Início / Luta de Classes | Ver Mais / Não ao MBL na Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis
Material da campanha de comunicação do Sintrasem

Não ao MBL na Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis

Nesta sexta-feira (24/2), foi nomeado para gerente de projetos inovadores da Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis um dos principais líderes do Movimento Brasil Livre em Santa Catarina (MBL) Ramiro Zinder. O MBL é um movimento reacionário que surge em 2015 para promover as respostas ao livre mercado tendo como principal bandeira o fim das políticas públicas e o estabelecimento do estado mínimo.

Em Florianópolis, durante a vitoriosa greve dos servidores municipais, o MBL tentou atacar de todas as formas a legitimidade do movimento. Colocaram-se como base de apoio dos grandes empresários, os quais assinaram uma página inteira em um dos jornais locais em favor do pacote de maldades do prefeito Gean Loureiro (PMDB). Sempre é bom lembrar que também a maioria desses grandes empresários que o MBL anda de braços dados são os mesmos que juntos hoje devem a prefeitura mais de um bilhão de reais. Cabe destacar ainda que nesses 38 dias de greve em que os trabalhadores estiveram mobilizados em favor do serviço público todos ficaram de olhos bem atentos para evitar infiltrados naquele legítimo movimento e, principalmente, denunciando em alto e bom tom integrantes do MBL que sem sucesso tentaram ali aparecer.

Empreendedor, dono de três empresas, dentre elas uma de capacitação empresarial e educacional, Ramiro Zinder é a expressão do desmonte da educação pública em Florianópolis e a abertura para sua privatização. Vejamos algumas das diretrizes para a educação aprovadas no I Congresso Nacional do MBL em novembro de 2015 das quais Zinder é signatário: “Apresentação do projeto de lei ‘Escola sem partido’ nos estados e municípios; Incentivo tributário para empresas que façam pesquisa tecnológica em áreas de ciências exatas e biológicas; Redução de impostos das escolas privadas; Gestão privada das escolas públicas através de organizações sociais e parcerias público-privadas; Facilitar o financiamento de empresas privadas em instituições educacionais em todos os níveis para fins de produção científica”. Cabe destacar que o MBL também é a favor das reformas da previdência e trabalhista proposta por Temer, do mesmo partido de Gean.

Fica claro assim, que o objetivo de Zinder é acabar com o serviço público e, por conseguinte, com a educação pública para favorecer os grandes empresários. Os trabalhadores municipais de Florianópolis repudiam a nomeação de Ramiro Zinder pela Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis e convoca todos a continuarem na luta pela educação pública, gratuita e de qualidade. #NãoPassarão!

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …