Início / Artigos / Lula, Dilma, Zé Dirceu, o leilão de Libra, significado e consequências

Lula, Dilma, Zé Dirceu, o leilão de Libra, significado e consequências

Lula, Dilma e Zé Dirceu dizem que o leilão de Libra foi um sucesso. A revista alemã Der Spiegel diz que o Brasil leiloou um “tesouro por uma pechincha”. Já o Wall Stret Journal diz que o país deu um passo rumo ao patamar das grandes nações produtoras de petróleo. O imperialismo goza e parabeniza os “grandes estadistas” brasileiros que vendem a pátria.

Lula defendeu, em Lisboa, a concessão do campo de petróleo de Libra. Falando à imprensa Lula atacou a postura de quem criticou o resultado da concessão. Confirmando que para ele mais capitalismo é mais felicidade declarou, sorrindo, “Eu acho uma bobagem muito grande as pessoas terem vergonha de ficarem felizes. A verdade é que o leilão de Libra foi uma coisa extremamente importante”. E para espanto maior (de algum petista ingênuo) falou isso justamente na festa de comemoração de 25 anos da Odebrecht em Portugal. Da Odebrecht, a empreiteira, a vampira, a sanguessuga de obras públicas, que o levou até lá como amigo, para ajudar nos seus negócios, evidentemente.

Já Dilma declara que o Leilão estabeleceu um equilíbrio justo” entre os interesses do Estado e as empresas que vão explorar e produzir o petróleo!

Libra, que vale 1 trilhão e meio de Reais, no mínimo,  foi entregue para um consórcio formado por Petrobras, Shell, Total e as chinesas CNPC e CNOOC, por 15 bilhões de Reais. Agora estas empresas, com o certificado do Pré-Sal vão a mercado buscar dinheiro para investir. Só quem vai botar dinheiro vivo nosso é a Petrobrás que vai operar a extração.

Além disso, esta privatização dos recursos naturais do país coloca algumas das maiores empresas de petróleo do mundo no controle da maior reserva de toda a história do Brasil, num leilão sem concorrência. As outras 65 empresas globais de petróleo nem se apresentaram no jogo em que elas mesmo haviam marcado as cartas. E Dilma afirma que há “equilíbrio”. Como se ninguém conhecesse a cartelização das multinacionais e das grandes empreiteiras que “acertam” quem vai ganhar o “leilão” muito antes.

Já Zé Dirceu tem a arrogância e o cinismo de publicar um post em seu Blog afirmando que “Não há nem desnacionalização e nem privatização. Não exportaremos apenas óleo bruto. Estão em construção três super-refinarias e temos uma indústria petroquímica em condições de crescer.” Manipulação intencional de palavras. A venda de Libra é um fato em si e nada tem a ver com quantas empresas os capitalistas vão construir depois, ou o BNDS vai financiar com dinheiro público. E quando diz “temos indústrias petroquímicas” está falando da Braskem, que pertence à Odebrecht que Lula ajuda em Portugal, e nas outras multinacionais ou empresas que a Petrobrás vendeu?

E entregar o controle do maior campo de petróleo do Brasil para as multinacionais e para o Estado chinês, isso não é desnacionalização?!

Cinismo e mentira viraram métodos de governo ou de defesa do governo.

O que não se poderá apagar da história é que entregaram o petróleo brasileiro ao capital internacional, mandaram o Exército, a PF e a PM reprimir sindicalistas, jovens e manifestantes e ainda cantam vitória. De fato, é uma vitória do capital nacional e internacional que utiliza ex-socialistas para saquear a nação e espoliar seus recursos e seu povo.

Em troca o governo promete aumentar o dinheiro público para a Educação privada, para a Saúde privada e para o transporte privado. Sim, pois é isso que tem feito permanentemente. E Dilma anunciou em sete de setembro que vão continuar privatizando ferrovias, portos, aeroportos, hospitais universitários, hidrelétricas, etc.

Com o Leilão de Libra rasgam a bandeira, o Manifesto e a Carta de Princípios do PT. Estão destruindo o partido em defesa do capitalismo, submissos ao capital nacional e internacional.
Após o leilão de Libra, da repressão enviada pelo governo federal, perdemos o companheiro Cancela e muitos outros que se vão silenciosamente. Uma companheira de muitas batalhas, a Mara, nos escreveu após o Leilão vergonhoso. Ela dizia “Oi, vcs vão continuar no PT? cansei de espera-los, estou me desfiliando esta semana, abss.”

Sim, querida Mara. Nós vamos ficar. Erguendo bem alto nossas bandeiras e esperando a chegada dos batalhões pesados da classe operária, os metalúrgicos, os químicos, os plásticos, os ferroviários, os correios, os bancários, e milhões e milhões de outros que ainda tem profundas ilusões na direção do PT e no governo que elegeram.

Nós queremos marchar com eles e pedimos aos nossos bons companheiros que se adiantam na marcha que não se afastem muito, que não percam contato com o grosso da caravana que atravessa o deserto. Lembramos a todos nossos companheiros impacientes – que se revoltam muito justamente contra a política pró-capitalista da direção do PT e do governo – que para atravessar o deserto a caravana tem que ir junta. E para isso quem marca a velocidade é a carroça mais lenta. A que vai na frente deve impor o rumo e forçar o ritmo sem se descolar do restante. A carroça que se lança à frente sem o restante morre de sede delirando no deserto e nunca chega a seu destino.

Isso não tira a valentia e a honra dos que partem e se distanciam, mas não resolve o problema. Só com as massas organizadas, conscientes e em combate, enterraremos o regime da propriedade privada dos meios de produção e começaremos a construir o socialismo. Não adianta rir nem chorar, é preciso compreender e organizar.

Enviar a repressão contra os combatentes pelas bandeiras históricas do PT cava um rio, um rio de sangue, entre a cúpula do PT e a classe trabalhadora e a juventude. Podem ainda ganhar eleições, mas não há mais volta. Passaram o Rubicão outra vez e não reatarão jamais os laços com o movimento operário organizado. Como controlam as organizações de massa podem ainda sobreviver por um tempo. Mas, a luta de classes é mais forte que os aparatos mais fortes. Serão derrotados. É inevitável.

Cabe aos marxistas, aos combatentes petistas e outros, unir, organizar e construir a corrente revolucionária de massas que abra o caminho para retomar a luta de classes e virar o Brasil, ajudando a aprofundar a maré revolucionária que banha o planeta.  
O vídeo abaixo e a tristeza do companheiro Cancela anunciando a ruptura com o PT e o que vai fazer deve ser fonte de revolta, de organização e de combate ainda mais firme por nossas ideias, nosso programa e nossos objetivos socialistas e revolucionários. Apesar dos golpes e das perseguições nunca estivemos tão animados. Nós somos otimistas. E vamos vencer.

Companheiro Cancela, Mara, saudações. Não se distanciem…
https://www.youtube.com/watch?v=qgzYtHnO3cI

Deixe seu comentário

Leia também...

Argentina: nossa posição diante das eleições primárias abertas

Atualmente, nós da classe trabalhadora, estudantes e camponeses vivemos uma forte investida da direita em …