Início / Artigos / No Maranhão e em todo o Brasil: Nenhum voto na burguesia!

No Maranhão e em todo o Brasil: Nenhum voto na burguesia!

Sob o argumento “Para vencer no Brasil e no Maranhão!”, direção do PT anulou resolução do congresso estadual do PT no Maranhão em nome da coalizão com a burguesia.

A maioria do Encontro Estadual do PT do Maranhão decidiu legitimamente recusar a proposta de aliança com Roseana Sarney, atual governadora e candidata do PMDB ao governo. Patrocinada por seu pai, José Sarney, a candidata Roseana tenta manter o controle da família sobre um dos estados mais pobres do Brasil como fazem há 50 anos.

As ruas da capital, São Luis, estão incrivelmente sujas e esburacadas, o casario colonial tombado pela Unesco como patrimônio mundial está despencando, literalmente. Mas, José Sarney, eleito senador pelo Amapá, mora numa mansão de frente para o mar. Um quarteirão cercado de palmeiras e em cuja praia não se permite atividades 500 metros para um lado e para outro, para não perturbar o sossego do ex-presidente e gênio literário que escreveu o ridículo “Marimbondos de Fogo”.

Nos anos da ditadura militar Sarney era governador do Maranhão quando sua polícia invadiu o sindicato dos trabalhadores rurais e estourou à bala a perna do presidente do sindicato, o companheiro Mané da Conceição.

No interior do Maranhão se vê de forma inequívoca o significado trágico do desenvolvimento desigual e combinado do capitalismo mundial. Casas de pau a pique, de sapé com teto de palha e ao lado uma antena parabólica reluzente. Dentro das casas, que são em sua maioria de chão batido, se pode assistir diretamente o canal de TV pertencente a Sarney e ficar sabendo como essa família é boa para seu povo distribuindo Bolsas-Família e outras bondades.

A oposição se concentra hoje na candidatura de Flávio Dino, do PCdoB, porque a Direção Nacional do PT decidiu, por maioria, anular o Encontro Estadual e apoiar Roseana. Seus apoiadores no Maranhão, inclusive, já entraram no governo de Roseana. Os petistas militantes, a CUT, os sindicatos e os movimentos sociais não aceitam isso e se agrupam mantendo a decisão do Encontro e fazendo a campanha de Flávio Dino. A Esquerda Marxista está de inteiro acordo com isso.

Mas, se o candidato dos petistas ao governo é Flávio Dino, isto não significa apoio ao seu candidato ao senado. O PCdoB fez uma aliança com o PSB lançando para o Senado o ex-governador Reinaldo Tavares. Este burguês foi inventado por Sarney, foi governador fantoche por duas vezes e para que não se tenha dúvida de quem é este sujeito, foi ministro dos Transportes do presidente José Sarney, na época PFL, que assumiu através de um golpe branco quando Tancredo morreu. Tancredo não havia tomado posse, portanto não existia vice, mas Sarney foi imposto por ordem dos generais que impediram Ulisses Guimarães, então presidentedo Congresso, de assumir a presidência como mandava a Constituição.

Depois a criatura Reinaldo Tavares brigou com seu criador Sarney e foi para a oposição. A resistência que iniciou recusando apoiar o clã Sarney precisa ser coerente e romper com a burguesia, neste caso com o PSB. Qualquer petista que deseja ser fiel às origens do partido não pode ter candidato ao Senado. É voto nulo para senador. A campanha é Flávio Dino governador e Dilma presidente.

Festa de Rosena

Em janeiro de 2010, Lula, Roseana Sarney e Dilma participaram do lançamento da pedra
fundamental da Refinaria Premium I no Maranhão.

Agora, mais recentemente Lula e Dilma estiveram no lançamento oficial da candidatura de Roseana ao governo do estado. Menos da metade do PT do Maranhão esteve presente. Zé Dirceu ao lado de Edson Lobão, uma grande festa decorada com fotos de Lula e Dilma.

A inauguração da refinaria em janeiro deste ano, ao que parece rendeu frutos à família Sarney. Mas a maioria do PT do Maranhão segue firme na campanha para eleger Flávio Dino. É o choque entre a base petista e os conciliadores com os burgueses que prossegue.

* Serge Goulart é membro do Diretório Nacional do PT.

Deixe seu comentário

Leia também...

Argentina: nossa posição diante das eleições primárias abertas

Atualmente, nós da classe trabalhadora, estudantes e camponeses vivemos uma forte investida da direita em …

Deixe uma resposta