Início / Artigos / Outras Análises | Ver Mais / Juventude / O papel da Juventude Marxista na eleições de 2012

O papel da Juventude Marxista na eleições de 2012

 

As eleições estão chegando, é mais uma oportunidade para a juventude debater e lutar por suas reivindicações: educação pública para todos, saúde 100% pública e gratuita, lazer e esporte. Os jovens marxistas participam das eleições cobrando que dos candidatos dos partidos operários que eles assumam as reivindicações mais sentidas da juventude e da classe trabalhadora, em especial se dirigem aos candidatos do Partido dos Trabalhadores (PT).

A Juventude Marxista busca organizar a mais ampla frente única em torno das necessidades dos jovens, e, a partir delas, movimentar lutas durante o processo eleitoral, cobrando que os anseios se tornem realidade.

As eleições nos propicia apresentar uma plataforma de exigências aos candidatos a prefeito do PT. O Passe-Livre Estudantil é com certeza uma das reivindicações que deve ser posta na ordem do dia. Explicaremos que essa reivindicação busca garantir o acesso à educação, e também à cultura e ao lazer. Não é justo os jovens terem que pagar para ir à escola quando a educação deve ser uma tarefa do Estado e o governo deveria garantir esse direito.

Outra luta é o combate às drogas. Não se trata de combater os traficantes e os usuários com mais polícia e armamentos, como faz a burguesia. Mas sim de construir e aplicar um verdadeiro plano para levar lazer, desporto, cultura e arte para os bairros populares. Há que se garantir bons salários e moradia digna par todos. Os governos deveriam construir oficinas profissionalizantes nas regiões periféricas. Afinal, o principal motivador para os jovens entrarem nas drogas é a falta de perspectiva, emprego e lazer.

Os programas de lazer, cultura e desporto não podem ser confundidos com projetos assistencialistas que se utilizam de mão de obra voluntária ou de estagiários com baixa remuneração. Queremos estrutura e concursos públicos para os trabalhadores que desempenharão tais funções.

Uma candidatura genuinamente dos trabalhadores deve defender o desemprego zero e vagas para todos na educação pública, em todos os níveis, da creche à pós-graduação sem precisar de programas que destinam verbas públicas para o ensino privado. Não necessitamos de políticas afirmativas como as cotas raciais, elas apenas jogam os estudantes uns contra os outros. 

Na maioria das situações os candidatos do PT estão em aliança com partidos burgueses. Nós agitamos a luta pelas reivindicações chamando o voto para que os candidatos ajudem para que elas sejam atendidas. Ao mesmo tempo explicamos sempre que se a aliança com a direita persistir não terá sucesso o atendimento das necessidades populares. Por isso exigimos de todos os candidatos e de seus partidos que eles rompam com os capitalistas.

Alguns vão querer justificar as alianças com o velho discurso da governabilidade. A Juventude Marxista deve mostrar que essa tal governabilidade só garante a maioria no Congresso e nas Câmaras quando é para aprovar medidas contra a juventude e os trabalhadores. A verdadeira maioria e a verdadeira governabilidade só podem ser realizadas com a aliança com o povo e suas organizações.

Outros dirão que não existe dinheiro para atender as reivindicações. Então exemplificaremos que dinheiro existe sim, que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) tira a metade dos orçamentos das prefeituras para pagar juros das dívidas aos capitalistas, perpetuando o sistema da dívida pública (interna e externa) e não garantindo as necessidades do povo. Não podemos aceitar que o dinheiro do povo vá para os banqueiros e empresários.

A eleição é um momento onde a discussão política surge com mais facilidade entre a juventude. Aproveitaremos esse momento para explicar o que é o capitalismo, expondo que, para as reivindicações se tornarem realidade permanente, necessitamos combater pelo socialismo. O capitalismo só trás miséria e crise, os abastados jogam seu ônus nas costas da maioria trabalhadora. Devemos lutar para dar um basta em tudo isso.

A solidariedade com as lutas dos trabalhadores em outros países, contra a crise capitalista que estremece a Europa e o mundo, deve ser posta em prática. A crise e a miséria retratam bem que esse sistema está falido.

Em São Paulo, Joinville, Bauru e outras cidades a Juventude Marxista poderá contar com um grande reforço para as lutas. Nestas cidades a Esquerda Marxista terá candidatos para vereador pelo PT conectados com os movimentos e as lutas da juventude. Em Caieiras, cidade próxima a São Paulo, a Esquerda Marxista terá candidato a prefeito pelo PT, ela será também um forte ponto de apoio e respaldo para nossas lutas.

Todo esse combate deve se reverter no fortalecimento e construção da Juventude Marxista, em sua luta no interior do PT, para que ele se conecte aos trabalhadores e à juventude e rompa com a burguesia.

Vivemos um momento propício para ganhar novos militantes para o marxismo e nos conectarmos com as lutas operárias. Assim sairemos das eleições mais fortes e continuaremos a luta pela revolução, por uma sociedade onde a juventude tenha de fato o direito não somente ao pão, mas também ao lazer e à poesia. 

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …