Início / Artigos / Brasil / PED do PT: Primeiros elementos de um balanço

PED do PT: Primeiros elementos de um balanço

Iniciávamos a Tese da Chapa “Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!” assim:

“É hora de ser verdadeiramente realista, ou o partido e a classe trabalhadora vão pagar muito caro o caos econômico que o sistema capitalista espalha pelo mundo. Ou o PT rompe a coalizão com Sarney, Collor e os partidos capitalistas e toma medidas de defesa da classe trabalhadora ou poderemos perder as eleições de 2010, permitir a volta da direita à Presidência do Brasil, e bloquear o caminho para o socialismo.”

Encerradas as eleições do PED, onde votaram mais de 500 mil filiados, podemos constatar que a Chapa “Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!” cumpriu importante tarefa nesta desigual batalha, e conquistamos uma vaga para um de nossos companheiros na Direção Nacional do Partido.

Conseguimos remar contra a poderosa corrente da máquina da burocracia partidária e temos até o momento 3.407 votos em nossa Chapa e 3.241 votos em Serge Goulart, nosso candidato a presidente nacional do partido.

Nós valorizamos e muito os votos que obtivemos, eles expressam a vontade de milhares e milhares de trabalhadores da base de filiados do partido pela ruptura com a burguesia e só não pode se expressar de maneira contundente porque a maioria da direção do partido, ao abandonar o terreno da independência de classes e estabelecer uma vergonhosa aliança com os partidos e representantes dos inimigos dos trabalhadores, necessariamente afastou a base de qualquer debate democrático, reproduzindo os métodos típicos dos partidos burgueses que, poderão mais adiante, levar à destruição completa do PT.

Os votos que conseguimos em vários estados onde não temos nenhum militante comprovam que na base existem sinceros militantes e filiados que acreditam na força da idéia de que:

“Só o socialismo pode abrir o caminho para a Humanidade. É preciso romper a colaboração de classe com a burguesia e seus partidos, no governo e no Congresso, apoiar-se na organização e mobilização popular e começar a governar no interesse do povo trabalhador do campo e da cidade.

A atual coalizão no governo defende os interesses dos capitalistas. A dita “base aliada”, que inclui até os partidos da ditadura militar, só é majoritária no Congresso quando interessa aos capitalistas. Nenhum projeto de real e direto interesse da classe trabalhadora passa por ela.

É hora de romper com os inimigos da classe trabalhadora e governar convocando e apoiando-se na mobilização de milhões de trabalhadores em luta por seus próprios interesses.” (Tese da chapa “Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!”)

Como explicar que, por cima e contra um programa de colaboração de classes, por cima e contra um poderoso aparato milionário e submetido a interesses estranhos à classe, a Chapa “Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!” tenha conseguido praticamente dobrar sua votação em relação ao PED de 2007?

Só há uma explicação: existe vida e muita vida na base do partido. Essa vida pode a qualquer momento explodir como lava incandescente que subjaz em um adormecido vulcão. Por isso o aparato jogou pesado e em muitos casos realizou debates em pequenos espaços, em outros nem realizou.

Apesar de identificarmos que o PED é uma fórmula viciada e antidemocrática, em uma situação sem grandes mobilizações, controlado por uma direção adaptada majoritariamente à burguesia, podemos dizer que essa mesma direção não conseguiu fazer dormir a base viva do partido. Os votos que conseguimos indicam que em um momento, em uma situação de ascenso de massas, o vulcão poderá cuspir fogo e a organização marxista se elevará à altura das tarefas para avançar em direção ao socialismo. A única forma que os pró-burgueses possuem para impedir que a lava se espalhe, é acelerar o passo na direção da destruição do partido. Mas isso também provocará reações e explosões até mesmo nos quadros intermediários e na própria direção.

A existência da Esquerda Marxista, combatendo no interior do PT, contra a aliança com a burguesia, conseguiu avanços importantes em Salvador, Fortaleza, Camaçari, Guarulhos, ABC, Porto Alegre, São Paulo, Joinville, Campo Grande, Bauru, dentre outras.

No quadro com os votos na nossa chapa e no nosso candidato a presidente do PT podemos verificar o potencial que temos para a nossa construção. Acertamos na opção e acertamos na linha política, agora segue a luta pelo que escrevemos na nossa Tese:

“Um governo do PT apoiado na CUT (a única e verdadeira Central Sindical do Brasil), no MST, e nas organizações populares, tem capacidade e força para acabar com a especulação financeira, decretar o controle do câmbio, o monopólio do comércio exterior, e começar a tomar medidas de planificação da economia no interesse dos oprimidos e explorados.

É nossa tarefa como petistas socialistas explicar que contra a anarquia e caos, contra as crises permanentes do regime da propriedade privada dos grandes meios de produção, contra as conseqüências de uma economia baseada na busca do lucro, a saída é a conquista de um regime baseado na propriedade coletiva e socialista. Um regime socialista com uma economia planificada segundo as necessidades e o interesse do povo trabalhador e controlada democraticamente pelos trabalhadores.

É HORA DE SER REALISTA, COMPANHEIR@! É HORA DE SER REVOLUCIONÁRIO E SOCIALISTA. É HORA DE VIRAR À ESQUERDA E REATAR COM A LUTA PELO SOCIALISMO!

Convidamos tod@s @s companheir@s filiad@s do PT a reagir conosco na luta pelas idéias do verdadeiro socialismo, pelo programa operário e socialista capaz de abrir um caminho neste mundo de horror que o capitalismo e sua sobrevivência impõem à maioria da humanidade. É preciso rearticular o partido e construir a corrente de massas, socialista, contra a colaboração de classe e o reformismo para avançar nas conquistas e ganhar as eleições de 2010.

O PT precisa voltar a organizar e mobilizar a juventude e os trabalhadores na luta pelo socialismo ou a desmoralização política vai trazer de volta à Presidência da República a direita capitalista e entreguista que ainda controla este país. O governo do PT tem que apoiar, e se apoiar, na revolução venezuelana, retirar as tropas do Haiti e se somar às lutas dos trabalhadores em todo o mundo contra a opressão e exploração capitalista.”

É hora de avançarmos na construção da Esquerda Marxista! Junte-se a nós!

Deixe seu comentário

Leia também...

Lançamento no Rio de Janeiro encerra visita de Alan Woods ao Brasil

A série de atos com a presença de Alan Woods na América Latina chegou a …

Deixe uma resposta