Início / Luta de Classes | Ver Mais / Operários da Mercedes na luta contra as demissões

Operários da Mercedes na luta contra as demissões

Uma delegação de militantes da Esquerda Marxista visitou os operários demitidos da Mercedez-Benz, de São Bernardo do Campo, que estão acampando há 21 dias em frente à fábrica, na luta para recuperar seus empregos.

Centenas de operários demitidos da Mercedez-Benz, de São Bernardo do Campo, estão acampando há 21 dias em frente à fábrica, na luta para recuperar seus empregos.

Dos 500 demitidos no mês de maio, 200 foram através de um Programa de Demissão Voluntária (PDV). Arma da empresa para forçar os trabalhadores a pedirem a conta.

Hoje, portanto, são 300 trabalhadores que estão efetivamente em luta por seus empregos. De acordo com relatos dos presentes, a empresa está intransigente nas negociações e alega possuir ainda um excedente de 2 mil trabalhadores, que, portanto, também estão ameaçados de perder seus empregos. Na semana passada, uma delegação dos trabalhadores tentou conversar com a presidente Dilma em Brasília, porém não foi atendida.

Os demitidos explicaram que estão sem nenhuma renda, pois seus seguros desemprego foram utilizados no período de Lay-Off (suspensão do contrato de trabalho), ao qual estavam submetidos antes das demissões.

Apesar das dificuldades, o clima geral é de ânimo entre os trabalhadores. Eles estão otimistas em relação ao desfecho desse combate. Fazem severas críticas ao governo federal e relatam que enxergam a realidade de outra forma desde que iniciaram o acampamento.

Os operários acampados, corretamente apontam a necessidade de mobilizar os que estão dentro da fábrica, criando um movimento unitário e organizando uma greve até que os 300 trabalhadores sejam readmitidos. Eles estão bem conscientes de que não são responsáveis por essa crise e que não devem pagar por ela.

Uma delegação de militantes da Esquerda Marxista esteve hoje (27/06) pela manhã no acampamento, agendamos para estarmos presentes na próxima semana com uma ampla delegação de jovens, sindicalistas e simpatizantes de nossa organização. Toda solidariedade aos operários demitidos da Mercedes! Unidade e luta contra os ataques de governos e patrões!

Deixe seu comentário

Leia também...

Reforma foi adiada por debilidade do governo, não pela pressão das centrais sindicais

Fala do militante da Esquerda Marxista, ex-vereador e ferroviário Roque Ferreira em ato organizado dia …