Início / Artigos / Sindical / Propostas da Corrente Sindical Esquerda Marxista da CUT à Direção Nacional da CUT

Propostas da Corrente Sindical Esquerda Marxista da CUT à Direção Nacional da CUT

Nos dias trinta de junho e primeiro de julho a Direção Nacional da CUT está reunida na cidade de Guarulhos. Na pauta está a Mobilização Nacional do dia 06 de julho. Leia abaixo as contribuições que nosso companheiro Faustão está levando para acrescentar como bandeiras de luta.

À reunião da Direção Nacional da CUT que se realiza em Guarulhos

A CUT, corretamente, batalhou pela eleição de Dilma para Presidente do Brasil. No entanto, não podemos deixar de criticar a coligação com a burguesia, que tem trazido prejuízos para a classe trabalhadora. O governo decidiu retomar o programa de privatizações de FHC com a licitação de portos e aeroportos. Dando a desculpa de “desonerar a folha” e diminuir o “custo Brasil”, quer retirar verbas destinadas à previdência social e cortar direitos dos trabalhadores por meio de uma nova reforma da previdência e, contradizendo o seu próprio discurso de que “falta dinheiro” e de que “estamos favorecendo a indústria nacional”, resolve financiar a compra do Pão de Açúcar (hoje controlado pela rede francesa Casino) pelo Carrefour (também multinacional francesa)!

O ministro da Previdência, Garibaldi Alves (PMDB, um dos partidos burgueses da “base aliada”), explicou em matéria de O Globo as propostas do governo: aumentar o tempo de contribuição para homens e mulheres, restringir ou impedir o pagamento de pensões, “desonerar a folha” – ou seja, retirar a principal fonte de financiamento da previdência. E, para completar, explicou que a proposta da CUT (o famoso 85/95) só poderia ser aceito na versão 101/105!

(Ver a matéria sobre o tema em:

http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/06/28/governo-quer-reduzir-pensoes-elevar-tempo-de-contribuicao-de-mulheres-924792531.asp)

Sim, a CUT está certa na crítica ao modelo atual, mas é preciso lembrar que a história de déficit da previdência é uma farsa amplamente conhecida para justificar a sua privatização. A dificuldade de financiamento da previdência vem justamente dos desvios de verbas para outros fins, dentre eles o pagamento de juros da dívida pública (o tal do “superávit primário”).

Proposta para a Reunião da Direção Nacional da CUT

Nesta situação, para que consigamos inclusive unificar o movimento e abarcar os problemas que todos estamos sentindo na pele, proponho que para o dia 06, além das corretas bandeiras já pautadas, como o Fim do Fator Previdenciário, sejam acrescentadas as seguintes bandeiras:

– Não à privatização dos portos e aeroportos!

– Manutenção da contribuição previdenciária patronal sobre a folha de pagamento! Não à “desoneração da folha de pagamento”!

– Manutenção dos direitos previdenciários atuais e revogação das reformas previdenciárias feitas nos governos FHC e Lula!

Severino Nascimento (Faustão)

Dirigente da CUT- PE e do Sindicato dos Químicos de Pernambuco

Contato: faustaope@gmail.com

30 de julho de 2011

Visite: www.marxismo.org.br

Deixe seu comentário

Leia também...

Uma análise sobre a assembleia do SATED e de seu processo eleitoral

Para que deve servir um sindicato de artistas e técnicos de espetáculos? No dia 4 …