Início / Luta de Classes / Não tem jeito: só com luta dobraremos os patrões. Os trabalhadores devem ir à Greve Geral!

Não tem jeito: só com luta dobraremos os patrões. Os trabalhadores devem ir à Greve Geral!

Ao invés de lutar para derrubar o PL 4330 a direção da CUT quer negociar e melhorar a imagem do Congresso Nacional. É inacreditável o conservadorismo da maioria da direção da CUT. Ao invés de querer derrubar o Projeto de Lei 4330 que institui a terceirização total, permitindo, se aprovado, também terceirizar as atividades meio, quer negociar e melhorar a arapuca.

Ao invés de lutar para derrubar o PL 4330 a direção da CUT quer negociar e melhorar a imagem do Congresso Nacional. É inacreditável o conservadorismo da maioria da direção da CUT. Ao invés de querer derrubar o Projeto de Lei 4330 que institui a terceirização total, permitindo, se aprovado, também terceirizar as atividades meio, quer negociar e melhorar a arapuca.

Sandro Mabel, do PMDB, é o autor do projeto que pretende precarizar completamente as condições de vida dos trabalhadores. Mabel é empresário do ramo de alimentação e é da base aliada do governo Dilma.

Segundo informações da CUT a votação do PL 4330 foi adiada para o próximo dia 3 de setembro, portanto depois do dia 30 de agosto quando se realiza o Dia Nacional de Lutas e Paralisações convocado pelas centrais. Sem nenhuma vergonha o Presidente da CUT declarou no sitie da entidade: “Do ponto de vista da opinião pública, esse projeto é muito ruim para a imagem do Congresso Nacional. Nossa proposta é  melhorar o texto, dando garantias aos trabalhadores ou conseguir o seu arquivamento e início de uma nova rodada de conversas”.

A declaração de Vagner não poderia ser pior. Ele afirma que do ponto de vista da opinião pública o projeto é ruim para a imagem do Congresso Nacional. Ora, o Congresso Nacional é, e várias pesquisas comprovam isso, a instituição mais desacreditada do país. E o Vagner quer livrar a cara dos picaretas do Congresso e quer dar a eles a primazia de melhorar o projeto ou arquivá-lo. Como se os picaretas se sensibilizassem com as conversas amigáveis de bastidores.

Mas o Vagner não para por aí e declara: “Queremos fazer um debate mais apropriado, que não ofereça apenas segurança jurídica para o empresário. A regulamentação da terceirização não pode piorar a legislação que temos hoje. Com esse tempo (adiamento), esperamos que o texto não coloque amarras nos trabalhadores, que tenha um melhor conceito de especialização, contratos de trabalho, tempo de duração do contrato com regras claras, salários dignos e decentes”. Isso é escandaloso para um dirigente que representa os trabalhadores da maior central do país e da América Latina. Vagner quer segurança jurídica aos patrões e aos trabalhadores aceita a negociata excluindo do acordão os trabalhadores que tenham melhor conceito de especialização, ou seja, profissões que não estiverem claras enquanto tal, com certa regulamentação, as de ‘pior’ conceito, todas poderão ser terceirizadas.

Aos trabalhadores cada vez mais está posta a necessidade de ir para a luta, organizar greves e exigir do governo, dos patrões e do Congresso Nacional e, se não recuarem, fazer a greve geral. Não pagaremos pela crise capitalista!

Revogar todas as reformas da Previdência!

Revogação imediata do fator previdenciário!

Reestatização de todas as empresas privatizadas, fim dos leilões, nenhuma privatização a mais!

Estatização de todos os bancos e do comércio exterior!

Escala móvel de salários!

Estabilidade no emprego!

Fim da terceirização. Derrubar o PL 4330!

Não pagamento das dívidas externa e interna!

Fim da lei de Reponsabilidade Fiscal!

Saúde, Educação e Transporte, públicos e gratuitos, para todos! 

Deixe seu comentário

Leia também...

Dois projetos que privatizam a Educação Infantil em Florianópolis

Estão em tramitação na Câmara Municipal de Florianópolis dois projetos de lei que atacam frontalmente …