Início / Artigos / Internacional / Grécia: O SYRIZA deve mobilizar os trabalhadores e a juventude!

Grécia: O SYRIZA deve mobilizar os trabalhadores e a juventude!

Reproduzimos aqui o discurso do representante da Tendência Comunista do SYRIZA, o camarada Stamatis Karayannopoulos, na reunião do Comitê Central do SYRIZA.

Reproduzimos abaixo o discurso do representante da Tendência Comunista do SYRIZA, o camarada Stamatis Karayannopoulos, na reunião do Comitê Central do SYRIZA que ocorreu em 18 e 19 de Outubro de 2014.

“Camaradas,

Os acontecimentos das últimas semanas confirmam que a classe dominante grega está enfrentando a maior estagnação econômica e política da história recente. Ao mesmo tempo, temos a virada eleitoral das massas trabalhadoras e das camadas mais pobres em direção ao SYRIZA, como um meio de se livrarem da coalizão governamental que defende os planos de austeridade. Esta é uma oportunidade histórica excepcional para a esquerda do nosso país.

Temos a oportunidade de alcançar o nosso objetivo declarado – a transformação socialista da sociedade. Esta é uma meta que o SYRIZA deve vincular com o presente e perseguir sem descanso; caso contrário, muito francamente, o SYRIZA não tem nenhum propósito político de seguir existindo.

A natureza crítica deste momento da história deve ser entendida, em primeiro lugar, pelos nossos companheiros da maioria da direção. É seu dever, pelos milhares de militantes que deram suas vidas para os ideais do movimento comunista e as milhões de pessoas que foram empobrecidas pelos banqueiros e seus defensores, não repetir os erros históricos do stalinismo e da socialdemocracia – correntes políticas que arruinaram a causa do socialismo na Grécia e internacionalmente.

À luz do programa da política do governo que o nosso companheiro, o presidente do partido, (Alexis Tsipras) apresentou recentemente na Exposição Internacional de Tessalônica (ndt: segunda maior cidade da Grécia) é lamentável que a direção esteja, ao que parece, trilhando constantemente o caminho que conduziu aos grandes erros políticos do passado – ou seja, o caminho da reconciliação com o capitalismo. O exemplo mais escandaloso disso é a proposta de “flexibilização quantitativa”. Isto representará uma carga para o contribuinte com um custo exorbitante para cobrir as enormes dívidas do setor público e dos bancos, e para financiar a oferta de crédito barato aos capitalistas que parecem ter declarado uma greve de investimentos na Grécia e em nível internacional.  O que é ainda pior: foi relatado a nós, pelo nosso companheiro presidente, que Mario Draghi e Barack Obama aprovaram as posições do SYRIZA tal qual foram apresentadas pelo nosso companheiro presidente!

Camaradas da direção, é chegada a hora de vocês prepararem a si mesmos e os milhões de trabalhadores pobres que se dirigem ao SYRIZA para travar as batalhas inevitáveis que virão! Alcançar o poder não será um “passeio pelo parque”! Uma vitória eleitoral do SYRIZA certamente seria acompanhada de uma guerra econômica e dos esforços do capital para desviarmos de nosso caminho.

Camaradas, não semeiem ilusões nas mentes dos trabalhadores de que a Troika (ou seja, a União Europeia, BCE e FMI) e a classe dominante grega nos permitirão negociar com eficácia e aplicar um sistema “progressista” e “democrático” de governo na medida em que se baseie em um sistema econômico que está em um beco sem saída.

Devem mobilizar os trabalhadores e jovens, o mais rapidamente possível, para ganhar o poder e defender seu próprio governo; um governo de esquerda baseado em sua própria força e na classe trabalhadora.

E acima de tudo, se não querem que o governo seja um mero fenômeno político momentâneo a ser interrompido pelo caos que o nosso inimigo de classe certamente criará, então devem adotar um programa adequado. Tal programa não deve ser um “plano B” que se mantenha em segredo e trancado; mas um programa que deve ser publicamente declarado, expondo com clareza que:

• A erradicação da austeridade exige a erradicação do capitalismo, uma vez que a austeridade é o capitalismo em decadência;
• A especulação que conduz aos aumentos no custo de vida, a evasão fiscal, e as várias mentiras e truques do capital não podem ser erradicados sem o estabelecimento do controle dos trabalhadores;
• O desemprego em massa não pode ser abordado de modo eficaz sem a socialização das alavancas fundamentais da economia e sem o planejamento centralizado da economia;
• A dívida predatória não pode ser reduzida drasticamente por um acordo com os representantes do conjunto dos credores predatórios, mas sim, deve ser repudiada de forma unilateral em sua totalidade;
• A burocracia do Estado burguês reacionário, como um servo dos interesses burgueses, não está disposta à uma gestão progressista. Deve ser varrida e substituída por outra forma de poder, o poder de uma verdadeira democracia socialista; e…
• A arma mais poderosa que temos contra o terror dos mercados e da Troika é varrer o chão sob seus pés internacionalmente, ou seja, realizar uma luta internacional de solidariedade de todos os trabalhadores em toda a Europa, para a criação de uma Europa Socialista para substituir a bárbara União Europeia do capital que temos na atualidade; isso será alcançado pela ascensão ao poder de autênticos governos socialistas de esquerda, em um após outro dos estados europeus.

A Tendência Comunista do SYRIZA, ao defender essas ideias principais, aqui e agora pede a convocação de uma conferência extraordinária para discutir o nosso programa, de modo que os membros do partido decidam se o SYRIZA deve ascender ao poder com as posições de Marx ou com as políticas falidas de Keynes”.
 

Deixe seu comentário

Leia também...

França: depois do segundo turno das eleições legislativas, prepara-se a contraofensiva

Do total de inscritos nas eleições legislativas da França, 57,4% não foram às urnas,  no …