Início / Luta de Classes | Ver Mais / Lançamento do livro ‘Reformismo ou Revolução’ de Alan Woods

Lançamento do livro ‘Reformismo ou Revolução’ de Alan Woods

‘Uma resposta contra toda uma série de teóricos e intelectuais que buscam negar a validade e atualidade do marxismo.’ (Jornal Luta de Classes)


É com enorme satisfação que a Editora Marxista apresenta no Brasil o livro de Alan Woods, Reformismo ou Revolução. O livro, já editado em dezenas de países em diferentes línguas, não poderia ser publicado em momento mais oportuno. Aqui no Brasil dividimos a obra em três partes, cuja primeira será lançada em 22 de Outubro.

O pano de fundo da obra é uma polêmica que Alan Woods trava com Heinz Dieterich, intelectual alemão que vive no México e se auto-intitula o mentor do Socialismo do Século 21, tornando-se conhecido no debate sobre os rumos da Venezuela.

Com muita competência, Alan mostra como as idéias de Dieterich, longe de apontarem a perspectiva do socialismo, no fundo são uma surrada repetição de idéias reformistas muito antigas.

Mas Reformismo ou Revolução é muito mais do que a polêmica com Dieterich. Na verdade, é uma resposta contra toda uma série de teóricos e intelectuais que buscam negar a validade e atualidade do marxismo.

Vivemos nas últimas décadas, em especial após a queda da URSS (União Soviética) e do Muro de Berlim, uma verdadeira avalanche ideológica contra o marxismo. Os intelectuais da burguesia buscaram a todo o custo – e conseguiram em grande medida – associar a derrocada dos regimes de inspiração stalinista do Leste Europeu à falência do marxismo e do socialismo.

Recentemente, com a crise econômica, tem havido um resgate de Marx e de seu pensamento. Entretanto, muitas vezes o que se tem resgatado é uma versão domesticada do marxismo. O livro então é também uma resposta para todos aqueles que pretendem dissociar o marxismo de sua essência revolucionária.

Alan Woods explica que Marx (e o marxismo) nunca se limitou a meramente “interpretar” a sociedade burguesa. Como nos afirma a célebre frase dele próprio nas Teses Sobre Feuerbach: “Os filósofos até agora se limitaram a interpretar o mundo; cabe agora transformá-lo”. O marxismo nunca foi apenas mais uma doutrina de explicação do mundo tal como ele é. O marxismo – expressado por seus grandes expoentes como Marx, Engels, Lênin e Trotsky – é fundamentalmente uma teoria revolucionária de ruptura com o que aí está, uma teoria para ação política da classe trabalhadora.

Para defender este ponto de vista, Alan Woods tem a vantagem de ser um profundo conhecedor do tema em questão. Seu livro passeia com desenvoltura sobre os mais diferentes assuntos. A primeira parte, que ora apresentamos, tem como tema o debate sobre o materialismo histórico e dialético e também sobre o caráter da transição do capitalismo ao socialismo, que discutimos um pouco mais acima. Na segunda parte, o eixo será a questão da crítica da Economia Política de Marx. Na última parte, o tema abordado é o debate vivo sobre Revolução na América Latina hoje, com ênfase em Cuba e na Venezuela.

Além do domínio sobre os assuntos abordados, Alan Woods oferece aos seus leitores a enorme experiência prática de um militante que tem atuado no movimento operário em vários países há quase meio século. Por isso seu livro tem o mérito de tratar de questões das mais complexas de uma forma simples e acessível.

Um livro escrito para os trabalhadores e jovens que lutam pelo socialismo. São eles que devem assimilar e batalhar pelas idéias de Reformismo ou Revolução. São eles que podem construir um futuro!

Deixe seu comentário

Leia também...

Lições dos quatro primeiros congressos da Internacional Comunista

Discutiremos aqui os quatro primeiros congressos da Internacional Comunista (IC), ainda dirigidos por Lenin e …

Deixe uma resposta