Início / Artigos / Internacional / Marchas e contra marchas na Líbia

Marchas e contra marchas na Líbia

Wanderci Bueno

Hoje o noticiário internacional informa que Khadafi segue buscando organizar uma contra ofensiva e que o Conselho Nacional de Transição irá realizar eleições dentro de 8 meses.
A burguesia líbia se agita, os ricos donos dos latifúndios temem pela perda de seu poder e de suas terras e Tio Sam está de olho no petróleo líbio.  Todos estão desesperados na caça de alguém que consiga estabelecer um novo governo, coesionar as diferentes milícias que tiveram origem na desagregação das tropas regulares, contando com diferentes líderes que têm diferentes interesses. Todos estarão confrontados às aspirações populares, os trabalhadores e a juventude procurarão dar vazão às suas históricas reivindicações reprimidas há anos. 


A burguesia está dividida e o imperialismo titubeia em meter suas tropas diretamente em terra. Talvez melhor esperar. Há também o fato de que tanto Inglaterra como França estão em meio a uma crise e enfrentam forte resistência das massas dentro de seus próprios países e os EUA, também em crise, estão pagando altos custos por terem se metido em invasões no Iraque e Afeganistão, ainda empantanados por lá.
O auto denominado Conselho Nacional de Transição é integrado por gente graúda do próprio governo Khadafi. Um exemplo típico desta fauna é o ex-ministro da Justiça, Mustafa Abdul Jalil que parece ser bem relacionado com os proprietários de terras e com a burguesia. Ao que tudo indica o Conselho está manipulando para tentar ajudar a Khadafi e família. Talvez uma saída negociada possa levar à uma maior radicalização entre a população que começa a se sentir traída pelos dirigentes do CNT.
Se o Conselho Nacional de Transição seguir perdendo a confiança dos rebeldes e estes tomarem sozinhos o bunker de Khadafi, a situação pode se acelerar e os burgueses e imperialistas podem perder o controle da situação. Todos, absolutamente todos, incluindo a direção do CNT, passando pela Inglaterra, França, EUA, Alemanha, tramam para minar a força rebelde e instalar um governo burguês fiel ao capital.
Se Khadafi não caiu ainda, de fato ele já não tem mais poderes. A Líbia é um país sem governo!

Deixe seu comentário

Leia também...

Argentina: Mobilização para combater os capitalistas e seu ajuste

O governo federal avança a toda velocidade tentando impor o ajuste disfarçado de reforma. Assim …