Início / Artigos / México: Parem os ataques contra membros do CLEP-CEDEP

México: Parem os ataques contra membros do CLEP-CEDEP

Campanha de solidariedade contra a repressão ao movimento estudantil no México.

A crise econômica empurrou ao desespero o governo de Calderón. As finanças do Estado estão sofrendo como nunca, refletindo-se nos maiores ajustes e cortes de gastos públicos, especialmente naqueles itens relacionados com as necessidades das famílias trabalhadoras da cidade e do campo. Esta política de ajuste e cortes provocou uma forte inquietude entre os estudantes, professores e trabalhadores da educação pública, pois vêem como suas condições de estudo e trabalho se deterioram dia a dia, fazendo que o fermento deste descontentamento seja cada vez mais evidente.

Em particular nas universidades públicas existem níveis de tensão que põem na ordem do dia a enorme ocorrência de importantes manifestações de repúdio contra as políticas de Calderón e das autoridades universitárias, motivando essas últimas a impulsionar medidas reacionárias, que tratam de impedir a todo custo que o descontentamento se transforme em lutas abertas em defesa da educação pública e dos direitos trabalhistas. Agora pretendem transformar a perseguição e o assédio em uma constante contra todos aqueles que se atrevam a levantar a voz contra os ataques à educação.

Recentemente, essa mesma política foi implementada, de maneira grotesca, contra jovens estudantes do IPN, a UNAM e a UAM [universidades mexicanas]. No caso do Politécnico, não só foi o governo federal quem impulsionou essa política, mas também as autoridades educativas.

Já em 2007 foram impulsionadores de um dos ataques mais severos que o movimento estudantil sofreu nessa instituição. Mediante um operativo gângster, 10 estudantes desta escola foram detidos com uso de violência, lhes julgaram por coisas não cometidas e, finalmente, a 4 deles foram declarados culpados, apesar da inconsistência e falsidade do caso.

Hoje, novamente são as autoridades do IPN as que açoitam contra os jovens pertencentes à CLEP-CEDEP [organização estudantil]. Mediante cartas apócrifas, enviadas a diversas organizações sociais, difama-se, uma e outra vez, aos companheiros, lhes lançam ameaças e levantam contra eles averiguações por delitos que nem sequer se explicam.

Isto se soma à campanha que implementaram também contra membros do CLEP-CEDEP na UNAM. Da mesma forma molestam os companheiros, lhes seguem às suas casas, tiram fotografias desde automóveis suspeitos parados fora de suas casas e, além disso, enviam convocatórias, via internet, para que lhes golpeiem quando sejam vistos nas escolas.

Ambos os casos, os do IPN e os da UNAM, se encaixam dentro do processo de luta de classes que vivemos em nosso país. As mobilizações massivas dos estudantes e dos trabalhadores em defesa do SME [Sindicato Mexicano dos Eletricitários] e do LyF deixaram tremer o governo de Felipe Calderón, que, como um cachorro encurralado, lança furiosos ataques.

É de conhecimento do movimento dos trabalhadores e do movimento estudantil, que este tipo de método é utilizado pelo governo para amedrontar os dirigentes sociais e para que desistam de sua luta. O que não sabem é que é necessário mais que isso para remover de um lutador social a convicção de lutar por um mundo melhor para os trabalhadores e suas famílias.

Em virtude de que as autoridades educativas e o governo federal seguem implementando este tipo de métodos para atacar as organizações e movimentos sociais, nós, membros do CLEP-CEDEP, deixamos claro que somaremos mais jovens à luta e que vincularemos, com mais afinco, nosso movimento com o movimento dos trabalhadores. Buscamos solidariedade, onde for necessário, não só em nível nacional, mas em nível internacional e, além do mais, responsabilizaremos o governo de Felipe Calderón, a seu representante no IPN, Enrique Villa Rivera e à Reitoria de José Narro Robes, de qualquer ataque, verbal, físico ou psicológico, que possa se suceder contra os membros do CLEP-CEDEP.

Fazemos um chamado ao movimento dos trabalhadores e ao movimento estudantil do México e do mundo para que defendam, junto a nós, as seguintes exigências:

Parem os ataques contra membros do CLEP-CEDEP

Dr. José Narro Robles
narro@servidor.unam.mx

Dr. Enrique Villa Rivera
Diretor Geral do IPN
dirgral@ipn.mx
jvilla@ipn.mx

Lic Fernando Gómez Mont
Secretaria de Governo
secretario@segob.gob.mx

Os jovens e trabalhadores assinam abaixo:

1. Repudiamos os métodos repressivos que o governo de Felipe Calderón e seus comparsas nas escolas, José Villa Ribera e José Narro Robles, implementaram contra o movimento estudantil e os membros do CLEP-CEDEP, assim como do movimento dos trabalhadores, dos sindicatos e das organizações e movimentos sociais.

2. Nos solidarizamos com as lutas que a juventude, os trabalhadores e, em geral, o povo do México, estão realizando contra a política anti-trabalhadores e anti-popular que o governo do direitista Felipe Calderón está implementando.

3. Exigimos a retirada imediata das Averiguações Prévias levantadas contra Claudia Jay Aguilar e Luis Enrique Orihuela Martinez, assim como dos delitos que possam estar acusando dado que, ambos companheiros, não fizeram nada mais que defender os direitos dos estudantes e dos trabalhadores.

4. Exigimos o cessar dos assédios de que já foi objeto o companheiro Héctor Aguilar Campos no último período.

5. Da mesma forma demandamos o respeito incondicional dos direitos democráticos e sindicais do conjunto dos trabalhadores do IPN, razão pela qual demandamos o cessar imediato da campanha de perseguição e assédio que as autoridades desta instituição lançaram contra os trabalhadores Samuel Sotelo Crespo e Patrícia Góngora.

6. Responsabilizamos o governo de Felipe Calderón, a Enrique Villa Rivera, Diretor Geral do IPN e a José Narro Robles, Reitor da UNAM, por qualquer ataque que possam sofrer os companheiros antes mencionados, ou qualquer outro membro do CLEP-CEDEP.

7. Nos comprometemos a levar adiante uma campanha de solidariedade em nossos centros de estudos e nossos sindicatos, informando sobre o caso destes companheiros e da resolução que possa ter.

Basta de ataque contra os jovens do CLEP-CEDEP!
Unidos e organizados… Venceremos!

27 de Outubro de 2009.

Deixe seu comentário

Leia também...

Corbyn, ignore os hipócritas e diga: Tirem as Mãos da Venezuela!

Deputados trabalhistas de direita estão pressionando Jeremy Corbyn a condenar o “ditador” venezuelano Nicolás Maduro …

Deixe uma resposta