Início / Política Nacional e Internacional | Ver Mais / Editoriais / Maranhão: DN-PT anula Encontro e apóia Roseana Sarney

Maranhão: DN-PT anula Encontro e apóia Roseana Sarney

A maioria da Direção Nacional do PT, em 11/06/10, em Brasília, por 43 votos a favor e 30 contra, decidiu anular o Encontro do PT no Maranhão e apoiar Roseana Sarney ao Governo do estado.

O argumento central para rasgar a democracia partidária e entregar o PT à oligarquia Sarney foi explicado claramente por Zé Dirceu: “O ‘Projeto Nacional’ exige esta aliança. Precisamos sair com 2 milhões de votos do Maranhão. Assim como no Pará temos que sair com 4 milhões. Isso para compensar os 6 milhões de vantagem de Serra em São Paulo.”

Com essa decisão a maioria da direção acelera seus golpes contra o PT como um partido de trabalhadores e trabalha para esfacelar e desmoralizar sua base militante.

Manoel da Conceição, fundador do PT, 75 anos de idade e mais de 50 anos de combates ao lado dos camponeses. Membro da primeira Executiva Nacional do PT e seu primeiro Secretário Agrário Nacional, Mané da Conceição foi impedido de falar. A alegação foi “ele não é membro da direção e nem Deputado Federal”. Mané, defendendo a decisão dos militantes escreveu uma emocionante e acusatória Carta ao Presidente Lula.

Por proposta de Berzoini e Valter Pomar a discussão política foi literalmente abortada. Afinal não lhes interessava de forma alguma permitir que o partido discutisse e se questionasse toda a política nacional de alianças com a burguesia. Nós, da Esquerda Marxista, propusemos que após a exposição de motivos de José Eduardo Dutra sobre porque anular o Encontro e apoiar Roseana Sarney, fosse aberta a discussão. Valter e Berzoini propuseram, e tiveram o apoio do CNB (Construindo um Novo Brasil – antiga Articulação), DS (Democracia Socialista), AE (Articulação de Esquerda), e outros, que a discussão deveria ser sumária, com quatro defesas contra e quatro a favor, seguida de votação. Assim foi feito e após sorteio das intervenções a fatura foi liquidada e o partido entregue a Sarney.

Essa maneira burocrática de discutir serve perfeitamente aos que aprovaram as alianças com o PMDB, PP, PSB, PR, etc., em todo o Brasil embrulhando o partido para enterro e tentam agora salvar a sua própria cara frente aos militantes que resistem.

Demonstrando que um acordo já havia sido passado entre Lula e Sarney, os principais dirigentes do partido defenderam a anulação do Encontro e da aliança com Roseana. Falaram José Dutra, Berzoini, Genoíno, Vacarezza e Zé Dirceu. A decisão teve o apoio de João Paulo, ex-prefeito de Recife, Marta Suplicy, Novo Rumo e PTLM.

Após a decisão o Deputado Federal Domingos Dutra, do Maranhão, e Mané da Conceição entraram em greve de fome no Plenário da Câmara de Deputados. Os companheiros Bira e Bembem, anunciaram uma Plenária de resistência no Maranhão para organizar a continuidade da luta. Eles contam com todo nosso apoio.

Mas, essa resistência tem que ser articulada nacionalmente, pois a destruição do partido avança estado por estado. A política de alianças com os partidos capitalistas é diretamente responsável por subordinar cada vez mais o PT aos partidos burgueses. É só ver a participação nas eleições para governador. Em 2002, o PT teve 23 candidatos a governador. Em 2006, o PT foi reduzido para 17 candidatos a governador e finalmente em 2010 o PT tem só 11 candidatos a governador.

Neste momento o que estão sofrendo os petistas do Maranhão é de certa maneira também o que estão sentindo os petistas de Minas Gerais que souberam pela imprensa que não tinham mais candidato ao governo e que o PT ia apoiar Hélio Costa, do PMDB.

Ou em Alagoas, onde a direção do PT decidiu apoiar nada menos do que Collor de Melo, que o povo derrubou nas ruas liderado pelo PT e pela CUT.

Ou em Brasília, onde a situação também é escandalosa. Para pavor dos petistas a direção abriu mão das duas candidaturas ao Senado (uma para Cristovam, do PDT, e outra para Rollemberg, PSB), e dá a vaga de vice para o PMDB. Ou seja, o PT sumiu das majoritárias. E o candidato a governador acabou de entrar no PT vindo do PCdoB.

Em PE, o Encontro aprovou uma moção de condenação do governador Eduardo Campos, do PSB, por ter reprimido professores e a direção do partido cancelou a decisão. Isto depois de Eduardo Campos ter descido a borracha em metalúrgicos, servidores da saúde e outros.

É a política de Alianças com os partidos capitalistas, a colaboração de classes e a sustentação do capitalismo que está destruindo o PT. É contra isso que a Esquerda Marxista luta e convida todos os petistas que querem continuar fiéis à luta pelo socialismo para se reunir e organizar a resistência e a continuidade da luta pelo socialismo. É hora de virar à esquerda e reatar com o socialismo.

* Serge Goulart é membro do Diretório Nacional do PT.

Deixe seu comentário

Leia também...

A situação política e o Congresso do PSOL

O governo Temer e o podre Congresso Nacional aprovam duros ataques contra a classe trabalhadora. …

Deixe uma resposta