serge Goulart, que é candidato a presidente do PT, levanta a Carta de Princípios do partido contra a filiação do casal Rosset, anunciada pela imprensa há menos de duas semanas.

À Comissão Executiva Nacional do PT

Companheiros,
Como filiado fundador do partido e candidato a presidente nacional do PT,

Dirijo-me à CEN do Partido dos Trabalhadores para impetrar recurso contra a filiação do empresário e patrão Ivo Rosset ao nosso partido.

Foi com terrível surpresa que milhares de petistas souberam pela imprensa que o senhor Ivo Rosset e sua esposa Eleonora Rosset, tentam filiar-se a nosso partido.

A presença de um grande empresário no interior do PT contraria os princípios do Partido dos Trabalhadores e é uma contradição com os interesses históricos e imediatos da classe trabalhadora.

A Carta de Princípios do PT afirma:

“Numa sociedade como a nossa, baseada na exploração e na desigualdade entre as classes, os explorados e oprimidos têm permanente necessidade de se manter organizados à parte, para que lhes seja possível oferecer resistência séria à desenfreada sede de opressão e de privilégios das classes dominantes.” (Carta de Princípios do Partido dos Trabalhadores, 1º de Maio de 1979)

Isto, evidentemente, significa que os trabalhadores devem se organizar em partido próprio em luta contra os capitalistas.

A Carta de Princípios é claríssima:

“Repudiando toda forma de manipulação política das massas exploradas, incluindo, sobretudo as manipulações próprias do regime pré-64, o PT recusa-se a aceitar em seu interior, representantes das classes exploradoras. Vale dizer, o Partido dos Trabalhadores é um partido sem patrões!” (Carta de Princípios do Partido dos Trabalhadores, 1º de Maio de 1979)

O Sr. Ivo Rosset é um dos proprietários do Grupo Rosset, um grupo empresarial responsável pela exploração de milhares de trabalhadores em nosso país. Sua presença é incompatível com os ideais fundadores de nosso partido.

Como chamar de companheiro um grande capitalista?

O que pensarão os petistas que trabalham nas indústrias Rosset?

Como se sentirão em relação ao PT os trabalhadores do chão de fábrica das indústrias do grupo Rosset, que têm sua força de trabalho explorada por Ivo Rosset e sua família?

Nossa Carta de Princípios diz:

“O PT não pretende criar um organismo político qualquer. O Partido dos Trabalhadores define-se, programaticamente, como um partido que tem como objetivo acabar com a relação de exploração do homem pelo homem.” (Carta de Princípios do Partido dos Trabalhadores, 1º de Maio de 1979)

Haveria este homem e sua esposa abandonado política e ideologicamente sua própria classe e se postado ao lado do socialismo, na luta contra o capitalismo?

Ivo Rosset teria reconhecido que a classe patronal, a burguesia capitalista, é a responsável por toda opressão e exploração que entristece o mundo e faz verter rios de sangue em todo o planeta buscando o lucro como o vampiro busca o sangue?

Não é possível crer nisso. Olhem as indústrias do Grupo Rosset e verão a mesma cara de todas as grandes empresas. A mesma exploração, a mesma humilhação cotidiana dos trabalhadores, a mesma dor estampada na cara daqueles que são demitidos sumariamente quando os lucros diminuem.

Abaixo transcrevo como prova trechos da carta da presidente do Sindicato de Trabalhadores Têxteis do ABC sobre uma das fábricas de Ivo Rosset, fazendo um apelo desesperado ao movimento sindical, à CUT. E, portanto a todos nós, companheiros do Partido dos Trabalhadores.

Contra demissões na Valisère

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Confecções e Similares do ABCDMRP

Desde o início da década de 90, a empresa que pertence ao grupo Rosset vem abrindo outras fábricas no interior de São Paulo e Nordeste…

A partir do ano de 2005, com a justificativa da queda do dólar e invasão da China e Índia no mercado internacional e perda de contrato de exportação, a unidade de Mauá … sofreu as maiores conseqüências, com demissões em massa em 2006, aproximadamente 800 trabalhadores, sendo 80% destes, sócios desta entidade sindical.

Outra alegação da empresa recai sobre o Acordo Coletivo de Trabalho, específico da empresa, argumentando “alto custo da mão de obra decorrente dos benefícios existentes na unidade de Mauá”…

Apesar de toda luta empreendida pelo Sindicato para manter todos os benefícios conquistados ao longo dos anos, foi surpreendido, no dia 14/12/2007, com o fechamento do setor de costura, culminando com a demissão de 200 trabalhadoras, sendo que 50% desse contingente são chefes de família.

A manutenção dos empregos na fábrica de Mauá, que até 2006 empregava número superior a 1.000 trabalhadores, é de vital importância para a categoria e para a região do ABC. Assim, imbuído desse propósito, o Sindicato solicita a cooperação, companheirismo e solidariedade, para o enfrentamento nos próximos meses de 2008.

Francisca Trajano dos Santos – Presidente

A carta está no site da CUT-SP (veja aqui), publicada em 20/12/2007. Quatro dias antes do Natal, companheiros!

Não companheiros! A filiação deste patrão e de sua esposa deve ser anulada! A CEN tem o dever de impedir que se concretize este ataque contra os princípios fundadores do PT com graves conseqüências para a classe trabalhadora brasileira.

Através deste, peço a anulação da filiação de Ivo Rosset e Eleonora Rosset, anunciadas pela imprensa em 02/10/2009.

Aguardando sua decisão,

Saudações fraternas,
Serge Goulart

São Paulo, 13 de Outubro de 2009.

=============

O companheiro Serge Goulart é candidato a presidente nacional do PT pela chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!

Saiba mais AQUI.

Deixe seu comentário

Leia também...

Eleição no AM: abstenções, brancos e nulos ocupam o vácuo deixado pela esquerda socialista

O primeiro turno da eleição suplementar para governador do Amazonas aconteceu no último domingo (6/8) …

Deixe uma resposta