Início / Luta de Classes / Greve em Florianópolis contra mudança em empresa de limpeza urbana
Mobilização da categoria busca sensibilizar vereadores a recusarem projeto do prefeito.

Greve em Florianópolis contra mudança em empresa de limpeza urbana

Atualização 21h47: Grevista foi baleado em frente à Câmara de Florianópolis. 

Atualização 20h40: Força de repressão a serviço do prefeito da cidade e de seus aliados vereadores acaba de reprimir a mobilização da categoria, com uso de violência e armamento letal. Confira no post abaixo:

O prefeito Gean Loureiro (PMDB) golpeou os trabalhadores da Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap) de Florianópolis nesta última semana, com um projeto de autarquia. Hoje a empresa encontra-se em um regime de economia mista e o projeto prevê a mudança para o regime de autarquia.

O prefeito diz ser necessário essa mudança para que ele possa aderir ao novo plano de REFIS proposto pelo governo federal, alegando ser impossível fazer isso permanecendo a economia mista. Vale lembrar que o REFIS por si só já é imoral, por dar um verdadeiro calote nas contas da nossa previdência, oferecendo um desconto de 80% e um parcelamento de até 200 vezes, em uma dívida feita exclusivamente pelos patrões.

Grevistas estão nas ruas para barrar mudança para autarquia.

Alega também o senhor prefeito que economizará para investir em caminhões e ferramentas de trabalho e diz que irá modernizar a empresa, plano esse que que não se encontra no projeto.

O documento também afirma que o corpo administrativo será nomeado pelo próprio gestor municipal. Porém não garante os postos de trabalho dos servidores. O chefe do Executivo até tentou dar uma melhorada na redação dizendo inclusive que os trabalhadores junto com o sindicato podem escrever o que quiserem que eles aprovam. E é aí que ficam perguntas que nem mesmo os vereadores favoráveis, o procurador da Câmara e os advogados da empresa conseguem responder. Pode uma lei municipal estar acima de uma lei federal? Que garantias nos dão de que não será inconstitucional o texto? Caso o Ministério Publico diga ser inconstitucional, como ficariam os trabalhadores?

A insegurança jurídica é tão grande que o último artigo nos diz que será criado um grupo de estudo para que no prazo de 180 dias possa dizer o futuro dos funcionários.

Inseguranças jurídica e trabalhista marcam argumentos e documentos vindos do Poder Executivo.

Diante dessa insegurança, nós trabalhadores decidimos cruzar os braços e paralisarmos assim os serviços entrando em greve. A mobilização já dura três dias e o prefeito de forma truculenta nos diz que o projeto irá ao plenário para votação dos parlamentares. Assim toda a cidade de Florianópolis que encontra-se com os serviços paralisados de coleta de resíduos sólidos, limpeza de vias públicas, roçagem e os demais áreas envolvidas.

O que nós trabalhadores da Comcap queremos é que o Gean retire o projeto da Câmara para que possamos melhor conversar e acharmos juntos a melhor saída.

Pedimos também o lançamento de um edital para a compra de 10 caminhões, para que possamos continuar prestando um serviço de qualidade pra toda a população florianopolitana. Caso contrário não conseguiremos com os veículos que temos dar conta da temporada que se aproxima.

  • FORA GEAM!
  • COMCAP 100% PUBLICA!
  • NENHUM DIREITO A MENOS!

* José Wladimir é trabalhador da Comcap de Florianópolis.

Deixe seu comentário

Leia também...

Bel – Morreu um combatente contra o capitalismo

Humberto Belvedere, conhecido entre os camaradas como Bel, morreu neste sábado, 22 de julho, no …