Início / Sem Categoria / Grande vitória: A Chapa Reatar com o Socialismo conseguiu 40% dos votos do PT de Joinville

Grande vitória: A Chapa Reatar com o Socialismo conseguiu 40% dos votos do PT de Joinville

João Diego Leite

Adilson Mariano sustenta a estrela e a origem do PT na hora do voto
No dia 31 de março, na cidade de Joinville filiados do Partido dos Trabalhadores elegeram os delegados que participarão do Encontro Municipal que decidirá o candidato a prefeito, a lista de candidatos a vereadores e a tática eleitoral.
Dos 846 militantes aptos, votaram 633. A chapa para Eleição de um Governo Petista, de Carlito Merss (atual prefeito da cidade) fez 387 votos e a Chapa Reatar com o Socialismo, de Adilson Mariano, da Esquerda Marxista do PT, conseguiu 246 votos. O resultado garante 60% dos delegados para a chapa de Carlito e 40% para a chapa de Mariano.

O camarada e vereador Adilson Mariano avalia o processo como positivo, pois aumentou seu apoio interno no partido. “Isso demonstra que existe uma parte dos filiados que deseja uma virada a esquerda nos rumos do PT”, afirma Mariano.

Na última eleição interna do partido a chapa Virar à Esquerda e Reatar com o socialismo obteve 25% dos votos dos petistas. Na atual disputa, a chapa de Mariano obteve 40% dos votos, que representa um crescimento de 15%.
No dia 14 de abril o Encontro Municipal vai contar com 313 delegados. A Chapa virar a Esquerda e reatar com o Socialismo terá 122 delegados, enquanto a Chapa para Eleição de um Governo Petista terá 191. 

A Esquerda Marxista segue seu combate na defesa de um governo PT, um governo que abra caminho para o socialismo e rompa com as alianças com a burguesia. Mariano representa esse combate. 

Agora é hora de todos os que apoiaram Mariano aumentarem seus esforços e integrarem a Esquerda Marxista, rumo ao Encontro Municipal na batalha pela candidatura socialista.

Deixe seu comentário

Leia também...

Eleições no Chile: A “Frente Ampla” se apresenta no primeiro turno das eleições presidenciais.

Escrito por Carlos Hernán As eleições do dia 19 de novembro no Chile mostraram uma …

Um comentário

  1. Marxismo não pertence mais à esquerda há algumas décadas.