Início / Documentos / Editoriais / PMDB, PP, PSB e PDT revogam o programa aprovado pelo Congresso do PT

PMDB, PP, PSB e PDT revogam o programa aprovado pelo Congresso do PT

Direção do PT passa por cima do programa deliberado pelos mil delegados no Congresso do partido, reduzindo-lhe a uma pauta para discussões.

No último dia de inscrição o comando da campanha da companheira Dilma inscreveu o “programa”. A imprensa burguesa entrou em histeria denunciando o programa “radical” inscrito. Escândalo nacional e reação imediata da direção do partido. Dilma declara que não era nada daquilo e que havia acontecido um “engano”. Alguns incompetentes haviam levado para registrar o programa aprovado no Congresso do PT e não o escrito pelo PMDB e outros aliados. No mesmo dia o “verdadeiro programa” é levado ao TSE e substitui o “equívoco”. A imprensa suspira aliviada com o novo programa que os petistas nunca leram nem discutiram.

Por ampla maioria o Congresso do PT aprovou um programa que deveria ser a base de seu programa de governo. Um texto muito longe de ser um programa socialista. Mas, fruto da pressão dos sindicatos e militantes, foram introduzidas algumas reivindicações como as 40 horas, taxação das grandes fortunas e medidas em relação à reforma agrária.

Foi o suficiente para a imprensa burguesa denunciar o “programa radical” do PT. Os dirigentes do Partido logo saíram a campo declarando que era apenas a base para uma discussão com os aliados burgueses, que ninguém devia se preocupar, etc. Realmente, quem devia se preocupar eram os mil petistas delegados cuja maioria havia votado o texto. É desconhecida qualquer discussão onde a direção tenha insistido no programa do Congresso do PT e que tenha havido, por isso, qualquer tensão com os ditos aliados.

Pelo contrário, passaram a régua e fizeram conta nova, abandonando o programa que eles mesmos haviam aprovado. Só resta explicar às centenas de milhares de petistas representados pelos mil delegados do Congresso do PT para que servem os congressos e o que vale o seu voto. Afinal, no congresso se vota algo e imediatamente os dirigentes começam a declarar que aquilo não vale, que é “só uma base” e em seguida passam outro programa com a desculpa de que os aliados assim exigem?

A colaboração de classe, a subordinação à burguesia conduz a uma crescente capitulação. Em política quem começa a dizer “A” tem que ir até o “Z”. No popular significa que “ajoelhou tem que rezar”. O resumo da ópera é que o tal programa foi simplesmente aprovado, engavetado e esquecido. E os comandantes da campanha passaram a redigir “programa verdadeiro” junto com os capitalistas que não querem saber nem mesmo de reivindicações que já são ultrapassadas mesmo na maioria dos países capitalistas avançados. A burguesia brasileira, controlada pelo imperialismo, é reacionária até a raiz dos cabelos.Os petistas devem refletir sobre estes acontecimentos tão esclarecedores.

A Esquerda Marxista não apóia o programa do PMDB e outros inscritos no TSE em nome de Dilma. A Esquerda Marxista continua a batalha para reunir todos que compreendem que é preciso romper as alianças com os partidos capitalistas que desfiguram o PT e lutar por um governo socialista dos trabalhadores.

Airton e Mariano: É hora de impulsionar os comitês em SC

A campanha começou. Adilson Mariano para deputado estadual e Airton Sudbrack para federal já são candidaturas oficializadas na justiça eleitoral. É hora de impulsionar os comitês de campanha nos bairros e cidades da região de Joinville e Jaraguá do Sul.

As campanhas da Esquerda Marxista são movidas pelo trabalho militante dos que acreditam em nosso programa e na mudança da sociedade. As empresas que monopolizam o transporte público de Joinville, estão tentando enquadrar Adilson Mariano na Lei da Ficha Limpa. Mariano foi criminalizado por ter se colocado ao lado do movimento de estudantes que, em 2003, manifestou-se contra o aumento da passagem de ônibus em Joinville. A atuação do parlamentar foi unicamente de apoio à manifestação de mais de três mil pessoas. O tipo penal sofrido por Mariano se inclui nos crimes contra a incolumidade pública.

A Lei Ficha Limpa enquadra os envolvidos em crimes contra a economia popular, a fé pública, a administração pública, o patrimônio público, o meio ambiente, a saúde pública, o mercado financeiro, abuso de autoridade, por crimes eleitorais e lavagem de dinheiro. Ao mesmo tempo que faz isso, essa lei também condena e caça os representantes que lutam ao lado dos trabalhadores. (ver artigo publicado em 05/08/2010).

O transporte coletivo acessível para todos e de qualidade é uma luta do mandato do vereador Adilson Mariano e será ampliada por ele na Assembléia Legislativa.

Sudbrack combate corrupção em Jaraguá do Sul

O governo de Cecília Konell (DEM), de Jaraguá do Sul/SC, está envolvido numa série de denúncias de corrupção. Duas Comissões Especiais de Investigação (CEI) se fornaram para cassar a prefeita, uma delas foi requerida pelo camarada Airton Sudbrack, candidato da Esquerda Marxista para deputado federal pelo PT.

Miranda recebe apoio dos vidreiros nas fábricas

A campanha do camarada Miranda segue crescendo em várias cidades do estado de São Paulo. Em Ferraz de Vasconcelos, realizou uma atividade com os companheiros vidreiros onde recebeu calorosa recepção. Miranda apoiou e apóia as lutas e reivindicações da categoria. Agora é hora de impulsionar um Comitê em Ferraz para levar a campanha para toda a região.

Miranda, junto com a diretoria do sindicato, tem participado nas mobilizações dos vidreiros nas portas das fábricas, na luta pela mudança da data base para novembro e por isso todos os trabalhadores se empolgam com sua campanha.

No dia 24 realizou atividade de organização no diretório de Caieiras e na semana seguinte esteve em todas as feiras da cidade, visitando e falando aos trabalhadores gráficos da Jandaia. Miranda esteve na Pilkington do Parque Novo Mundo e na outra unidade de Caçapava, falou aos seus 1500 trabalhadores. Esteve na boca da fábrica Wheaton que tem 2800 trabalhadores em São Bernardo . Empolgou a companheirada principalmente porque além de defender as reivindicações quer, junto com os trabalhadores, um governo socialista dos próprios trabalhadores.

Esteve ainda na Cebrace em Jacarei onde se dirigiu aos seus 900 trabalhadores.Por fim visitou a fábrica Cisper em São Miguel Paulista ajudando na mobilização e recebendo apoio de vários trabalhadores.

Em Caieiras foram realizadas panfletagens na Estação Ferroviária, nas feiras livres, no centro da cidade e também reuniões em Franco da Rocha e Laranjeiras. No dia 31 de julho, realizou-se em Caieiras uma reunião de inauguração do diretório. Estiveram presentes cerca de 50 pessoas para ouvir as palavras de Miranda e de dirigentes do partido.

A necessidade da luta pela vitória dos majoritários e dos proporcionais foi o destaque das falas. Miranda concluiu com a chamada: por um governo socialista dos trabalhadores.

Junte-se a nós!

Servidores mobilizam-se em Bauru/SP

Roque é o relator do PCCS da Educação, no dia 15 de julho convocou Audiência Pública com os servidores para abrir a discussão sobre o conteúdo do mesmo, e dar a oportunidade para os servidores expressarem suas opiniões, apresentarem suas dúvidas e sugestões.

As galerias foram literalmente ocupadas por centenas de trabalhadores da educação que apresentaram dezenas de questionamentos em relação à jornada de trabalho, concursos de acesso, progressão funcional, reestruturação das atividades de merendeiras, situação funcional de professores com dois contratos, a discriminação inaceitável de professoras que entraram na rede e que pela proposta atual estarão em uma carreira destinada à extinção, a não ser que concluam a graduação em pedagogia.

Sobre este assunto Roque afirmou: “é um ato discriminatório e ilegal, pois as mesmas teriam atribuições iguais as das professoras com graduação. Neste caso defendemos o enquadramento na mesma grade, e que seja estipulado um tempo para que as mesmas possam concluir curso superior, recebendo apoio material do município”.

Roque explicou que a melhor alternativa é a criação de uma comissão composta por vereadores, membros do Executivo, funcionários e por membros do Sindicato dos Servidores municipais (Sinserm).“Feito isso, seria construída uma proposta em consenso e o projeto seria debatido na Câmara”, opinou ele.

A Audiência Pública teve grande repercussão entre os servidores, que saíram convencidos da proposta apresenta pelo relator, vereador Roque, de que a melhor alternativa seria a criação de comissão composta por vereadores, membros do Executivo, funcionários e também por membros do Sindicato dos Servidores Municipais (Sinserm), para que o projeto seja discutido, construído os consensos possíveis, e ser remetido para a Câmara, para ser apreciado, discutido e votado.

A solicitação para a retirada temporária do Projeto de Lei foi oficializada por Roque que protocolizou requerimento ao Prefeito expondo as razões e as justificativas, insistindo para que se realize negociação direta entre Executivo e os Servidores.

Apoiamos Fernando Nascimento em PE

O companheiro deputado federal Fernando Nascimento do PT tem cumprido um papel extraordinário em defesa dos trabalhadores. Seu mandato é um mandato que é ponto de apoio aos movimentos sociais do país.

Todos os projetos pautados na Câmara em favor dos trabalhadores obtiveram seu voto favorável. Votou pelo fim do fator previdenciário, por um plano de carreira e melhoria de salários para os servidores públicos federais. Fernando combateu em defesa dos trabalhadores da Flaskô, demonstrando que não se pode tratar questões sociais como caso de polícia, e mais, teve a coragem de convocar audiência pública na Câmara dos Deputados para discutir essa questão com a presença dos trabalhadores, numa clara demonstração de que é possível levar para dentro do parlamento burguês um tema que os representantes da burguesia têm ojeriza.

Sua firmeza e coerência política são reconhecidas desde a sua atuação no movimento sindical como gráfico e professor da rede estadual em Pernambuco, assume as discussões e não nega a sua origem operária e por isso se coloca ao lado dos lutadores que resistem às pressões dos governos e do sistema capitalista.

É por tudo isso que a Esquerda Marxista deliberou pelo apoio à candidatura de Fernando Nascimento, pois o deputado centra suas ações na luta de classes e sabe que sem luta não vamos conseguir alcançar os objetivos. Fernando e os camaradas da EM têm levado um combate conjunto contra as posições que estão levando o partido à destruição. Fernando e a EM querem construir um governo socialista, sem patrões e por isso batalhamos para que ele seja reeleito deputado federal.

Juntos com os verdadeiros e honestos militantes petistas defendemos as bandeiras de origem do PT e as bandeiras históricas da classe operária.

Deixe seu comentário

Leia também...

Economia no ponto zero

As explicações econômicas para o aumento no valor do imposto sobre combustíveis são por si …

Deixe uma resposta