Início / Luta de Classes | Ver Mais / Miranda renuncia da Direção do PT São Paulo

Miranda renuncia da Direção do PT São Paulo

José Carlos Miranda, militante histórico do movimento operário e do PT, dirigente da Esquerda Marxista entrega os cargos na Direção Estadual e Municipal do PT de SP declarando que:

A prostração política, o apoio incondicional ao governo de coalizão com a direita presidido por Dilma levaram o PT à falência política. Não é mais possível, para aqueles que continuam fiéis à luta pelo Socialismo e se mantém fiéis à luta da classe trabalhadora e da juventude, participar desta direção”.

José Carlos Miranda, militante histórico do movimento operário e do PT, dirigente da Esquerda Marxista, entrega os cargos na Direção Estadual e Municipal do PT de SP declarando que:

A prostração política, o apoio incondicional ao governo de coalizão com a direita presidido por Dilma levaram o PT à falência política. Não é mais possível, para aqueles que continuam fiéis à luta pelo Socialismo e se mantém fiéis à luta da classe trabalhadora e da juventude, participar desta direção”.

Miranda, militante do PT desde 1981, sempre na esquerda do partido, nunca se dobrou ao canto de sereia das políticas eleitoreiras e de alianças que desnaturaram e degeneraram o partido enquanto instrumento de luta contra o capitalismo. Mesmo em minoria manteve e mantém a luta contra a política de colaboração de classes desenvolvida pela maioria do partido.

Com esse entusiasmo foi candidato a presidente nacional (PED 2007) e a presidente estadual do PT (PED 2009 e 2013) pela chapa “Virar à esquerda! Reatar com o Socialismo!”, sendo eleito membro da direção estadual de São Paulo.

Candidato pelo PT a prefeito e deputado estadual, lutou sem tréguas contra as coligações com os partidos burgueses, ao mesmo tempo em que participou ativamente das lutas dos trabalhadores e da juventude, sempre mantendo a coerência.

O camarada Miranda declara que “Estas direções do partido faliram! Cegos pelos cargos e mandatos, não passam de correia de transmissão da política do governo Dilma. O que fazer? Iniciar imediatamente a discussão com nossos companheiros e companheiras que sempre apoiaram nossa luta, sobre a construção de uma Frente de Esquerda e quais os caminhos que devemos seguir”.

Leia abaixo a íntegra da carta renúncia do camarada Miranda:

 

Ao Presidente do Diretório Estadual PT São Paulo

Carta de renúncia,

Companheiros e companheiras,

A eleição de Dilma foi a última advertência ao PT. Mais de uma vez a direção do PT foi alertada que o único caminho para continuar ligada aos trabalhadores e à juventude é a ruptura com essa gente e a retomada da luta contra o capitalismo.

O governo de coalizão com a direita, presidido por Dilma, inicia o mandato aplicando as mesmas receitas do PSDB; e a direção do PT, apoiando esta política, está organizando um choque frontal com nossa base histórica.

Dilma nomeia inimigos históricos das lutas dos trabalhadores para compor o ministério, inclusive nomeia gente do PSDB (Levy) para comandar a economia.

Apresenta propostas de ajustes que retiram direitos dos trabalhadores e trabalhadoras na Previdência e no seguro desemprego. Anuncia mais privatizações. E a direção do partido tudo apoia.

A sede do PT Jundiaí é atacada, um diretório de SP é incendiado, e não existe reação da direção. Apenas prostração política e uma nota para a imprensa.

Em outros tempos estaríamos chamando todos os setores democráticos para ir às ruas contra estes ataques. E o que disseram Dilma, a presidenta, ou José Eduardo Cardozo, ministro da justiça, sobre isso? Defenderam o partido, se pronunciaram em escala nacional? Nada. Silêncio covarde.

Em Caieiras, onde sou membro da executiva municipal, apesar do Diretório ter resolução de oposição ao prefeito do PSD, o atual presidente do partido tem cargo de confiança nesta prefeitura e articula coligações com qualquer partido ou político em nome de “eleger” vereadores. É a completa desmoralização desta direção que se distancia sempre mais e mais dos movimentos sociais e da base.

Hoje, já não é mais possível participar destas instâncias com esta composição. Meu compromisso é com a nossa base social histórica, os trabalhadores e a juventude. Sempre combati para que o PT virasse à esquerda e retomasse a luta contra o capitalismo. As atuais instâncias do partido não estão interessadas nisso.

Assim, não me resta outra opção que renunciar aos cargos de membro da direção estadual do PT São Paulo e da Executiva e Diretório de Caieiras. 

Estaremos sempre juntos na luta dos trabalhadores e organizando aqueles que se mantém fiéis à luta pelo Socialismo.

Saudações Socialistas.

José Carlos Miranda

Membro da Direção Estadual do PT São Paulo

Membro da Executiva do Diretório Municipal de Caieiras

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …