Início / Artigos / Brasil / PT e PSDB: a coligação de BH (Parte 2)

PT e PSDB: a coligação de BH (Parte 2)

Os cães estão longe de soltar o osso. E aos trabalhadores resta lutar e organizar-se para tirar esses cães da direção do Partido que um dia foi seu.

Não desanime!
E nem desista!
Venha lutar com a
ESQUERDA MARXISTA!

Luiz Bicalho

O Diretório do PT de BH aprova a coligação com 29 votos a favor, 26 contra e 3 abstenções. Justificativa copiada de Lula é que é só uma coligação municipal, nada tem a ver com a coligação nacional.

Segundo o presidente nacional do PT, o programa do PT e o programa do PSDB são muito diferentes, por isso não é possível a coligação. Entretanto, após a decisão da Executiva Nacional de vetar a coligação com o PSDB, mantém-se a coligação com o PSB. E daí?

Daí que o candidato da coligação com o PSB é exatamente um ex-secretário do governador Aécio Neves e o pivô de toda a coligação com o PSDB. Assim, o que foi vetado mesmo? O que foi vetado é que o PT é contra que o governador Aécio (PSDB) apóie o candidato (PSB) indicado por… Aecio? É isso mesmo que eles estão fazendo? É uma brincadeira de mal gosto?

A verdade é que o PT está fazendo hoje o contrário daquilo pelo que foi fundado. Ele foi fundado para dar voz aos trabalhadores. “PT, PT, PT: trabalhadores no poder” dizia o velho grito de guerra dos petistas. Só que este grito de guerra foi substituído pelos seus dirigentes pela velha máxima do “eu vou me dar bem”. E esqueceram a base social que os colocou no local onde estão. E se comportam como os dirigentes dos velhos partidos burgueses com quem se coligaram – PMDB, PL, PP do Maluf, PTB e tantos outros que se lembram que o programa existe quando é necessário explicar porque não querem se coligar com alguém e esquecem quando querem fazer aliança com outro.

Mas é programa do PT manter na presidência do Banco Central um ex-presidente de banco multinacional? Uma política que proporcionou nos últimos anos uma das maiores lucratividades bancárias? Uma política que desonera a folha de pagamentos (palavrão significando que diminuem os tributos que paga o empresário sobre a folha de pagamentos) para aumentar os impostos sobre o consumo (que são pagos pelos trabalhadores)? Que fez a reforma da previdência do setor público retirando direitos dos servidores aposentados e que vão se aposentar e agora está para fazer uma reforma tributária que retira fontes de financiamento da previdência social?

A realidade é que o PT optou por fazer uma coligação com a burguesia, abandonou o seu velho grito de guerra e se rendeu aos prazeres do whisky doze anos, das gravatas e ternos de marca, dos carrões e restaurantes caros e abandonou o peão do botequim e que come a quilo em restaurante barato. Afinal, neste governo em que todos ganham, em que todos mordem um pouquinho, quando vai chegar a vez do peão?

Os jornais especulam que Aécio seria o candidato dos sonhos de Lula, bastando mudar de partido. Enquanto ocupa o seu tempo no Rio em boates da moda, com “modelos” que saem nos jornais e TVs, Aécio faz o jogo do velho político mineiro que joga em todos os times, procurando juntar todos no mesmo prato e tentar comer o banquete principal que é a presidência em 2010 sem compromissos com ninguém. Com o apoio de todos se possível. De Lula e FHC.

Aí, depois de terem jogado este jogo em que os burgueses são mestres e os dirigentes do PT se comportam como elefantes numa loja de porcelanas, os dirigentes ficam surpreendidos pelas manobras de Aécio com o respaldo de Lula e criticam… Aécio. A líder do PT no Senado, uma pouco mais terra a terra, com sua franqueza (rudeza) habitual definiu que o culpado é o PT que não apresentou candidato. Mas, pergunta-se, por que não apresentou candidato?

Ora, porque o nome do jogo é coligar com a burguesia. O nome do jogo é destruir as ligações do partido com os trabalhadores, é esquecer os bons velhos tempos do “trabalhador no poder” e substituí-los pelo novo tempo de “juntar ricos e pobres”. O Diretório Nacional do PT dará a ultima palavra, com o PT de Minas dividido. É possível que a coligação seja derrubada? Sim, é possível, pois tem também no DN-PT muita gente de olho na Presidência.

Mas também é possível que prevaleça o jogo de Lula e a coligação seja aprovada. De qualquer forma o Diretório passará longe da perspectiva de voltar-se aos trabalhadores e abandonar a burguesia. Os cães estão longe de soltar o osso. E aos trabalhadores resta lutar e organizar-se para tirar esses cães da direção do Partido que um dia foi seu.

22 de Maio de 2008

Deixe seu comentário

Leia também...

Escalada de agressão imperialista contra Venezuela! Responder com medidas revolucionárias

É evidente que nas últimas semanas o imperialismo estadunidense e seus países lacaios aumentaram a …

Deixe uma resposta