Início / Luta de Classes | Ver Mais / Petroleiros mostram disposição de luta e aderem à greve de 24 horas

Petroleiros mostram disposição de luta e aderem à greve de 24 horas

 

Desde a zero hora desta quarta-feira, 26, os petroleiros de todo o país suspenderam por 24 horas suas atividades na maioria das unidades operacionais e administrativas da Petrobrás e subsidiárias. A greve nacional de advertência está tendo adesão em massa da categoria.

Desde a zero hora desta quarta-feira, 26, os petroleiros de todo o país suspenderam por 24 horas suas atividades na maioria das unidades operacionais e administrativas da Petrobrás e subsidiárias. A greve nacional de advertência está tendo adesão em massa da categoria.

Em Minas Gerais, por exemplo, a paralisação foi antecipada para as 15h30 de ontem, quando os trabalhadores da Regap cortaram a rendição dos turnos. A refinaria mineira está sendo operada pelo grupo que ingressou às 7h30 de ontem. Também em Manaus, a greve foi iniciada às 23h de terça-feira, quando os trabalhadores da Reman suspenderam as trocas de turno. Na maioria das demais refinarias da Petrobrás, a greve teve início à zero hora desta quarta-feira e prossegue até o final da noite na Bahia (RLAM), Minas Gerais (Regap), Duque de Caxias (Reduc), São Paulo (Recap) e (Replan), Paraná (Repar) e Rio Grande do Sul (Refap).

Além das refinarias, aderiram à greve a maior parte dos trabalhadores dos terminais da Transpetro, termoelétricas, usinas de biodiesel e campos de produção terrestre. Na Bacia de Campos, petroleiros de 41 plataformas suspenderam as emissões de Permissões de Trabalho (PT’s) e serviços rotineiros das unidades. No Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia e Espírito Santo, a maioria das áreas de produção marítimas e terrestres também estão sem emissão de Permissões de Trabalho desde às 7h de hoje. Veja abaixo o quadro nacional das bases da FUP que aderiram à greve de advertência.

A greve de 24 horas foi indicada pela FUP para pressionar a Petrobrás a apresentar uma nova proposta que contemple as principais reivindicações dos petroleiros. O aumento proposto pela empresa no dia 19 (entre 0,9% e 1,2%), além de não atender o pleito dos trabalhadores, está aquém do que tem sido conquistado por outras categorias.

Na sexta-feira, 28, o Conselho Deliberativo da FUP volta a se reunir para discutir um calendário de luta mais contundente. Bancários e trabalhadores dos Correios já estão em greve em todo o país. Portanto, se a Petrobrás não apresentar uma nova proposta com avanços significativos, os petroleiros poderão ser a próxima categoria a cruzar os braços por tempo indeterminado.

Quadro nacional da greve de advertência nas bases da FUP

Amazonas

Na REMAN e na Transpetro,  o corte de rendição começou às 23h, com 98% de participação dos trabalhadores do turno e 50% do pessoal do regime administrativo. No Centro de Excelência da Petrobrás, em Manaus,  98% dos trabalhadores também aderiram à greve. O mesmo acontece na  Diretoria de Gás Natural. Na IERM – SETOR ENGENHARIA DA PETROBRÁS, a adesão é total.

 Ceará

Na LUBNOR, em Fortaleza, houve uma grande concentração pela manhã, com adesão significativa dos trabalhadores do administrativo e do turno, que atrasaram a rendição. A mobilização contou com participação também dos trabalhadores da Transpetro. No campo de produção de Fazenda Belém, em Icapuí,  houve atrasos de duas horas na entrada do expediente. Nas plataformas marítimas e na Base de Apoio de Paracuru, os trabalhadores suspenderam a emissão de PTs (Permissão de Trabalho).
 
Rio Grande do Norte

A greve conta com adesão de 90% dos trabalhadores da Petrobrás no estado. Houve suspensão de Permissões de Trabalho nas plataformas marítimas e campos terrestres de produção. No Pólo Guamaré, foi cortada a rendição dos turnos. Na sede administrativa da Petrobrás, em Mossoró (base 34), os trabalhadores também aderiram à paralisação de 24 horas. Na sede de Natal, houve atrasos de 3 horas na entrada do expediente.

Pernambuco

Os petroleiros suspenderam as trocas de turno desde a zero no Terminal de Suape e no Gasoduto de Jaboatão, com adesão de 90% dos trabalhadores, inclusive os administrativos. Na sede administrativa da Petrobrás, em Recife, houve participação parcial dos trabalhadores.

Bahia

Desde a zero hora desta quarta-feira, a greve conta com adesão total dos trabalhadores da RLAM, TEMADRE, OP-CAN, EVF, UPGN, PBio, Taquipe, FAFEN, Miranga e COFIP. Em algumas bases, os trabalhadores terceirizados também retornaram para casa.
 
Minas Gerais

Na REGAP, o corte de rendição do turno foi realizado às 15h30 de ontem, com participação de 80% dos trabalhadores do turno e do HA. Na Usina de Biodiesel de Montes Claros, o  corte de rendição teve início às 7h30 de hoje, também com participação de 80% dos trabalhadores do turno e do HA.

Espírito Santo

Segundo o sindicato, houve suspensão da emissão de Permissões de Trabalho às 07h30 em todas as unidades operacionais da Petrobrás e Transpetro no estado, com participação integral de todos os trabalhadores de turno e administrativo, que continuarão paralisados até às 07h30 de amanhã. Na sede administrativa da Petrobrás, em Vitória, houve uma mobilização pela manhã.
 
Duque de Caxias

Na REDUC e no Terminal de Campos Eliseos (Tecam), há 100% de participação dos trabalhadores do turno, que cortaram a rendição às 7 horas de hoje.  Os trabalhadores do administrativo aderiram parcialmente à greve (30% na Reduc e 85% no Tecam). A Termoelétrica Leonel Brizola também participa da greve, com adesão de 80% dos trabalhadores do turno e 30% do pessoal do administrativo.

Norte Fluminense

Até o momento, os trabalhadores de 41 plataformas da Bacia de Campos estão na greve nacional de 24 horas. Desde a zero hora desta quarta-feira, eles suspenderam a emissão de Permissões de Trabalho e os serviços rotineiros, mantendo apenas as atividades relacionadas à segurança e habitabilidade das plataformas.

São Paulo

Na REPLAN, houve corte de rendição e não estão sendo emitidas Permissões de Trabalho, com 100% de adesão dos trabalhadores do turno e de 80% dos trabalhadores de regime administrativo.  Na RECAP, foi cortada a rendição à zero hora com 100% de adesão do turno e do HA. A paralisação conta com o apoio do Sindicato dos Químicos. Nos terminais de Barueri, Guararema e Suzano, há 100% de adesão à greve. Na UTE LCP, houve corte na rendição até às 12 horas de hoje. No OSBRA/Terminal de Senador Canedo, houve atraso pela manhã na entrada do expediente. No EDISP II, há paralisação parcial dos trabalhadores.

Paraná e Santa Catarina

Os trabalhadores da REPAR, SIX e dos terminais da Transpetro (Paranaguá, São Francisco do Sul, Itajaí, Biguaçu e Guaramirim) cortaram a rendição à zero hora e permanecem em greve com 100% de adesão nos turnos e no administrativo.  

Rio Grande do Sul

Desde zero hora os trabalhadores da Refap, UTE Sepe Tiarajú, Tedut e Terig suspenderam a troca de turno.

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …