Início / Sem Categoria / Plenária da CMS Paraná aprova apoio à Flaskô

Plenária da CMS Paraná aprova apoio à Flaskô

ESQUERDA MARXISTA PARTICIPA DA PLENÁRIA ESTADUAL DA COORDENAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS (CMS) DO PARANÁ E APROVA MOÇÃO DE APOIO A LUTA DA FÁBRICA OCUPADA FLASKÔ

Da esquerda para direita: Antonio Carlos Spis (CUT), Roberto Baggio (MST), 
Renato Pizzatto Vivan (CMS-PR/ Esquerda Marxista), Talita (UNE).
No dia 10/04 (sábado) ocorreu na Casa do Trabalhador (CEPAT), em Curitiba, a Plenária Estadual da Coordenação de Movimentos Sociais do Paraná (CMS/PR) contando com a presença de estudantes, dirigentes sindicais, trabalhadores do campo e da cidade, entre outros militantes ligados aos movimentos sociais.

A Plenária Estadual teve por objetivo preparar os movimentos sociais do Paraná para a Plenária Nacional da CMS que acontecerá dia 30 de abril, em São Paulo e de planejar as atividades e lutas que a CMS/PR irá organizar no ano de 2010.
No período da manhã ocorreu um debate sobre conjuntura nacional com uma exposição inicial de Antonio Carlos Spis (CUT), Roberto Baggio (MST) e Talita (UNE) e posterior discussão com o plenário. No período da tarde os participantes dividiram-se em grupos para discutir: 1) Projeto Nacional Popular dos Movimentos Sociais. 2) Carta Paraná dos Movimentos Sociais. 3) Calendário Unificado de Lutas.
Ao final, foram aprovadas importantes questões que serão levadas para a Plenária Nacional da CMS, além de apontar como eixos centrais de ação da CMS/ PR, os seguintes pontos: 
1) A luta pela redução da jornada de trabalho, sem redução de salário. 
2) A campanha o “petróleo tem que ser nosso” por uma Petrobrás 100% estatal. 
3) A defesa do 3º programa nacional de direitos humanos. 
4) A luta por reforma agrária e urbana. Além de se fazer presente nas diversas lutas dos sindicatos e ajudar a organizar o movimento “Caça-Fantasmas”, que diante dos escândalos da Assembleia Legislativa do Paraná, busca denunciar a corrupção e demonstrar o caráter de classe do Estado burguês.

Plenária composta por estudantes, sindicalistas,
trabalhadores da cidade e do campo e
militantes ligados aos movimentos sociais
Os militantes da Esquerda Marxista participaram dessa atividade apontando nos grupos de discussão duas questões centrais: 
1) a necessidade dos Movimentos Sociais (CUT, MST, UNE) superarem a concepção de “projeto democrático e popular” e adotarem um programa socialista; 
2) dirigindo-se ao governo Lula exigindo que rompa com a burguesia e atenda as reivindicações da classe trabalhadora.
Além disso, apresentou-se o histórico do combate das fábricas ocupadas no Brasil, solicitando apoio à luta dos trabalhadores da Flaskô para tornar a área da fábrica de interesse social, rumo à estatização sob controle operário. Contando com a aprovação de uma moção de apoio aos trabalhadores das fábricas ocupadas e a organização de uma caravana composta por membros da CMS/ PR para conhecer a fábrica em Sumaré.

fonte: Fabiano Stoiev/Esquerda Marxista – Curitiba/PR

Deixe seu comentário

Leia também...

Eleições no Chile: A “Frente Ampla” se apresenta no primeiro turno das eleições presidenciais.

Escrito por Carlos Hernán As eleições do dia 19 de novembro no Chile mostraram uma …