Início / Artigos / Governo Lula Privatiza Amazônia. Que governo é esse?

Governo Lula Privatiza Amazônia. Que governo é esse?

A Lei de Gestão de Florestas Públicas é, na verdade, uma Lei de Privatização das Florestas, aprovada em Março de 2006.

No dia da Árvore, 21 de Setembro, a ministra Marina Silva anunciou o início da privatização da Amazônia. A Floresta Nacional do Jamari, em Rondônia,
foi oferecida aos empresários. Nem Collor teve coragem para tanto.

A Lei de Gestão de Florestas Públicas é, na verdade, uma Lei de Privatização das Florestas, aprovada em Março de 2006. Essa lei dá direito a empresas de explorar produtos e serviços na Floresta Amazônica e na Mata Atlântica pagando uma determinada quantia ao governo.

Com esta lei o governo Lula colocou à disposição dos capitalistas a exploração de 43 milhões de hectares de florestas, de um total existente de 193,8 milhões de hectares que constam no Cadastro-Geral de Florestas Públicas da União.

Entregar a Amazônia é um dos mais fundos golpes que o Brasil já recebeu.

Em 21 de Setembro, o governo anunciou o leilão, em 7 de Novembro, de 1930 quilômetros de linhas de transmissão e de três subestações de eletricidade. Estas linhas atravessarão 10 estados. E de quebra vai privatizar duas usinas hidrelétricas exatamente no rio Madeira, na Amazônia, usado por milhões de peixes que na piracema sobem até o Peru para desovar. O governo Lula está, ainda, acelerando a privatização das estradas federais através de licitação de pedágios. E marcou para novembro a venda das últimas ferrovias que ainda restam nas mãos da União.

E acelera também a privatização da Previdência com o envio de dois PLs ao Congresso para constituir o FUNPRESP, enquanto propõe no Fórum Nacional da Previdência aumentar a idade mínima para aposentadoria para 70 anos.
E com o PAC, quer transformar o Brasil numa plataforma de exportação agromineral aprofundando a dependência e o controle das multinacionais sobre o país.

E o Brasil de Lula, apesar disto, vai crescer menos do que a África: “O crescimento econômico da África se manterá em torno de 6%, enquanto que o da América Latina e Ásia ocidental se reduzirá ligeiramente e se situará em aproximadamente 5%”, afirma o Relatório sobre o Comércio e o Desenvolvimento 2007, da Unctad, órgão da ONU.

Apesar da expansão mundial, a situação do povo piora, existem milhões de desempregados e a renda dos trabalhadores caiu. Ou o PT rompe a colaboração de classes com os capitalistas ou no primeiro estouro da crise que se desenvolve nos EUA e Europa, o povo terá que passar por cima do governo para sobreviver.

Deixe seu comentário

Leia também...

Argentina: Mobilização para combater os capitalistas e seu ajuste

O governo federal avança a toda velocidade tentando impor o ajuste disfarçado de reforma. Assim …

Deixe uma resposta