Início / Luta de Classes | Ver Mais / Liberdade ao companheiro Fábio Hideki! Abaixo a repressão!

Liberdade ao companheiro Fábio Hideki! Abaixo a repressão!

No último ato “Não Vai Ter Copa”, a brutal repressão policial novamente se fez presente, com bombas, agressão física e dessa vez, até tiros para o alto. Manifestantes foram mais uma vez detidos sob as mais absurdas alegações, que iam desde posse de drogas até formação de quadrilha!

No último ato “Não Vai Ter Copa”, a brutal repressão policial novamente se fez presente, com bombas, agressão física e dessa vez, até tiros para o alto. Manifestantes foram mais uma vez detidos sob as mais absurdas alegações, que iam desde posse de drogas até formação de quadrilha!

Um dos manifestantes presos é o companheiro Fábio Hideki, estudante da USP e técnico em farmácia. Fábio é funcionário do Instituto Butantã e estava bastante ativo na greve dos funcionários da universidade, que tiveram 0% de reajuste e seguem na luta para reverter mais este ataque da reitoria. Sua prisão foi bastante sentida por muitos estudantes, funcionários e professores da USP.

A Esquerda Marxista, que sempre criticou a palavra de ordem “Não Vai Ter Copa”, por não dialogar com a maior parte da população, é incondicionalmente solidária a qualquer militante de esquerda que sofra com a repressão do estado burguês, independente da bandeira ou palavra de ordem que carregue. Devemos todos unir-nos para barrar as ações repressivas da policia, que só vão aumentar no próximo período.

Como diz o manifesto da campanha Público, Gratuito e para Todos:

ABAIXO A REPRESSÃO!

“Não podemos aceitar que a juventude pobre e trabalhadora continue a ser aterrorizada e assassinada nas periferias de todo o país pela Polícia Militar. Também não podemos aceitar que todas as vezes que decidimos levantar a cabeça e erguer nossas vozes contra as injustiças, que decidimos protestar e nos manifestar, o Estado coloque todas as chamadas “forças de segurança” para nos reprimir. Tratam-nos como criminosos, chegando ao absurdo de nos acusar de “formação de quadrilha”, “vandalismo”, etc. Não! Não somos criminosos! Não aceitamos que continuem a criminalizar as lutas sociais! Exigimos liberdade de expressão e direito à livre manifestação! Exigimos que todos os manifestantes presos sejam soltos, que todos os processos contra manifestantes sejam retirados! Que todas as condenações sejam anuladas! Nenhum ativista preso, nenhum militante político criminalizado!”

Deixe seu comentário

Leia também...

A juventude no lançamento do livro Stalin, de Leon Trotsky

Repercussão do lançamento da edição brasileira em São Paulo No dia 4 de outubro de …