Início / Luta de Classes / Greve da CPTM começou hoje às 24 horas do dia 13 e seguirá por tempo indeterminado

Greve da CPTM começou hoje às 24 horas do dia 13 e seguirá por tempo indeterminado

Greve da CPTM começou hoje às 24 horas do dia 13 e seguirá por tempo indeterminado. Inverno quente se aproxima: trens da CPTM param em São Paulo. A Assembleia da categoria definiu no dia 12 pela noite que estarão em greve por tempo indeterminado.

Greve da CPTM começou hoje às 24 horas do dia 13 e seguirá por tempo indeterminado. Inverno quente se aproxima: trens da CPTM param em São Paulo. A Assembleia da categoria definiu no dia 12 pela noite que estarão em greve por tempo indeterminado.

Estarão paralisadas as linhas 8 – Diamante, 9 – Esmeralda, 11 – Coral e 12 – Safira. A greve não vai afetar o funcionamento das linhas 7 – Rubi e 10 – Turquesa.

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 6,77% (equivalente à inflação do período), mais 5% de aumento real, pagamento de vale alimentação de R$ 200, vale refeição composto por 24 cotas de R$ 25, e adicional de risco de vida de 30% ao pessoal que trabalha em estações.

A direção da CPTM apresentou proposta de reajuste salarial de 8,56%, aumento de 20% no vale refeição, que passaria de 22 para 24 cotas de R$ 23,00 por dia, totalizando R$ 552,00 ao mês, além de substituição da cesta básica por vale alimentação no valor de R$ 100. Os trabalhadores recusaram a proposta da empresa e partem agora para negociarem em greve. É assim que se faz.

O TRT, atacando o direito de greve, e realizando prática anti-sindical,  determinou que os funcionários devem manter 100% da operação nos horários de pico, entre 6h e 9h e das 16h às 19h. Nos outros horários, 75% da operação devem ser mantidas. Caso não cumpra a ordem, o sindicato deverá pagar  multa de R$ 100 mil, configurando assim mais um ataque contra a liberdade de luta e organização dos trabalhadores e contra os sindicatos.

Ocorrerá hoje também mais uma manifestação pela redução das tarifas dos ônibus e do metrô.

A temperatura da luta de classes, apesar de estarmos bem próximos do inverno, está esquentando em São Paulo.

Em Florianópolis os trabalhadores nos transportes urbanos estão também em luta e as entidades sindicais estão prestando solidariedade, a justiça decretou que os ônibus devem funcionar em 75% das linhas.

Com o fortalecimento dos movimentos grevistas a justiça tem aumentado seus ataques contra os trabalhadores. Somente a ação unitária e solidária de outras categorias poderá ajudar as que estão em greve e barrar os ataques e ameaças dos TRTs e das patronais.

Todo apoio aos trabalhadores da CPTM e aos trabalhadores nos transportes de Florianópolis. Suas lutas são justas e merecem toda solidariedade das demais categorias e entidades sindicais.

Somente a unidade dobrará a repressão. Somente a unidade garantirá as reivindicações.

Toda força aos trabalhadores em luta. Toda força à luta pela redução das tarifas em São Paulo.

Deixe seu comentário

Leia também...

Dois projetos que privatizam a Educação Infantil em Florianópolis

Estão em tramitação na Câmara Municipal de Florianópolis dois projetos de lei que atacam frontalmente …