Início / Documentos | Ver Mais / Fábricas Ocupadas / Moção de apoio dos trabalhadores da Flaskô à greve geral dos trabalhadores na Europa

Moção de apoio dos trabalhadores da Flaskô à greve geral dos trabalhadores na Europa

Nós, trabalhadores da Flaskô, reunidos em Assembleia Geral na presente data, vimos por meio dessa moção saudar a iniciativa dos trabalhadores europeus de organizar uma greve geral unificada em diferentes países, e com atos de solidariedade em todo o mundo. O capital é internacional, e assim deve ser a organização dos trabalhadores. Não é à toa que Marx nos instigou com a criação da I Internacional, conclamando: “Trabalhadores do mundo, uni-vos”.

Nós, trabalhadores da Flaskô, reunidos em Assembleia Geral na presente data, vimos por meio dessa moção saudar a iniciativa dos trabalhadores europeus de organizar uma greve geral unificada em diferentes países, e com atos de solidariedade em todo o mundo. O capital é internacional, e assim deve ser a organização dos trabalhadores. Não é à toa que Marx nos instigou com a criação da I Internacional, conclamando: “Trabalhadores do mundo, uni-vos”.

Hoje é um dia histórico. A primeira greve geral internacional está sendo realizada. Que seja a primeira de muitas, e por prazo indeterminado. Somente assim conseguiremos derrubar o capitalismo e mostrar que tudo passa pela mão dos trabalhadores. É por isso que fábricas são ocupadas! Nós, trabalhadores, podemos viver sem os patrões. E se fazemos isso em fábricas, mostramos que podemos fazer em toda a sociedade. Com isso, derrubamos a democracia burguesa e seu Estado, como gestor de seus negócios. O que a Troika está fazendo com os trabalhadores da Europa é um crime. Denunciaremos esse papel da burguesia nas ruas e nas lutas, com greves, paralisações, ocupações!

Nós, que há quase 10 anos ocupamos a fábrica, e retomamos a produção sob controle operário, mostramos o que é possível fazer sem um patrão, sem a propriedade privada dos meios de produção. As conquistas sociais que fizemos somente foi possível porque a produção na Flaskô não visa o lucro, mas sim seu caráter social. Não queremos ser patrões e proprietários dos meios de produção. Não caímos na armadilha da “economia solidária” e do empreendedorismo. Somos a classe trabalhadora, e como classe, atuamos em nossa categoria (química), nos somos à toda classe trabalhadora que enfrenta a burguesia, contra os ataques aos direitos trabalhistas, à previdência, às medidas de austeridade fiscal, à organização sindical.

Por isso, saudamos a iniciativa tomada pelos sindicatos e centrais sindicais europeias, e nos solidarizamos com todos vocês, entendendo que a solidariedade internacional é o principal instrumento de classe que possuímos.

A greve é fundamental para a classe trabalhadora, como ensinou Lênin. Trotsky ressaltava o papel das greves de ocupações. Marx explicou a necessidade da greve geral. Esse é o caminho! Cruzemos os braços, enfrentemos o capital, mostrando a barbárie instalada pelo capitalismo e o papel predatório da burguesia.

Pela construção da revolução comunista internacional!

Saudações de luta,

Viva a luta das fábricas ocupadas em todo o mundo!

Viva a organização internacional dos trabalhadores!

Sumaré, São Paulo, Brasil, 14 de novembro de 2012.

Trabalhadores da Fábrica Ocupada Flaskô

www.fabricasocupadas.org.br

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …