Início / Artigos / Polícia mata dois trabalhadores ao tentar desocupar a Mitsubishi

Polícia mata dois trabalhadores ao tentar desocupar a Mitsubishi

Trabalhadores ocupam Mitsubishi na Venezuela, contra demissões. Polícia estadual chega atirando, ferindo e matando companheiros. Guarda Nacional chega para retirar a Polícia Estadual do local. Situação permanece tensa.

Na tarde de Quinta-Feira, 29 de Janeiro, dois trabalhadores acabaram mortos pela polícia do estado de Anzoátegui, na Venezuela. Os dois trabalhadores assassinados são Pedro Suarez, trabalhador da Mitsubishi, e José Marcano, trabalhador da empresa Macusa. Ambos foram mortos quando a polícia estadual de Anzoátegui tratava de desalojar as centenas de trabalhadores que tinham ocupado a fábrica da Mitsubishi.

Os trabalhadores da Mitsubishi tinham ocupado a fábrica em 22 de janeiro ( veja artigo sobre isso aqui ). O motivo do conflito foi a demissão de 135 trabalhadores terceirizados, que estavam contratados pela empresa Induservis. Em uma assembléia, em massa, os trabalhadores da Mitsubishi votaram por 863 a favor, 21 contra e 4 abstenções para ocupar a fábrica para exigir a readmissão de todos os demitidos. Os trabalhadores da Mitsubishi também vincularam sua luta aos conflitos nas fábricas Vivex, Franelas Gotcha, INAF e Acerven, que exigem sua nacionalização sob o controle operário.

A Corrente Marxista Revolucionária (seção venezuelana da CMI – Corrente Marxista Internacional ) tem jogado um papel dirigente nas ocupações da Vivex e da Mitsubishi.

O brutal ataque da polícia de Anzoátegui produziu-se como resultado de uma decisão de uma juíza que se dispôs a executar uma reintegração de posse. Os trabalhadores negaram-se e a polícia começou a disparar com fogo real matando dois trabalhadores e deixando outros feridos. Esta situação prolongou-se até que chegou a Guarda Nacional que deteve o ataque da polícia contra os trabalhadores. Os trabalhadores seguem dentro da fábrica, mas a juíza faz questão de executar a ordem judicial, sendo a situação muito tensa.

O governador do estado de Anzoátegui é o bolivariano Tarek William Saab. A brutal ação da juíza e da polícia é totalmente injustificada. A polícia de Anzoátegui já teve um protagonismo no ano passado atacando aos trabalhadores petroleiros em luta por seu acordo coletivo. Ao não ter sido transformada em absoluto, a polícia segue sendo a mesma que operava antes da revolução. O governador Tarek William Saab e o governo do presidente Chávez devem abrir imediatamente uma investigação para apurar os fatos e levar os responsáveis por este brutal assassinato a julgamento.

A imensa maioria dos trabalhadores da Mitsubishi são bolivarianos e muitos deles tinham se integrado à campanha do referendo da emenda constitucional que será votada em 15 de Fevereiro. Tinham recebido já apoio para suas reivindicações por parte do movimento operário de Anzoátegui e nesta mesma semana tinham recebido delegações de trabalhadores da Toyota e da Ford, cujos sindicatos estão discutindo a possível ocupação de suas fábricas em solidariedade com os trabalhadores da Mitsubishi e Vivex.

Fazemos um chamado urgente a todos os ativistas operários, à juventude, todos os revolucionários para a ação da solidariedade internacional de todo o mundo para:

– enviar mensagem de apoio e condolências aos trabalhadores através da Freteco: frentecontrolobrero@gmail.com

– e do Sindicato Nova Geração, da Mitsubishi: sindicatonuevageneracion@gmail.com

– enviar mensagens ao governador de Anzoátegui exigindo o fim imediato da violência e as ameaças de despejo contra os trabalhadores e que os responsáveis por esta matança sejam levados a julgamento. Pelos e-mails: despacho@tarekrindecuentas.com , rima.saab@tarekrindecuentas.com , dalia.vega@tarekrindecuentas.com , despacho@gobernaciondeanzoategui.com , info@gobernaciondeanzoategui.com

e por telefone através de Dalia Vega, diretora do despacho do governador (58 281 2701405-2701406)

– enviar mensagens ao governo da Venezuela, embaixadas e consulados, pedindo o fim da violência contra os trabalhadores da Mitsubishi, o esclarecimento dos fatos e punição aos culpados, a nacionalização da Vivex e o atendimento das reivindicações dos trabalhadores da Mitsubishi. Pelos e-mails dos escritórios da presidência: dggcomunicacional@presidencia.gob.ve e drsociales@presidencia.gob.ve

Modelo de Moção

Gostaríamos de expressar nosso repúdio ao assassinato de dois trabalhadores pela Polícia de Anzoátegui, Venezuela. Os trabalhadores foram mortos durante atividade política e sindical na fábrica da Mitsubishi Motor Company que está ocupada pelos trabalhadores desde 22 de Janeiro.

Este foi um assassinato brutal e injustificado, de trabalhadores desarmados que estavam apenas tentando defender seus empregos como membros ativos do movimento revolucionário venezuelano. Seu único crime foi defender seus colegas, 135 terceirizados (contratados pela Induservis) que haviam sido demitidos.

Nós solicitamos:

– Fim da violência contra os trabalhadores da Mitsubishi ou quaisquer outros trabalhadores em luta!
– Que todas as ações legais contra os trabalhadores sejam imediatamente suspensas!
– Investigação séria para apurar quem deu ordens para abrir fogo contra trabalhadores desarmados e que os responsáveis sejam punidos!
– Que o Governador de Anzoátegui, Tarek Willian Saab e o Presidente Hugo Chávez façam uma declaração pública sobre este incidente.

Vida Longa à Revolução Venezuelana!
Vida Longa à Luta dos Trabalhadores!

Deixe seu comentário

Leia também...

Por que a juventude precisa defender a revolução venezuelana?

Há um grande esforço da mídia em distorcer os acontecimentos na Venezuela, que é um …

Deixe uma resposta