Início / Política Nacional e Internacional | Ver Mais / Editoriais / O encontro de Alan Woods (CMI) com Ivan Pinheiro (PCB)

O encontro de Alan Woods (CMI) com Ivan Pinheiro (PCB)

Durante a sua estada no Rio de Janeiro, Alan Woods, dirigente da CMI (Corrente Marxista Internacional) visitou a sede nacional do PCB (Partido Comunista Brasileiro) para uma discussão de três horas com dirigentes do partido.

Nesta discussão, o Secretário-Geral do PCB, Ivan Pinheiro, falou da luta que o seu grupo travou dentro do partido desde o fim da ditadura para corrigir erros anteriores e construir um partido verdadeiramente comunista.

Ivan explicou que esta tinha sido uma luta de várias décadas, primeiro através da construção de uma minoria no Comitê Central em 1980, depois da batalha contra os liquidacionistas, que deixaram o partido para fundar um partido de direita (PPS) e finalmente hoje com uma discussão dentro do partido para esclarecer e corrigir sua linha política.

A este respeito, sublinhou a crítica dos erros do passado e os erros do partido, como a tentativa de tomada do poder através de um levante nos quartéis, em 1935, e a avaliação equivocada de parte do partido quando este disse em 1964 que estava “quase” no poder, duas semanas antes do golpe militar.

Ivan destacou que os ensinamentos de Marx e Lênin foram deturpados na ex-URSS e que esta foi a causa do fracasso da experiência. Ele também criticou a velha teoria “etapista”, como um sintoma do reformismo e explicou que a luta do partido hoje é pela revolução socialista, unindo trabalhadores das cidades, do campo e arrastando outras camadas oprimidas.

Alan explicou o combate da Corrente Marxista Internacional e da Esquerda Marxista (seção brasileira da CMI) contra o reformismo dentro do PT. Ele lembrou que a primeira tarefa de todo comunista, de todo revolucionário, é elaborar idéias e palavras-de-ordem claras. A segunda tarefa é encontrar os trabalhadores onde eles estão, e geralmente são reformistas nas organizações de massa, e precisamos de orientação em relação a essas organizações, incluindo a participação nesses partidos, a fim de ajudar os trabalhadores a adotar um ponto de vista comunista. Ele elogiou o PCB em sua busca de esclarecimento político, e os resultados positivos alcançados até o momento.

No final, ambos concordaram sobre a necessidade de continuar o diálogo político que já está se desenvolvendo com a Esquerda Marxista e acrescentou que estaremos juntos nas grandes batalhas que estão por vir. Tanto Alan quanto Ivan concordaram que é essencial lutar pela vitória de Chávez nas próximas eleições (2012), onde o destino da revolução que está ocorrendo na Venezuela estará em jogo.

Deixe seu comentário

Leia também...

Reforma política: Nosso dinheiro para Bolsonaro, iscas para a esquerda e barreira para as organizações de trabalhadores

Michel Temer sancionou na sexta-feira (6/10) a reforma política, que, entre outros absurdos, desvia um …

Deixe uma resposta